Frente Parlamentar defende incentivos para indústria naval

Uma das principais reivindicações é a volta do conteúdo nacional nos navios adquiridos por empresas como a Petrobras.

A construção naval brasileira chegou a empregar, diretamente, mais de 80 mil trabalhadores no auge da retomada, em 2014. De lá para cá, a Operação Lava Jato e a política de desestímulo à produção nacional levaram o número de empregos diretos a menos de 20 mil.

Nesta quarta-feira, foi lançada a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Indústria Marítima, com 207 deputados e 15 senadores com o objetivo de propor ações de incentivo ao setor. A coordenadora, deputada Professora Dayane Pimentel (PSL-BA), defendeu medidas que aumentem as encomendas de navios nacionais e anunciou que o grupo entraria em contato com o presidente Jair Bolsonaro para pedir incentivos.

O presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), Ariovaldo Rocha, listou algumas medidas para permitir que a indústria brasileira concorra em condições de igualdade com a estrangeira. Uma das principais é a volta do conteúdo nacional nos navios adquiridos por empresas como a Petrobras. “O governo anterior reduziu tal obrigação de 40% para 25%.”

Rocha cita que são necessários uma política de Estado, respeitar a Lei da Cabotagem com navios construídos no Brasil, redução de encargos sobre salário e renegociação das dívidas de investimentos com ativos dos estaleiros.

A indústria naval é fundamental para a retomada do crescimento da economia. Nos anos 1990, o Brasil foi o segundo maior produtor naval do mundo. Hoje, tem 80% dos terminais parados”, acrescentou, em entrevista à Agência Câmara, o deputado Heitor Freire (PSL-CE).

 

Dia do Trabalhador

Pela primeira vez, todas as centrais sindicais – CUT, Força Sindical, CTB, Intersindical, CSP-Conlutas, Nova Central, CGTB, CSB e UGT, além das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo – estarão juntas no ato unificado do 1º de Maio, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, a partir das 10h.

O que une os trabalhadores é a luta contra a reforma da Previdência.

 

O agro que não é pop

Cerca de 70% dos alimentos consumidos pelo brasileiro vêm da agricultura familiar. Calcula-se que o setor seja a base da economia de 90% dos municípios com até 20 mil habitantes. Porém, a força política é do agronegócio, com forte representação no congresso.

Para a agricultura familiar, sobram problemas. O Tribunal de Contas da União analisou três pilares fundamentais para a atividade: assistência técnica e extensão rural, financiamento da produção e comercialização dos produtos.

Os auditores concluíram que a oferta dos serviços de assistência técnica e extensão rural são insuficientes e descontinuadas. Faltam políticas de financiamento da produção de longo prazo, a concessão de crédito é burocrática, e o marco regulatório é mal estruturado. E a venda da produção é prejudicada pelo contingenciamento de recursos no Programa de Aquisição de Alimentos.

Além disso, há riscos de não cumprimento do patamar de 30% de aquisições de produtos da agricultura familiar pelo programa de merenda escolar.

 

Alvo errado

Na média das opiniões dos economistas dos bancos, a reforma da Previdência vai ceifar R$ 600 bi dos aposentados em dez anos. O valor equivale a cerca de uma vez e meia o que o governo paga de juros da dívida por ano. Ou pouco mais da metade do R$ 1 tri gasto na rolagem do débito.

 

Rápidas

As inscrições para o Concurso Público de Admissão ao Colégio Naval (CPACN) começarão em 29 de abril e serão encerradas em 29 de maio, com oferta de 190 vagas. Inscrições: ingressonamarinha.mar.mil.br *** A banca Chenut Oliveira Santiago Advogados, foi admitida no quadro associativo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma) *** O Shopping Jardim Guadalupe promove aulões gratuitos de diversos ritmos, como charme, KPop e hip hop, para adultos e crianças. As atividades acontecem em 28 de abril e 5 e 12 de maio, sempre às 14h. Inscrição: facebook.com/ShoppingJardimGuadalupe *** O Caxias Shopping, em parceria com o SescRJ, apresenta na próxima terça-feira, às 19h30, show com a cantora e compositora Lanna Rodrigues para celebrar o Dia da Baixada *** Campinas sediará o 6º Fórum de Internacionalização de Empresas, sobre os investidores brasileiros que têm interesse em concretizar investimentos no exterior. Será em 30 de abril, no auditório Ciesp Campinas, a partir das 8h. Inscrições: sympla.com.br/6-forum-de-internacionalizacao-de-empresas—edicao-usa-x-brasil__501887

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Como transformar US$ 600 mil em US$ 516 mil

Com ajuda de um banco suíço, claro.

É urgente a revogação da PPI

Federação do Fisco taxa PEC de Bolsonaro de eleitoreira.

Olavo de Carvalho, quem diria, já escreveu no MM

Críticas à ‘Nova Ordem Mundial’, ‘Globo’, ‘Time’ e Garotinho.

Últimas Notícias

Mercados fecham semana marcando volatilidade

Os mercados acionários demonstraram volatilidade nesta sexta-feira e com um comportamento de certa forma incomum, com o Ibovespa se mantendo em trajetória oposta aos...

Varejo online da China faturou US$ 1,58 trilhão no ano passado

As vendas no varejo online de bens físicos da China ultrapassaram a marca de 10 trilhões de iuanes (US$ 1,58 trilhão) em todos os...

ANP avalia padrões de qualidade dos combustíveis

Entre os dias 24 e 27 de janeiro, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou ações de fiscalização no mercado...

Brasil perde 10 posições em índice de direitos de propriedade

O Brasil perdeu 10 posições no Índice Internacional de Direitos de Propriedade 2021 (International Property Rights Index 2021 – IPRI), passando a ocupar a...

Seguro enfrentará desafios com custos e preços

O presidente Sindicato das Seguradoras do Paraná e de Mato Grosso do Sul (Sindseg PR/MS), Altevir Prado, disse que 2021 foi extremamente desafiador e...