Futuro da humanidade em jogo

Não há como ser contra uma adolescente obstinada que diz “vocês roubaram meus [que pode ser entendido como nossos] sonhos”. Mas, como lembra o ditado, para todo problema complexo existe uma solução simples, porém equivocada.

Greta Thunberg, acreditamos, é sincera. O grito de alerta ecoou em boa parte do mundo, e as mobilizações na última sexta-feira foram expressivas – mais de 4 milhões em todo o mundo, avalia-se. Achar que o mundo estará salvo se andarmos de bicicleta, deixarmos os aviões no chão e pararmos de comer carne para reduzir pum de vaca seria ingênuo mesmo para uma jovem de 16 anos.

Não se trata aqui de discutir aquecimento global. Trata-se de debater o futuro da humanidade, e este está ameaçado por um fator que não se discute: a extrema elevação da desigualdade. Atacar esse fato permitirá descortinar novos passos. Sem voluntarismo.

 

Poço de dados

A valorização de mercado das empresas que fazem uso intensivo da dados – como Alphabet (Google), Alibaba e Facebook – ultrapassou, entre o final de 2014 e o início de 2017, a média das empresas do S&P 500. Alguns se perguntam se os dados seriam o novo petróleo, pontua o Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

Cadê a concorrência?

Monopólios, privados ou públicos, são um convite à ineficiência. Os segundos, ao menos, contam com algum controle da sociedade. Mas uma empresa privada monopolista, fiscalizada pelas complacentes agências reguladoras brasileiras, é um convite ao desprezo pelo cliente.

A italiana Enel, que assumiu algumas distribuidoras pelo Brasil, como Eletropaulo e Ampla (ex-Cerj), procura direcionar qualquer atendimento para o site. Até aí, tudo bem. O problema é que ele não funciona. Quase sempre, trava sem dar uma mensagem de erro ou qualquer satisfação.

Se o consumidor tenta o telefone, a via crucis continua. Após digitar o número de cliente, o atendente virtual pede para discar 1 (confirmar) ou 2 (digitar novamente). O pato que disca 1 é devolvido ao sistema, que pede para digitar tudo novamente. Se disca 2, aí o atendimento prossegue (pegadinha). Por pouco tempo. Ao ser atendido por alguém vivo, o cliente descobre que terá que enfrentar fila na agência física para conseguir uma simples 2ª via da conta.

Para não ficar só na Enel, outro exemplo: a EcoPonte, que explora a Ponte Rio–Niterói, recentemente deixou seu site fora do ar para manutenção por dois dias. Quem queria saber o trânsito na estrada, ficava sem informação. Bem, mesmo quando está no ar, o site peca por informações incompletas ou erradas. Não são poucas as vezes em que fala que o tráfego está ruim, quando as câmeras mostram que está bom, e vice-versa.

 

Jogo de planilha

O Tribunal de Contas da União garante que a revisão de contratos de obras em rodovias do Paraná já economizou mais de R$ 458 milhões. O TCU determinou ao Dnit a reavaliação de todos os contratos firmados no âmbito do BR-Legal devido a indícios de “jogo de planilha” nos orçamentos apresentados pela empresa vencedora de licitação para execução de obras em rodovias federais do Paraná.

Teria sido apresentada proposta para executar os serviços em 617,2 quilômetros, mas efetivamente apenas 474 quilômetros seriam realizados. As avaliações abrangem as BRs 158, 272, 369, 373 e 487. Os valores suprimidos referem-se a 57 dos 109 contratos repactuados ou rescindidos. O TCU mandou o Dnit continuar a fazer as revisões.

 

Terrorista

Há 2 meses o governado do Rio, Wilson Witzel, disse que mostraria provas da ligação entre o Hezbollah e traficantes do Rio. Nada. Como ex-juiz federal, Witzel deveria ter apreço pelas provas. Ou não. Considerando o histórico da Lava Jato, convicções bastam.

 

Rápidas

O advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça, participa nesta terça-feira, às 9h, de audiência pública da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal. O ministro abordará a atuação da AGU na defesa judicial e viabilização de políticas públicas de infraestrutura *** O Passeio Shopping recebe dia 28 a “Tarde Dançante com Helô Reis” *** O projeto Ponto de Leitura, do Sesc, estará no Caxias Shopping neste sábado, das 14h às 18h *** A Align Technology terá curso de credenciamento no Rio de Janeiro para os ortodontistas que desejam trabalhar com Invisalign. A capacitação acontecerá nestas quinta e sexta-feira.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Na pandemia, BNDES vendeu ações que agora valem o dobro

Em nove meses, banco perdeu R$ 8 bi só em 1 operação.

Desigualdade, Big Tech e EUA são maiores ameaças à democracia

7 em 10 chineses avaliam que seu país vai bem na questão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.

Dia começando ruim nos mercados globais

Ontem, os mercados abertos na parte da tarde desaceleraram, com o Dow Jones fechando em queda de 0,10%.