Funciona

Fruto da falta de investimentos dos últimos anos, a idade média das máquinas no Brasil está em torno de 16 anos. Para o presidente da Associação Brasileira de Manutenção (Abraman), Joubert Fortes Flores Filho, a situação exige um reforço da área de manutenção, que passa a ser responsável não mais pelos reparos, mas pela garantia dos sistemas funcionando de maneira segura e confiável. Nos últimos oito anos, a melhora da disponibilidade operacional “apresentou um crescimento médio de 7%, o que representa um valor de aproximadamente 91% atualmente. É a manutenção voltada para o negócio”, destaca o presidente da Abraman. As empresas aplicam em manutenção mais de 4% de seu faturamento, no Brasil e no mundo.

Martelo
O prédio do Banco do Brasil da Rua Senador Dantas, 105, no Centro do Rio, vai a leilão hoje. São 42 pavimentos e um prédio-garagem anexo com 30 pavimentos (360 vagas). São 124 salas que serão apregoadas uma a uma pelo leiloeiro Acir Joaquim da Costa. O preço mínimo chega perto dos R$ 90 milhões. O leilão começa às 13h, no átrio do Fórum (Av. Erasmo Braga, 115).

Municipal
O Ibmec São Paulo realizará na próxima terça-feira debate sobre “A importância do Legislativo municipal e os problemas da Cidade de São Paulo”. No ringue estarão os candidatos à Câmara Municipal de São Paulo Nabil Bonduk, do PT, e José Aníbal, do PSDB. O evento começa às 17h30 e na Rua Maestro Cardim, 1170, Paraíso.

Roucos
Segunda maior causa de licenças médicas entre funcionários do Município do Rio de Janeiro atrás apenas das doenças psiquiátricas – e primeira entre professores da rede municipal, a disfonia – ou simplesmente rouquidão – tira cerca de 1.200 mestres das salas de aula todos os anos. A prevenção de patologias no trabalho é o tema da palestra que Maria do Carmo Gargaglione, coordenadora do Programa de Saúde Vocal da Prefeitura, apresenta no 1º Congresso Científico Brasileiro de Reabilitação, na Associação Pestalozzi de Niterói. O congresso acontece de 15 a 18 de setembro.

Deseducar é…
O impedimento da Justiça da Irlanda à viagem do sacripanta Cornelius Horan, que, com passagem paga pela produção do Fantástico, viria ao Brasil supostamente pedir desculpas ao maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, cuja vitória impediu em Atenas, não livrou o jornalismo tupiniquim apenas de mais um mau momento. Serviu para reforçar a série “Por que o Conselho Federal de Jornalismo causa calafrios em setores da mídia nacional”.

Deseducar é II…
Na mesma série se pode inscrever o tipo de cobertura da TV brasileira à cerimônia de casamento do filho do sultão do Brumei. Num mundo em que 1 bilhão de pessoas passa fome, nem o deslumbramento mais deslocado pode explicar o tratamento de “a vida dos famosos” que a TV destinou a uma efeméride que consumou declarados US$ 5 milhões. E ainda tem gente que finge ignorar o caldo de cultura que alimenta o nascimento dos Bin Laden.

Espetáculo
A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) realiza na segunda-feira, às 11h, o seminário A Hora do Investimento, reunindo empresários do porte de Roger Agnelli (Vale do Rio Doce), Olavo Monteiro de Carvalho (Grupo Monteiro Aranha) e Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira (presidente da Firjan). Serão discutidos temas para a retomada do crescimento da economia, como questões tributárias, redução da burocracia, financiamento, e estímulo à inovação tecnológica.

Na TV
Os passageiros de trem da Central do Brasil vão ter mordomia similar à dos aeroportos. A SuperVia, concessionária de trens urbanos do Rio de Janeiro, implantou monitores eletrônicos de informações sobre os horários de chegada e partida dos trens. Saber qual trem vai para que lugar e quando sempre foi um dos problemas dos passageiros da Central. Agora, só fica faltando a voz da Íris Letieri.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAcabou o barato
Próximo artigoNu & faminto

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.