FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Na nova edição do World Economic Outlook, o Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta que a inflação se manterá elevada nos próximos meses, antes de retornar aos níveis anteriores à pandemia em meados de 2022, “embora persistam riscos de aceleração”.

A previsão é que, nas economias avançadas, a inflação atinja, em média, um pico de 3,6% nos últimos meses deste ano, antes de cair para 2% no primeiro semestre de 2022. Os mercados emergentes terão aumentos maiores, atingindo a média de 6,8% e em seguida recuando para 4%, segundo o FMI. Os preços dos alimentos aumentaram cerca de 40% durante a pandemia.

Os economistas do Fundo admitem que “as projeções envolvem uma incerteza considerável”, e a inflação pode continuar alta por mais tempo. Os fatores que contribuiriam para isso incluem a disparada dos preços dos imóveis residenciais, a prolongada escassez de oferta nas economias avançadas e em desenvolvimento, a pressão sobre os preços dos alimentos e as desvalorizações cambiais nos mercados emergentes.

O IBGE divulga nesta sexta-feira o IPCA de setembro. O índice deve levar o acumulado em 12 meses para 2 dígitos, ou muito próximo. E é fácil ver que o Brasil reúne as 4 ameaças listadas acima pelo FMI.

 

Tema da esquerda

O Observatório do Legislativo Brasileiro (OLB) levantou os discursos proferidos no plenário da Câmara, de fevereiro de 2021 até o final de agosto, em que foram mencionados os termos “Auxílio Brasil” e “renda cidadã”.

Na distribuição por partido, uma avassaladora predominância de discursos proferidos por deputados do PT (8) e PCdoB (2), e pouquíssimo empenho da base bolsonarista (PSC, 2, PP e MDB, 1 cada) no tema.

 

Liquidação

O secretário de Planejamento e Gestão do Rio de Janeiro, José Luís Zamith, participa nesta quinta-feira de reunião na Alerj para explicar a liquidação de empresas públicas e de economia mista. Na lista estão a CTC, Flumitrens, Celf, Metrô, BD Rio, Diverj e Ciferal. Alguns processos de encerramento de atividades se arrastam há 25 anos.

 

Volta às aulas

O retorno às aulas presenciais e em horário normal deve ajudar o emprego nas classes mais baixas, já que em muitos casos as mães – pais escapolem de cumprir esse papel – não têm com quem deixar as crianças para ir trabalhar.

 

Rápidas

Dias 19 e 20, o Fórum Mundial Espírito e Ciência, promovido pela Legião da Boa Vontade (LBV), debaterá, às 19h30, online, “Vida e morte em diálogo – Ciência e Fé conversam sobre as dimensões da existência”. Inscrições aqui *** O nutricionista Matheus Oliveira é o novo convidado do Entrevistas com Bayard Boiteux. A conversa já está disponível via YouTube *** O Lecadô inaugura nesse final de semana uma loja no Shopping Park Lagos, em Cabo Frio (RJ), a primeira unidade na Região dos Lagos. No dia 21, quem levar 1 quilo de alimento não perecível receberá um salgado ou um doce *** Luciano Snel, CEO da Icatu, foi eleito uma das 500 personalidades mais influentes da América Latina na lista divulgada pela Bloomberg Línea.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Objetos da cantora Amy Winehouse em leilão

Por Antonio Pietrobelli.

Consertar este planeta

Por Paulo Márcio de Mello

‘A Mão e a Luva’

Por Mônica Gusmão

Últimas Notícias

Objetos da cantora Amy Winehouse em leilão

Por Antonio Pietrobelli.

Lei de Melhoria do Ambiente de Negócios no Brasil

Por Letícia Luzia de Sousa Ramos e Renata Homem de Melo.

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.