Gasolina sobe 9,95%; etanol passa de R$ 4 nas primeiras semanas do mês

Já preço do diesel avança 8,55% nas primeiras semanas de março; valor médio do litro foi de R$ 4,452 nos postos.

De acordo com o último Índice de Preços Ticket Log (IPTL), a gasolina apresentou aumento de 9,95% nos preços nas duas primeiras semanas de março, em relação ao fechamento de fevereiro. O valor médio do litro do combustível, de R$ 5,609, foi o maior registrado desde o início do ano. Já o preço médio do álcool avançou 14,77% na comparação com fevereiro, e com isso o combustível foi comercializado acima dos R$ 4.

“O preço médio nacional do álcool neste começo de março foi de R$ 4,474. Além disso, em quase todos os estados o combustível superou a faixa de R$ 4. Apenas São Paulo e Mato Grosso registraram preços abaixo dessa linha. Enquanto isso, a gasolina é unânime, e o preço registrado em todos os estados superou R$ 5”, destaca Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

Ao comparar os atuais preços médios dos combustíveis com os valores registrados no última dia de dezembro, nota-se que o valor médio do litro da gasolina avançou 17,56%, e do etanol, 20,72%, desde o início do ano.

Na comparação entre as regiões, a gasolina mais cara foi registrada no Centro-Oeste, a R$ 5,719, enquanto a mais barata esteve no Sul, a R$ 5,417. Já o etanol apresentou um cenário oposto de preços. Na Região Centro-Oeste, o mais barato, a R$ 4,246 o litro médio, e na Região Sul o mais caro, a R$ 4,636.

“Assim como na média nacional, as regiões também apresentaram um aumento acima de 10% no preço do etanol. No Centro-Oeste e no Sul, regiões com menor e maior valor médio, o avanço foi de 16,68% e 15,07%, respectivamente. Mas foi o Sudeste que liderou as altas, com o combustível a R$ 4,535, 20,04% acima do registrado no fechamento de fevereiro”, pontua Pina.

Entre os estados, o etanol mais caro foi registrado no Rio Grande do Sul, acima de R$ 5. No estado, o combustível foi comercializado a R$ 5,156. Em São Paulo, o litro médio a R$ 3,886 foi o mais barato nas primeiras semanas de março. Em Minas Gerais, o maior avanço do país, de 21,85%, fez o preço do combustível aumentar para R$ 4,310.

Já a maior alta da gasolina foi em Goiás, de 12,86%, com preço médio a R$ 5,749. O valor médio mais caro foi registrado mais uma vez no Acre, a R$ 6,065, e o mais barato novamente no Amapá, a R$ 5,069. “Em nenhum estado, a gasolina e o etanol registram recuo nos preços nas primeiras semanas de março”, completa Pina.

Já o preço do diesel avançou 8,55% nas primeiras semanas de março. Nas primeiras semanas de março, o combustível foi encontrado a R$ 4,452 o litro, um avanço de 8,55% em relação ao fechamento de fevereiro. Já o diesel S-10, cuja alta foi de 8,38%, passou a ser comercializado a R$ 4,515.

No comparativo entre as regiões, tanto o diesel comum quanto o diesel S-10 foram encontrados com valores mais altos no Norte, e mais baixos no Sul. Nos postos dos estados nortistas, o preço médio do tipo comum registrado foi de R$ 4,675, e do S-10, de R$ 4,762. Já na Região Sul, o diesel foi encontrado a R$ 4,101 e o diesel S-10 a R$ 4,150.

Entre os estados, todos os preços médios encontrados estão acima de R$ 4. No Acre, que tem os litros mais caros, os valores médios ultrapassaram R$ 5. O diesel nos postos acreanos foi encontrado a R$ 5,176, e o diesel S-10, a R$ 5,242. Já os maiores aumentos foram registrados no Distrito Federal, de 11,78% no preço do diesel comum, e em Roraima, cujo avanço do valor médio do diesel S-10 foi de 10,95%.

Os combustíveis mais baratos foram encontrados no Paraná. O preço médio do tipo comum no Estado foi de R$ 4,068, após aumento de 9,12% em relação ao fechamento de fevereiro. Já o valor médio do litro do tipo S-10 foi de R$ 4,107, com aumento registrado de 8,79%.

Leia mais:

Gasolina subiu 8,65% nos dois primeiros meses de 2021

Governo aumenta gasolina e diesel de novo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Asean: Nova zona de livre comércio pode ameaçar supremacia ocidental

Índia pode bater de frente com a China.

Campos Neto: BC vai rever para baixo crescimento do PIB para 2022

Última conta do BC era de alta de 2,1%.

Turismo deve fechar ano com aumento de 16% e faturamento de R$ 130 bi

FecomercioSP: valor é 22% inferior ao registrado no período de pré-pandemia.

Últimas Notícias

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...

STF desbloqueia bens de Lula

Por maioria de três votos a um, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta sexta-feira, desbloquear os bens do ex-presidente Lula...