Freio de arrumação

Na agenda de hoje, temos a segunda prévia do IGP-M de setembro e, nos EUA, o índice de indicadores antecedentes de agosto.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Bovespa tinha condição de tentar voltar ao patamar de 100 mil pontos, mas acabou cedendo às evidencias de mercados acionários em queda em todo o mundo, especialmente as bolsas americanas, que operaram com quedas maiores que 1,0%.

Nossa visão é que investidores estão agindo com maior prudência e o fluxo comprador emagreceu. A quinta-feira pareceu daqueles dias que chamamos de "freio de arrumação", para os mercados depois retomarem sequência de alta, em função de juros muitos baixos e extrema liquidez internacional, mas com a busca por ativos reais continuando.

Ontem, logo cedo, tivemos o anúncio da decisão do BoE (o BC inglês) sobre política monetária sem mudanças, o que significa juros em 0,10% e compra de ativos no montante de 745 bilhões de libras. Os juros dos GILTs caíram e a possibilidade de juros negativos voltou a ser discutida pelos membros, mas não deve ser aplicada pelo menos até novembro. Também ficou a sensação de que podem elevar o estimulo de compras em mais 100 bilhões de libras. Lembramos que, durante a noite, o BoJ (o BC japonês) também manteve a política monetária inalterada, o mesmo acontecendo com a Indonésia, mantendo juros em 4,0%, e também a África do Sul, com 3,5%.

Nos EUA, a construção de novas residências de agosto encolheu 5,1%, de previsão de queda de 3,1%. Os pedidos de auxílio desemprego também reduziram em 33 mil, ficando em 860 mil, quando o previsto era 875 mil pedidos. A posição de pedidos continuados caiu 916 mil para total de 12,6 milhões, lembrando que aí temos defasagem de mais uma semana. O secretário de Donald Trump, Larry Kudlow, pediu que o Congresso americano aprove estímulos para pequenas empresas e também para escolas.

O Banco Central Europeu (BCE) é que indicou que a estratégia do Fed de trabalhar com inflação média de 2,0% trará influência sobre a postura do BCE. No mercado internacional, o petróleo WTI operava em Nova Iorque com alta de 2,02%, com o barril cotado a US$ 40,97 (esteve ainda mais alto), função da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) estar convocando reunião extraordinária em outubro, para avaliar medidas extras. Já se fala em manter cortes até dezembro para equilibrar oferta e demanda.

O euro era transacionado em leve alta de 0,19%, cotado a US$ 1,184. Os notes americanos de 10 anos trabalhavam com taxa de juros de 0,68%, com comportamento misto na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado na China registrou mais um dia de queda de 1,48%, com a tonelada cotada em US$ 122,36.

No segmento doméstico, a nova lei de saneamento básico ameaça contratos de 60% das empresas estatais que operam no segmento. O relatório Prisma fiscal apontou previsão de déficit primário do governo central em 2020 de R$ 855,3 bilhões, vindo de anterior em R$ 822, 0 bilhões. Para 2021, a previsão passa ser de déficit de 226 bilhões, vindo de R$ 213,9 bilhões. Já a dívida bruta estimada para final do ano estava em 94,55% do PIB.

Ricardo Barros, líder do governo, disse que o programa Renda Brasil depende de desvinculação e desindexação no orçamento e acrescentou que se não aprovarem imposto novo não haverá desoneração da folha de pagamentos. Já o CADE, aprovou a compra do Makro pelo Carrefour sem restrições.

No mercado, o dólar teve dia de queda de 0,17% e a moeda fechou cotada a R$ 5,23. Na Bovespa, na sessão do último dia 15, os investidores estrangeiros voltaram a sacar recursos no valor de R$ 525 milhões, deixando o saldo negativo de setembro em R$ 2,19 bilhões e o ano de 2020 com saídas líquidas de R$ 87,55 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,47%, Paris com -0,69% e Frankfurt com -0,365. Madri e Milão com perdas de respectivamente 0,35% e 1,12%. No mercado americano, o Dow Jones apresentou queda de 0,47%, enquanto a Nasdaq de -1,27%. Na Bovespa, dia de alta de 0,42 e índice em 100.097 pontos. Fomos salvos pelas ações de Vale e Petrobras, além das siderúrgicas.

Na agenda desta sexta, por aqui teremos a segunda prévia do IGP-M de setembro e, nos EUA, o índice de indicadores antecedentes de agosto, a confiança do consumidor de Michigan de setembro e discurso do presidente do Fed de St. Louis, James Bullard.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor