Forte

O café é o segundo maior gerador de riquezas (legais) do planeta, com movimento anual de US$ 91 bilhões, perdendo apenas para o petróleo. A cadeia emprega direta ou indiretamente meio bilhão de pessoas em todo o planeta, o que representa 8% da população mundial. No Brasil, o setor é responsável pela geração de 7 milhões de empregos diretos e indiretos e por uma riqueza anual de R$ 10 bilhões. As informações são de Marcos Modiano, do Armazém do Café, que destaca no mercado doméstico o crescimento da produção dos cafés superior e gourmet. Comemora-se nesta quarta-feira o Dia Nacional do Café.

Descontrole
A histeria que tomou conta do mercado financeiro esta semana reafirmou as fragilidades e os riscos a que se expõe um mundo no qual os movimentos e os interesses dos capitais se sobrepõem aos interesses nacionais. É emblemático dessa grave patologia social que a simples ameaça de que os Estados Unidos possam vir, quem sabe, talvez, a ficar resfriados ou terem uma febrícola de 37º provoque uma pneumonia nos países mais descuidados de suas fragilidades externas.
A atual onda especulativa é, basicamente, alimentada pela hipótese de que o Federal Reserve (Fed) – uma espécie de Otan econômica que faz dos juros sua arma de destruição em massa – vá, em sua próxima reunião, no próximo dia 22, passar a elevar a taxa de juros básica dos Estados Unidos acima dos 0,25 ponto em que tem reajustado a taxa desde junho de 2005. Qualquer analista que não confunda realidade com propaganda a serviço de interesses especulativos sabe que isso não ocorrerá. No entanto, para servir à escalada especulativa dos próximos 30 dias que separam o mundo da nova reunião do Fed, os mais variados motivos serão mobilizados para justificar a montanha russa do mercado financeiro.
A mais recorrente remete às diferentes leituras que os oráculos – todos com posições milionárias nos mercados de juros, moedas, minérios e títulos – se permitem fazer dos enigmáticos e obscuros pronunciamentos do presidente do Fed, Ben Bernanke. Detentor de tamanha influência sobre os destinos das nações, Bernanke, a exemplo de seus antecessores, não recebeu um só voto popular, exceto a sanção mecânica do Senado norte-americano. Está aí no que dá um mundo que se permite que seu principal líder seja nomeado pelo mercado.

Indústria
Roger Agnelli, da Companhia Vale do Rio Doce; Paulo Cunha, do grupo Ultra; David Feffer, do grupo Suzano; e Roberto Kauffmann, presidente do Sindicato da Construção do Rio (Sinduscon) recebem nesta quarta a Medalha do Mérito Industrial do Rio de Janeiro. O presidente da Federação das Indústrias do Rio (Firjan), Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, destaca que essas empresas participam de investimentos da ordem de US$ 14 bilhões no estado.

Assinatura
Proposta da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para regulamentar os serviços das TVs por assinatura impede cobrança por ponto adicional, a menos que a empresa instale novo decodificador, tornando o ponto extra independente, inclusive com possibilidade de opção por um pacote alternativo. Outros itens da proposta também beneficiam o usuário, como a obrigatoriedade de atender ao assinante por telefone com discagem gratuita.
Alguns pontos apenas repetem o que já determina o Código de Defesa do Consumidor, como se a Anatel se julgasse superior à lei. E em pelo menos um caso a agência reguladora propõe a quebra de contrato, quando diz que “qualquer valor novo instituído pela prestadora, diferente do acordado em contrato, deverá ser previamente informado ao assinante em data anterior à cobrança; caso o assinante entenda ser excessivo o valor poderá rescindir, sem ônus, o contrato firmado com a prestadora”. Pelo visto, a Anatel só defende veementemente o respeito aos contratos quando o prejudicado fala em inglês.

Responsabilidade
Bancos devem garantir a segurança na área onde estão localizados seus caixas eletrônicos, decidiu a 10ª Câmara Cível do TJRS, segundo informa o IOB. O Banco do Brasil foi condenado a indenizar em R$ 10 mil, por danos morais, uma cliente que presenciou assalto e ficou na linha de tiro quando se encontrava na fila do caixa eletrônico.

Artigo anteriorChávez em Hollywood
Próximo artigoDescrédito
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.

Metroviários de SP param por vacinas e lockdown

Greve de 24 horas pede medidas de prevenção contra Covid para trabalhadores do transporte público.