Gasolina registra terceira alta seguida e inicia maio a R$ 7,55

Etanol fecha o período a R$ 6,15, alta de 3,69% em relação a abril, e não registra recuo em nenhuma região do país.

Dados do último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), referente aos primeiros dias de maio, apontam que o litro da gasolina comercializado nos postos de abastecimento do país, registrou alta de 0,70% no preço e fechou o período a R$ 7,55. Já o etanol continua registrando altas mais expressivas e fecha os primeiros dias do mês a R$ 6,15, valor 3,69% mais caro, se comparado ao fechamento do mês anterior. Apenas cinco estados de duas regiões brasileiras apresentaram baixa no preço da gasolina. No Nordeste, o Rio Grande do Norte registrou redução de 1,28% no preço do combustível; Pernambuco de -0,51%; o Maranhão de -0,21%; e Alagoas de -0,13%. A Região Norte também apresentou baixa no preço, porém somente no Tocantins de -0,12%. Na média para a respectiva região o cenário foi de alta de 0,65% no preço do combustível.

Apesar dos recuos listados, a gasolina que segue liderando com o maior preço médio do país é comercializada nas bombas de abastecimento do Nordeste, a R$ 7,63, alta de 0,66%. A análise da menor média para esse combustível repetiu resultados anteriores e foi registrada na Região Sul, com o litro a média de R$ 7,21.

Já o etanol não apresentou recuo no preço médio em nenhuma região e o litro mais caro deixou de ser comercializado nos postos do Norte, como ocorreu no fechamento de abril, e passou a ser registrado no Sul neste início de mês, a R$ 6,35, alta de 3,91%. O litro mais barato para o etanol foi novamente encontrado nos postos do Centro-Oeste, a R$ 5,75.

No recorte por estado, a Bahia volta ao topo do maior aumento do país para a gasolina (5,16%), que passou de R$ 7,36 para R$ 7,74. A maior média continua sendo comercializada nos postos de abastecimento do Piauí, a R$ 8,17, alta de 0,29%. Já a menor média foi encontrada no Rio Grande do Sul, a R$ 7,02.

Não houve redução no preço do etanol em nenhum estado brasileiro e a alta mais expressiva, que no mês passado foi encontrada nos postos de São Paulo, desta vez foi registrada no Ceará, com valor 9,56% mais caro, que passou de R$ 6,13 para R$ 6,71. O litro mais caro para o etanol foi comercializado no Pará, a R$ 6,76, com alta de 1,17%; e o mais barato em São Paulo, a R$ 5,20.

Quanto ao diesel, após 60 dias, a Petrobras anunciou na última segunda-feira um novo aumento de 8,87% no preço do combustível para as distribuidoras. Com esse repasse, o preço do diesel nos postos brasileiros subiu 3,2% na última semana, atingindo um novo recorde desde 2004, quando a pesquisa semanal de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) começou a ser realizada.

Segundo a pesquisa da ANP, o preço médio do diesel atingiu R$ 6,847 por litro, valor que ultrapassa em 2,9% o recorde anterior atingido na semana de 19 de março, após os grandes aumentos realizados pela Petrobras. Em 12 estados, o preço médio do combustível já passa de R$ 7 por litro. A média estadual mais alta foi verificada no Acre: R$ 8,067 por litro.

Leia também:

Gasolina no Sudeste chega a R$ 7,497

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Geladeiras devem exibir nova etiqueta de eficiência

Comércio varejista tem prazo até 30 de junho de 2023 para continuar vendendo os produtos com a etiqueta antiga.

Mercado pet deve crescer 14% em 2022

Chile é o país que mais importou produtos pets brasileiros no primeiro trimestre; setor prevê novas exportações neste ano.

FGTS vira moeda do governo para movimentar a economia

Atualização monetária das contas do Fundo não acontece e trabalhador continua no prejuízo.

Últimas Notícias

Geladeiras devem exibir nova etiqueta de eficiência

Comércio varejista tem prazo até 30 de junho de 2023 para continuar vendendo os produtos com a etiqueta antiga.

Mercado pet deve crescer 14% em 2022

Chile é o país que mais importou produtos pets brasileiros no primeiro trimestre; setor prevê novas exportações neste ano.

FGTS vira moeda do governo para movimentar a economia

Atualização monetária das contas do Fundo não acontece e trabalhador continua no prejuízo.

EUA: tiroteio em escola bate maior número em 20 anos

Segundo relatório, houve apenas 23 incidentes com vítimas fatais durante o ano letivo de 2000/2001.

Bebidas Online busca captar R$ 2 milhões com pessoas físicas

Com crescimento projetado de 19% para 2022, startup de delivery de bebidas usará recursos nas áreas de marketing, desenvolvimento de produtos e expansão do time