Fundo poderá ter até R$ 1,2 bi para atrair negócios no Brasil

BNDES aportará 25% desse total, R$ 300 milhões.

Mercado Financeiro / 01:19 - 7 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a subscrição de até R$ 300 milhões no fundo de investimento em participações ALAOF V Brasil, que terá como foco de investimento prioritário empresas de médio porte. O valor efetivamente aplicado pelo BNDES está limitado a 25% do total subscrito no fundo que poderá atingir, com a participação de outros investidores institucionais, um total de até R$ 1,2 bilhão.

Estima-se que o fundo deve apoiar os negócios de quatro a seis empresas brasileiras, com potencial de geração de empregos no país – o que reforça a importância de mais esse canal de acesso a recursos durante a crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus”, reportou nesta segunda-feira o banco de fomento.

Gerido pela Alaof do Brasil, gestora do grupo Acon Investments no Brasil, o Alaof V Brasil foi um dos quatro fundos de private equity selecionados por meio de chamada multissetorial realizada pelo BNDES em dezembro de 2018. A gestora conta na sua base de investidores institucionais com instituições financeiras e agências de desenvolvimento internacionais, dentre outros, e tem focado seus investimentos em empresas de médio porte de diversos setores que tenham bom potencial de crescimento, mas que demandam aporte de capital para alavancar os negócios.

O fundo estuda selecionar entre quatro e seis empresas promissoras que precisem de recursos para ganhar tração. Além dos aportes financeiros – que devem variar entre cerca de R$ 80 milhões e R$ 300 milhões em cada negócio –, a gestora agregará sua expertise exercendo influência sobre as principais decisões operacionais, financeiras e estratégicas das empresas, a fim de gerar mais valor para elas. A gestora também buscará implementar níveis internacionais de compliance, transparência e responsabilidade socioambiental nas companhias apoiadas.

 

Duração

 

De acordo com o BNDES, o fundo deverá ter duração de 10 anos – com possibilidade de prorrogação por mais dois – e o período de investimento poderá durar entre cinco e sete anos. Após esse tempo, o fundo terá um período dedicado a gerir e eventualmente se desfazer de suas participações, remunerando o BNDES e os demais cotistas.

O fundo buscará investir principalmente em empresas de médio porte de diferentes setores, como saúde, educação, farmacêutico, consumo e varejo, tecnologia e gestão de resíduos, entre outros.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor