Fria Suíça reflete clima quente no Brasil

Discurso irrelevante e fuga de entrevistas reforça tese de tensões internas no governo.

A participação brasileira em Davos foi alvo de críticas da esquerda e da direita. A primeira centrou fogo no despreparo e na falta de visão mundial do Governo Bolsonaro. A segunda, pragmática, cobrou compromissos com as reformas tão necessárias para colocar mais dinheiro no cassino mundial.

O discurso do presidente do Brasil não foi apenas curto; foi irrelevante, esquivando-se de compromissos que, esperava a banca mundial, Jair Bolsonaro assumiria em sua estreia nos salões acarpetados. Os motivos podem ser especulados. O cancelamento de entrevistas nesta quarta-feira, não só do presidente, mas também de seus dois homens fortes – Sérgio Moro e Paulo Guedes – reforça a tese de tensões internas.

O ministro da Economia se esforçou para que a delegação chegasse à Suíça com uma proposta de reforma da previdência alinhavada. O lado mais pragmático do governo entendeu que seria um risco apresentar abertamente um plano aos financistas em meio a uma tumultuada composição no Congresso Nacional.

Além disso, Jair Bolsonaro está cada vez mais próximo das denúncias contra o filho Flávio, que passaram do terreno das práticas habituais do baixo clero para lavagem de dinheiro e ligação com a milícia. Tudo isso aprofunda a disputa interna, em que, por um lado, o presidente se vê obrigado a se escorar ainda mais na dupla que lhe dá sustentação, mas, por outro, fica enfraquecido no campo político para avançar em reformas antipopulares. O resultado dessa equação ditará as próximas semanas do governo.

 

Reprovado

Não se pode responsabilizar o Governo Bolsonaro pelos problemas no acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu); o débito vai para a conta do Governo Temer. Mas cabe aos atuais dirigentes resolver a questão que está deixando milhares de estudantes precocemente de cabelos brancos.

Através do Sisu se tem acesso às universidades públicas – onde o ensino, em geral, é melhor, além de ser gratuito. O site de inscrição está praticamente fora do ar, provavelmente por conta da mudança na forma de divulgação das notas mínimas feita pelo Ministério da Educação (MEC).

A reação do MEC segue o script: primeiro, negação do problema; depois, culpa-se os estudantes. Nota distribuída pelo Ministério diz que “a instabilidade foi causada por um grande volume de acessos espontâneos na rede do MEC. O sistema, que nas edições anteriores, recebia de 25 a 30 mil acessos simultâneos, registrou hoje picos de até 350 mil acessos simultâneos”.

Recomenda-se passar logo à fase seguinte: reconhecer a besteira feita e adiar o prazo de inscrição. Empurrar com a barriga só prolonga a agonia dos estudantes e aumenta o desgaste dos dirigentes.

 

Em branco

Nos planos de ação de 100 dias e de 180 dias do Governo Wilson Witzel não são mencionadas, uma única vez, as palavras “milícia” e “tráfico”.

 

Rápidas

O primeiro almoço com empresário de 2019 da Associação Comercial do Rio de Janeiro será 12 de fevereiro, com o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, com o tema “Desafios para o Brasil” *** A Trevisan Escola de Negócios anuncia a contratação de VanDyck Silveira, ex-presidente do Grupo Ibmec, para o cargo de CEO *** Neste sábado, das 16h às 20h, o Shopping Grande Rio faz mais uma edição da ação integrada junto ao Sesc RJ, com atividades e serviços gratuitos *** A Marinha abriu concurso de admissão às Escolas de Aprendizes-Marinheiros. As inscrições poderão ser feitas, até 13 de fevereiro, em www.ingressonamarinha.mar.mil.br *** Nesta quinta, Dia Nacional do Aposentado, o Instituto Defesa Coletiva e o Procon-BH lançam o projeto Crédito Consciente para Idosos. A partir das 10h, haverá exibição gratuita, no Cine Santa Tereza, do filme Covardia Capital, que apresenta casos reais de superendividamento de idosos. Inscrições: (31) 3024-6091 *** O Center Shopping Rio promoverá, no sábado, a partir das 15h, o circuito de atividades Agita Kids *** Nesta quinta-feira, o Shopping Nova Iguaçu recebe em seu palco a cantora Maira Hench, a partir das 19h30 *** O Grupo Quabales, de jovens percussionistas da Bahia, e o maestro Marcelo Ghelfi, acompanhado de orquestra, participam do Projeto Batuque Sinfônico, dia 25, como parte da Programação Cultural do Aniversário de São Paulo, na esquina mais famosa da cidade: a Ipiranga com a São João, a partir das 16h *** A rede de franquias YES! Idiomas é uma das patrocinadoras do Campeonato Carioca.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

TSE forma maioria contra cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

PT, PCdoB e PROS pedem cassação da chapa por cometimento de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

IGP-M acumula inflação de 21,73% em 12 meses

Alta da taxa de setembro para outubro foi puxada pelos preços no atacado.

Mirando agora na PEC dos Precatórios

Ultrapassada a decisão do Copom, investidores vão mirar na avaliação da PEC cheia de 'jabutis' que ainda não foram retirados.

Funcionalismo público: críticas e realidade da categoria

Por Relly Amaral Ribeiro.

Scheer Churrasqueiras dobra vendas na pandemia

Empresa lançou 25 itens em sua linha residencial.