Fracasso

O apoio do Banco Mundial (Bird) a programas de substituição do sistema previdenciário de repartição por fundos de contribuição definida gerenciados pela iniciativa privada ocorreu por motivos ideológicos, mais do que por ser um sistema melhor. A análise consta de um estudo distribuído este ano pela Confederação Internacional de Organizações Sindicais Livres (Ciosl). Estudando os efeitos da mudança em países da América Latina e do Leste Europeu, os autores chegam a interessantes conclusões: os benefícios pagos pelos fundos em geral são menores, sendo ainda pior para as mulheres; a cobertura também diminuiu; a transição teve custos fiscais dramáticos (cita o caso da Argentina); e a administração privada provou ser mais ineficiente. O estudo está em www.icftu.org/www/pdf/pensionreform.pdf

Lições amargas
O nível de inadimplência em algumas instituições de ensino particular já chega a 35%. A informação é de Sergio Arcuri, vice-presidente da Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino(Confenen), que representa cerca de 44 mil estabelecimentos de ensino da rede particular em todos os níveis. A Confenen promove, no próximo dia 3,  em Brasília, um fórum para debater propostas para combater a inadimplência. Embora Dornas admita que “jamais” será possível eliminar a inadimplência completamente, considera indispensável reduzi-la a “índices toleráveis” e “dificultar o calote generalizado, institucional e proposital”. Ele atribui o nível atual à legislação “injusta” e à “ação dos que, a título de defender direitos do consumidor ou do menor, estimulam o ato incivil de não pagar, de usufruir os serviços prestados e não cumprir a obrigação”.

Lições
De fato, embora não faltem, de um lado, mensalidades extorsivas e mercantilização do ensino, e de outro, desemprego em alta e salário em queda, também existe uma legião de pais e responsáveis que aproveitam brechas de uma legislação, no geral, justa, para colocar o pagamento de mensalidades escolares no fim da lista de despesas.

Quem paga?
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) volta a decidir se os provedores de acesso à Internet devem ou não pagar ICMS. Embora a Primeira Turma do STJ tenha decidido, em 2001, que o pagamento deveria ser feito, o advogado Marcelo Cristiano, do escritório Fraga, Bekierman e Pacheco Neto – Advogados, diz que, agora, a Segunda Turma do mesmo tribunal estaria inclinada a adotar o ponto de vista dos provedores, que argumentam que o fator gerador não estaria ligado ao fornecimento de acesso, mas ao serviço de suporte, ou seja, o serviço de telecomunicações. A decisão final no âmbito do STJ caberá à Primeira Seção, que reúne as duas turmas.

Tagarelas
A decisão da equipe econômica de reduzir a dívida interna indexada ao dólar permite um raro momento de concordância desta coluna com a turma do ministro Antônio Palocci. Seu acerto, no entanto, não apaga o histórico imperativo de que, em matéria de câmbio, governo não avisa, faz. A título de transparência, o aviso prévio da mudança da política em relação à rolagem de papéis vinculados ao câmbio permitiu aos especuladores, de olho no vencimento do próximo dia 2, darem mais uma faturada no bolso da viúva.

Desplugado
Mais surpreendente do que as declarações do ministro José Dirceu sobre a política econômica, somente seu desconhecimento sobre a transmissão ao vivo da sua conferência. Há pelo menos uma semana antes do encontro o PT mandava mensagem a seus filiados e aos cadastrados na sua lista anunciando que o debate seria transmitido, ao vivo, pelo sítio do partido e da Fundação Perseu Abramo.

Justiça
Orientação e auxilio jurídico para quem circula no bairro carioca do Méier e adjacências é o que vai oferecer o quarto Núcleo de Prática Jurídica da UniverCidade, que será inaugurado nesta sexta-feira, na Unidade Méier da instituição. Os estagiários de Direito vão atuar nas áreas cível, família e criminal e além da elaboração dos processos, terão responsabilidade sobre o andamento, participação de audiências, acompanhamento no Fórum, em delegacias policiais e em outras repartições públicas. O escritório vai funcionar às segundas, quartas e sextas, das 12h30 às 15h30, e aos sábados de 8h às 12h, na Rua Arquias Cordeiro, 566.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFúria
Próximo artigoMuseu parado

Artigos Relacionados

Petrobras também foi ao mercado em Londres

Estatal criou subsidiária na década de 80 para atuar nas Bolsas.

Petroleiras ganham dinheiro no mercado, não com produção

Desde a década de 1980, companhias viraram empresas financeiras.

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Últimas Notícias

Senado só votará a reforma tributária em 2022

Relator da PEC, Roberto Rocha, cobra a leitura de seu relatório antes do fim do ano.

África tem potencial inexplorado de exportação de US$ 21,9 bilhões

Área de livre comércio da África pode proporcionar um crescimento econômico inclusivo considerável.

Prédio da Editora Três vai a leilão

Com quase 130 mil m², lance mínimo é de R$ 40 milhões.

Diálogo entre China e Reino Unido fortalece cooperação bilateral

O vice-primeiro ministro chinês Hu Chunhua realizou um diálogo via telefone nesta terça-feira, com o chanceler do tesouro britânico Rishi Sunak, sobre o avanço da cooperação prática bilateral.

TingHua cria experiência de degustação multissensorial de baijiu

A produtora de cachaças chinesas TingHua, localizada na cidade de Yibin na Província de Sichuan no sudoeste da China, lançou recentemente seu produto novo TingHua baijiu (um tipo de cachaça chinesa), que é caracterizada pela sua experiência única de degustação de cinco etapas.