Gasolina e etanol avançaram acima de 10% em março

De acordo com o último Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o etanol apresentou aumento de 17,97% nos preços em março, na comparação com fevereiro. Com isso, o combustível passou a ser comercializado pelo valor médio de R$ 4,599 o litro. Já a gasolina se aproxima de R$ 6: após aumento de 12,06% neste mês, o preço médio do combustível foi de R$ 5,717.

“Ao comparar o preço da gasolina em março com o registrado em dezembro, é possível notar uma trajetória de aumentos consecutivos ao longo dos levantamentos feitos nesses primeiros meses do ano, que resultaram em um valor médio por litro 22% maior. Se a mesma comparação for feita com o etanol, o aumento no período passa de 24%”, destaca Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

O levantamento realizado na primeira quinzena de março já apontava que o etanol havia superado a marca de R$ 4. Com o fechamento do mês, o combustível foi encontrado pelo valor médio mais alto na Região Sul, a R$ 4,774. O preço mais baixo esteve no Centro-Oeste, a R$ 4,412.

Já a gasolina apresentou o cenário oposto: enquanto o preço médio mais caro para o combustível foi registrado na Região Centro-Oeste, a R$ 5,800, o mais barato esteve no Sul, a R$ 5,528. “Para ambos os combustíveis, a Região Sudeste apresentou o maior aumento dos preços. O etanol avançou 21,47% nos postos, e a gasolina, 13,14%”, aponta Pina.

No recorte entre estados, o Acre segue com a gasolina mais cara do país. Após aumento de 12,44% nos preços, o combustível foi comercializado a R$ 6,166 o litro. Também no Norte, o Amapá manteve a gasolina mais barata, a R$ 5,285, após o preço médio avançar 14,87%. A maior alta foi registrada em Roraima, de 15,69%.

O preço médio mais baixo do etanol foi encontrado em São Paulo, de R$ 3,904. O valor está 20,94% acima do registrado em fevereiro. Já o Rio Grande do Sul apresentou o combustível mais caro, a R$ 5,323, após aumento de 17,20%.

“Ambos os estados que registram o menor e o maior valor para o preço do etanol apresentam avanços significativos nos preços, mas foi o Distrito Federal que teve a maior alta, de 23,59%”, pontua Pina.

Já o diesel registrou novo aumento no preço médio: na comparação com o mês anterior, o valor médio por litro do combustível avançou 9,39% e foi encontrado a R$ 4,487. Ao considerar o primeiro trimestre de 2021, o preço aumentou 16,80%.

“Trata-se da quinta alta consecutiva do diesel. Desde outubro, quando o levantamento registrou o último recuo na comparação mensal, o preço médio do combustível avançou 21,82%”, pontua Douglas Pina.

O diesel S-10, que também registra aumento nos preços desde outubro do ano passado, apresentou valor médio por litro de R$ 4,539 em março, após alta de 8,95% em relação a fevereiro. O combustível avançou 16,44% no trimestre.

No comparativo entre as regiões, os maiores aumentos de preços em março foram registrados no Centro-Oeste. O diesel comum avançou 9,80% e foi comercializado nos postos da Região a R$ 4,517. Já o diesel S-10 teve alta de 9,24%, e foi encontrado a R$ 4,585. Os maiores preços foram encontrados na Região Norte, onde o diesel comum foi comercializado pelo valor médio de R$ 4,745, e tipo S-10, de 4,793. Nos postos da Região, os aumentos foram de 9,58% e 9,01%, respectivamente. Já o Sul apresentou os combustíveis mais baixos: nos postos sulistas, o tipo comum registrou preço médio de R$ 4,129, após aumento de 9,23%, e diesel S-10, de R$ 4,168, com alta de 8,65% na comparação com fevereiro.

No recorte entre estados, o Acre teve os combustíveis mais caros em março, e o Paraná apresentou os valores mais baixos. Os maiores aumentos foram registrados em Roraima, de 12,91% para o diesel comum, e 12,29% para o S-10. Nos postos do Acre, o diesel foi comercializado pelo preço médio de R$ 5,336, e o diesel S-10, de R$ 5,279. Já os valores médios por litro dos combustíveis no Paraná foram registrados a R$ 4,100 (tipo comum), e R$ 4,124 (tipo S-10).

Leia também:

Doria: ‘Brasil vive a sua pior imagem internacional de toda história’

Suspensa regra que prorroga patentes de materiais de saúde

 

Artigos Relacionados

Aprovada entrega do IRPF até 31 de julho

Prazo atual é 31 de maio. Texto segue para sanção de Bolsonaro.

Jornalista agora pode ser MEI

Senado tentou incluir corretor de imóveis, publicitários e produtores culturais no projeto.

STF decide julgar no plenário a anulação de sentença de Lula

Julgamento prossegue nesta quinta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Jornalista agora pode ser MEI

Senado tentou incluir corretor de imóveis, publicitários e produtores culturais no projeto.

STF determina reintegração de excluídos do Bolsa Família

Ministro Marco Aurélio avaliou que Governo Federal estava descumprindo determinação.

Preços dos medicamentos voltam a subir em março

Segundo levantamento, resultado reflete agravamento da pandemia, colapso das unidades de saúde e depreciação cambial.

Planos devem autorizar exame de Covid de forma imediata

Antes da determinação da ANS, os planos podiam demorar até três dias úteis para garantir o atendimento ao pedido.

Cresce demanda árabe por café verde e solúvel do Brasil

No primeiro trimestre deste ano, país exportou 37% mais café à região; além dos grãos verdes, crus, países têm demandado mais produto solúvel.