Fundo brasileiro financiará emprego no exterior

O Projeto de Lei 4.199, conhecido como BR do Mar, enviado pelo governo ao Congresso, abre a possibilidade de financiamento a estaleiros estrangeiros, via Fundo da Marinha Mercante (FMM), para a produção de embarcações no exterior, em detrimento da indústria naval nacional. Sim, isso mesmo. Mais um escândalo antinacional vindo do governo do “Brasil acima de tudo”.

Quem esclarece a ação pró estrangeiros são o engenheiro naval Nelson L. Carlini e o advogado e jornalista Nilson Mello: “O PL 4.199 não estabelece expressamente essa alternativa. Contudo, na prática é o que indiretamente aconteceria, na medida em que a essas empresas com sede no Brasil, mas controladas por matriz no exterior, seria dado acesso ao Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM).”

O PL autoriza a importação sem restrições (isenção) de um navio, mas a matriz poderá criar quantas subsidiárias considerar convenientes para transferir para o Brasil a quantidade de navios que entender necessária à sua operação na cabotagem. Ao mesmo tempo, a matriz no exterior poderá construir embarcações em outros países, uma vez que tem colocação assegurada para as suas embarcações usadas: o mercado brasileiro de cabotagem”, prosseguem os especialistas.

Na prática, como essa “triangulação”, essas subsidiárias passam a fazer jus aos recursos do AFRMM, tributo pago por importadores e que é destinado à quitação do financiamento do Fundo da Marinha Mercante (FMM), teoricamente, usado na construção de embarcações em estaleiros brasileiros.

No caso do segmento de contêineres, por exemplo, esses recursos seriam suficientes para a matriz amortizar ou quitar o financiamento usado para pagar navios produzidos em outros países. Na prática, é o que ocorrerá”, frisam Carlini e Mello.

Um aspecto ainda mais controverso é que, no caso de origem ou destino Norte e Nordeste, o AFRMM não é pago à empresa de navegação pelo dono da carga (embarcador), mas na forma de ressarcimento do Fundo de Marinha Mercante (FMM). Isto significa que o navio afretado, construído no exterior, fará jus ao recebimento de recursos originalmente destinados a pagamento de financiamentos para construção no Brasil”, finalizam os especialistas.

 

Curinga

Joe Biden, o postulante democrata à Casa Branca, não é um exemplo de carisma. Suas pauta e campanha bem pro establishment também não empolgam. Sobra então para a candidata a vice, senadora Kamala Harris, catalisar a emoção dos eleitores.

Estudo conduzido pela startup finlandesa NayaDaya, especialista em comportamento nas redes, em conjunto com a empresa de pesquisas de mercado online YouGov e a alemã Statista, mostra que Kamala desperta as mais positivas e engajadoras emoções: orgulho, admiração e interesse.

Em geral, os cidadãos norte-americanos parecem votar para evitar o resultado indesejável, mas quanto a Harris, os partidários dos democratas estão realmente inspirados por sua eleição real. Do ponto de vista emocional, ela é a estrela dos democratas”, diz Timo Salomäki, chefe de crescimento global da NayaDaya.

Harris é uma espécie de curinga no jogo presidencial dos EUA altamente emocional”, completa Timo Järvinen, CEO da startup.

 

Pejorativo

Rodrigo Constantino, na Gazeta do Povo: “A Universal é o grupo evangélico mais pragmático, no sentido pejorativo do termo. Como o PMDB.” Pra ir trabalhar na Record, Rodrigo Constantino foi pragmático, no sentido pejorativo do termo? Como o PMDB?

 

Rápidas

A MedRio Check-up recebe nesta segunda-feira a ginecologista Claudia Jacyntho, que vai falar sobre prevenção ginecológica. A palestra faz parte da série Encontro Científico com a Prevenção, que a clínica realiza pelos seus 30 anos *** Aasp realizará nestaa segunda-feira, às 9h, o webinar “Análise de litígio constitucional estratégico no STF”. Inscrições aqui *** Em 9, 10 e 11 de outubro, acontecerá a maratona de inovação Hacking.Rio, totalmente gratuita e online. Os especialistas da Provider IT farão parte do júri que avaliará as soluções para alguns segmentos como o de Indústria 4.0 *** A Jornada das Finanças Pessoais, curso de Educação Financeira gratuito e aberto, acontece em outubro e novembro, em sete encontros semanais de uma hora e meia. Promovido pelo Fecap, em parceria com a Ação Jovem, o evento está com inscrições abertas até 17 de novembro.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

‘Eu quero uma casa no campo…’

Êxodo urbano: mais de 1,3 milhão de famílias brasileiras pretendem migrar para áreas rurais.

Direita vence no Equador

Banqueiro Guillermo Lasso vence socialista Andrés Arauz no segundo turno da eleição.

Mercados internacionais abrem com cautela

Enquanto isso acontece lá fora, aqui Ibovespa ensaia leve alta.

Semana começando sob tensão

Desde a semana passada, segue a novela do Orçamento.

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.