Frente Parlamentar defende incentivos para indústria naval

Uma das principais reivindicações é a volta do conteúdo nacional nos navios adquiridos por empresas como a Petrobras.

A construção naval brasileira chegou a empregar, diretamente, mais de 80 mil trabalhadores no auge da retomada, em 2014. De lá para cá, a Operação Lava Jato e a política de desestímulo à produção nacional levaram o número de empregos diretos a menos de 20 mil.

Nesta quarta-feira, foi lançada a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Indústria Marítima, com 207 deputados e 15 senadores com o objetivo de propor ações de incentivo ao setor. A coordenadora, deputada Professora Dayane Pimentel (PSL-BA), defendeu medidas que aumentem as encomendas de navios nacionais e anunciou que o grupo entraria em contato com o presidente Jair Bolsonaro para pedir incentivos.

O presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), Ariovaldo Rocha, listou algumas medidas para permitir que a indústria brasileira concorra em condições de igualdade com a estrangeira. Uma das principais é a volta do conteúdo nacional nos navios adquiridos por empresas como a Petrobras. “O governo anterior reduziu tal obrigação de 40% para 25%.”

Rocha cita que são necessários uma política de Estado, respeitar a Lei da Cabotagem com navios construídos no Brasil, redução de encargos sobre salário e renegociação das dívidas de investimentos com ativos dos estaleiros.

A indústria naval é fundamental para a retomada do crescimento da economia. Nos anos 1990, o Brasil foi o segundo maior produtor naval do mundo. Hoje, tem 80% dos terminais parados”, acrescentou, em entrevista à Agência Câmara, o deputado Heitor Freire (PSL-CE).

 

Dia do Trabalhador

Pela primeira vez, todas as centrais sindicais – CUT, Força Sindical, CTB, Intersindical, CSP-Conlutas, Nova Central, CGTB, CSB e UGT, além das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo – estarão juntas no ato unificado do 1º de Maio, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, a partir das 10h.

O que une os trabalhadores é a luta contra a reforma da Previdência.

 

O agro que não é pop

Cerca de 70% dos alimentos consumidos pelo brasileiro vêm da agricultura familiar. Calcula-se que o setor seja a base da economia de 90% dos municípios com até 20 mil habitantes. Porém, a força política é do agronegócio, com forte representação no congresso.

Para a agricultura familiar, sobram problemas. O Tribunal de Contas da União analisou três pilares fundamentais para a atividade: assistência técnica e extensão rural, financiamento da produção e comercialização dos produtos.

Os auditores concluíram que a oferta dos serviços de assistência técnica e extensão rural são insuficientes e descontinuadas. Faltam políticas de financiamento da produção de longo prazo, a concessão de crédito é burocrática, e o marco regulatório é mal estruturado. E a venda da produção é prejudicada pelo contingenciamento de recursos no Programa de Aquisição de Alimentos.

Além disso, há riscos de não cumprimento do patamar de 30% de aquisições de produtos da agricultura familiar pelo programa de merenda escolar.

 

Alvo errado

Na média das opiniões dos economistas dos bancos, a reforma da Previdência vai ceifar R$ 600 bi dos aposentados em dez anos. O valor equivale a cerca de uma vez e meia o que o governo paga de juros da dívida por ano. Ou pouco mais da metade do R$ 1 tri gasto na rolagem do débito.

 

Rápidas

As inscrições para o Concurso Público de Admissão ao Colégio Naval (CPACN) começarão em 29 de abril e serão encerradas em 29 de maio, com oferta de 190 vagas. Inscrições: ingressonamarinha.mar.mil.br *** A banca Chenut Oliveira Santiago Advogados, foi admitida no quadro associativo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma) *** O Shopping Jardim Guadalupe promove aulões gratuitos de diversos ritmos, como charme, KPop e hip hop, para adultos e crianças. As atividades acontecem em 28 de abril e 5 e 12 de maio, sempre às 14h. Inscrição: facebook.com/ShoppingJardimGuadalupe *** O Caxias Shopping, em parceria com o SescRJ, apresenta na próxima terça-feira, às 19h30, show com a cantora e compositora Lanna Rodrigues para celebrar o Dia da Baixada *** Campinas sediará o 6º Fórum de Internacionalização de Empresas, sobre os investidores brasileiros que têm interesse em concretizar investimentos no exterior. Será em 30 de abril, no auditório Ciesp Campinas, a partir das 8h. Inscrições: sympla.com.br/6-forum-de-internacionalizacao-de-empresas—edicao-usa-x-brasil__501887

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Taxa de carbono vai custar quase € 800 mi à Turquia

Os exportadores turcos de produtos com alto consumo de energia, como cimento, aço e alumínio, poderão enfrentar custos adicionais exorbitantes quando as propostas legislativas...

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado de TI é alavancado pela pandemia

Tetris IT, empresa que desenvolve projetos de inovação digital, cresceu 300% em 2020.

Ações da ClearSale valorizam mais de 20% na estreia na B3

A ClearSale (ticker CLSA3) concluiu nesta sexta-feira a sua oferta pública inicial (IPO) na B3. A oferta movimentou R$ 1,3 bilhão sendo que, apenas...

Edital da Oferta Permanente inclui 377 blocos

A Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP) publicou nesta sexta-feira nova versão do edital da Oferta Permanente, com a inclusão de 377...

Multa de R$ 500 mil para ‘fake’ sobre eleição

Uma multa de R$ 500 mil, caso repita as manifestações que questionem os últimos pleitos presidenciais realizados no país, faz parte uma ação que...

Bacia de Campos recua com redução drástica de investimentos

A Bacia de Campos, atualmente a segunda maior região produtora de petróleo do Brasil, registrou em junho a sua menor produção média dos últimos...