Gastos com delivery subiram 24% em 2021 ante 2020

Cada brasileiro gastou, em média, R$ 16,21 por refeição fora do lar.

Pesquisa da Crest, realizada pela GS&NPD em parceria com o Instituto Food Service Brasil (IFB), apontou que comparado a 2020 o delivery cresceu com força somando R$ 40,5 bilhões de gastos totais em 2021, representando 24% a mais que o ano anterior. O tráfego total foi de 2,2 bilhões de visitas em sites e aplicativos, 13% a mais, e o tíquete médio dos consumidores foi de R$ 18,22, 10% a mais que o ano anterior.

O setor de alimentação fora do lar foi um dos mais prejudicados pelas restrições impostas pela pandemia e precisou se adaptar a um novo formato de consumo investindo em delivery, retirada de pedidos para viagem e vendas pelo sistema drive thru.

A pesquisa mostrou que os gastos com comida fora de casa representaram R$ 164,4 bilhões em 2021. Cada brasileiro gastou em média R$ 16,21 por refeição, significando uma alta de 12% em relação a 2020.

Gastos com jantares e almoços em redes de restaurantes como Madero, Outback e Applebees, por exemplo, representaram 35% de alta se comparado ao ano anterior. Já as padarias aparecem na pesquisa com apenas 3% dos gastos em 2021. O período com maior fluxo de pedidos foi nos fins de semana, com 16% de aumento nas vendas.

A pesquisa prevê ainda três cenários para 2022, o mais otimista espera que haja um crescimento no PIB do setor de foodservice de 1,3% quando comparado a 2020, além de aumento na circulação dos restaurantes em 10% se comparado ao ano anterior.

Leia também:

Trabalho por conta própria cresce com renda 31% menor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Crescem buscas por passagens aéreas

Com férias de julho à vista, procura sobe em até 99% para voos internacionais e 108% para domésticos

Geladeiras devem exibir nova etiqueta de eficiência

Comércio varejista tem prazo até 30 de junho de 2023 para continuar vendendo os produtos com a etiqueta antiga.

Mercado pet deve crescer 14% em 2022

Chile é o país que mais importou produtos pets brasileiros no primeiro trimestre; setor prevê novas exportações neste ano.

Últimas Notícias

Crescem buscas por passagens aéreas

Com férias de julho à vista, procura sobe em até 99% para voos internacionais e 108% para domésticos

Geladeiras devem exibir nova etiqueta de eficiência

Comércio varejista tem prazo até 30 de junho de 2023 para continuar vendendo os produtos com a etiqueta antiga.

Mercado pet deve crescer 14% em 2022

Chile é o país que mais importou produtos pets brasileiros no primeiro trimestre; setor prevê novas exportações neste ano.

FGTS vira moeda do governo para movimentar a economia

Atualização monetária das contas do Fundo não acontece e trabalhador continua no prejuízo.

EUA: tiroteio em escola bate maior número em 20 anos

Segundo relatório, houve apenas 23 incidentes com vítimas fatais durante o ano letivo de 2000/2001.