Fome dói, adoece e mata!

Por Renata Abreu.

Alimentação é um direito social do brasileiro garantido pela Constituição, que, absurdamente, não está sendo garantido. A fome e a pobreza voltaram a assombrar milhões de famílias no Brasil. A fome sempre foi um problema grave, mas a situação piorou muito com a Covid-19.

São quase 20 milhões de brasileiros passando fome!!! Eles não têm o que comer, mostra levantamento feito pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Penssan). O maior número da série histórica do Ministério da Cidadania, iniciada em agosto de 2012. Isso quer dizer que quase 10% da população está subalimentada.

A Penssan apurou também que 116,6 milhões de brasileiros (55,2%) não têm acesso pleno e permanente a alimentos. E que 43,3 milhões não têm alimentos em quantidade suficiente (insegurança alimentar moderada).

Dados de outra pesquisa, coordenada pelo Grupo de Pesquisa Alimento para Justiça: Poder, Política e Desigualdades Alimentares na Bioeconomia, com sede na Universidade Livre de Berlim, mostram 125,6 milhões de brasileiros (59,3% da população) não comem em quantidade nem qualidade ideais desde a chegada da pandemia do novo coronavírus.

Tanto um levantamento quanto o outro mostram dados chocantes, mas a realidade pode ser até mais aflitiva, já que as pesquisas foram feitas antes do aumento da inflação dos últimos meses. Portanto, é provável que a situação esteja pior.

Antes da pandemia, eram 57 milhões de pessoas vivendo em insegurança alimentar; 13,4 milhões de famílias em situação de extrema pobreza, quando a renda per capita é de até R$ 89 mensais, de acordo com o governo federal; e 2,8 milhões de famílias em situação de pobreza, com renda entre R$ 90 e R$ 178 per capita mensais.

A crise humanitária não é de agora. Levamos 10 anos para o País sair do Mapa Mundial da Fome, que é monitorado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), mas estamos de volta. Infelizmente! Um país entra no Mapa da Fome quando a subalimentação afeta 5% ou mais de sua população.

Em 2013, o Brasil teve o melhor nível de segurança alimentar da série histórica (Pnad), com mais de 77% dos domicílios nessa condição. Dados do IBGE mostram que a insegurança alimentar, que caía desde 2004, voltou a subir em todas as suas formas a partir de 2014, por causa da forte recessão de 2015-2016, que encolheu o PIB em 7,2%. Em 2017-2018, a situação de segurança alimentar era vivenciada por apenas 63,3% dos domicílios pesquisados.

Com o passar dos anos fomos caindo. Agora temos um desafio ainda maior. Quem vive precisa comer. E hoje o número de brasileiros que estão pelas ruas é cada vez maior porque o desemprego também é muito grande: 30 milhões sem teto para morar e quase 15 milhões sem trabalho.

Fome dói, fome adoece, fome mata. E muitos brasileiros têm que escolher entre comer e morar. Triste e dolorida realidade. Temos de agir rapidamente para tirar o Brasil da geopolítica da miséria.

Com o fortalecimento do salário-mínimo, geração de empregos formais, política habitacional, saneamento básico, reformas tributária e agrária, projetos de transferência de renda, políticas de promoção da segurança alimentar, além do envolvimento da sociedade em campanhas de doações, combateremos as desigualdades e garantiremos que pessoas em situação de pobreza não passem mais fome no Brasil e tenham um lugar digno para viver.

 

Renata Abreu é presidente nacional do Podemos e deputada federal por São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Brasil conduz maior iniciativa de Open Banking do mundo

Por Cristiano Maschio.

Planejamento sucessório e o patrimônio familiar

Por Luciana Gouvêa.

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Últimas Notícias

Cresce mercado de investimento em ações da China

O investimento em ações na China apresentou crescimento este ano, uma vez que o volume de fundos levantados e o investimento registraram um crescimento...

CVM alerta: Atuação irregular de Business Bank BNI Investiments S.A

A Comissão de Valores Mobiliários está alertando ao mercado de capitais e ao público em geral sobre a atuação irregular de Business Bank BNI...

Usina TermoCamaçari ficará com a Unigel até 2030

A Petrobras, em continuidade ao comunicado divulgado em 11/05/2021, informa que, após a retomada das negociações com a Proquigel Química S.A., subsidiária da Unigel...

STF é questionado sobre inconstitucionalidade de privatizações

O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, defendeu nesta segunda-feira, em audiência pública na Câmara dos Deputados, que o Supremo Tribunal...

Mais um Fiagro na listagem da B3

Ocorreu nesta segunda-feira o toque de campainha que marcou o início de negociação do terceiro Fiagro na B3, o JGP Crédito FI Agro Imobiliário. As...