Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A decisão, por unanimidade, foi divulgada no informativo da Reunião do Colegiado nº48 de 30 de novembro de 2021.
Para que os programas sejam abertos aos fundos, a B3 terá que adaptar seus Regulamentos e Manuais. Após realizadas todas as adequações regulatórias, a bolsa deverá abrir vagas para que fundos se credenciem nos programas disponíveis atualmente apenas para corretoras, bancos e não-residentes.
“Atualmente, a indústria de fundos é uma das principais provedoras autônomas de liquidez em diversos ativos do mercado de capitais. Essa decisão dá a possibilidade de que os fundos em geral, além de colaborarem com a liquidez de mercado, também possam usufruir de benefícios concedidos pela B3 aos formadores de mercado”, afirma Luís Kondic, diretor-executivo de Produtos e Dados da B3.
O formador de mercado é uma instituição cadastrada na B3 que se compromete a manter ofertas de compra e venda de forma regular e contínua durante a sessão de negociação, fomentando a liquidez dos valores mobiliários, facilitando os negócios e mitigando movimentos artificiais nos preços dos produtos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.