Fôlego limitado no exterior

Semana começa com assinatura de Trump, no que se refere à quatro decretos trazidos à luz da realidade no fim de semana.

Opinião do Analista / 11:08 - 10 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A semana começa com a assinatura do presidente norte-americano, Donald Trump, no que se refere à quatro decretos trazidos à luz da realidade no final de semana. Apesar de minimamente controversos - vide os questionamentos da autoridade de Trump de estender benefícios federais por decreto executivo feitos por alguns republicanos e democratas -, a medida visa combater as mazelas causadas pela pandemia da Covid-19.

Desse modo, a euforia ecoada pela notícia e também por alguns indicadores econômicos chineses que vieram acima do esperado tem seus efeitos contidos frente ao preocupante avanço do coronavírus em solo estadunidense conjuntamente com as tensões entre EUA e China. Pousando, finalmente, em solo pátrio, destaca-se a cautela perante ao quadro fiscal brasileiro, uma vez que, à priori, o mesmo tende a perdurar envolto por um risco fiscal.

A manutenção da cautela impacta diretamente os juros futuros e o dólar que teve uma alta de 3,78% na semana passada e de quase 35% no presente ano. Não obstante, respingos de precaução se voltam também ao fato de que o benefício do auxílio emergencial pode ser usado para fins exclusivamente eleitorais e para reduzir a rejeição do presidente da República diante das classes D e E, como trouxe, no dia de ontem, uma matéria publicada pelo jornal "Folha de S. Paulo".

.

Pedro Molizani

Trader Mesa de Câmbio

Travelex Bank

www.travelexbank.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor