Gastos com educação crescem 36% na comparação com janeiro

A Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, analisou dados de mais de 99 mil usuários do aplicativo entre os meses de janeiro e outubro de 2020, e constatou que os gastos com educação cresceram 36% do que a média registrada em janeiro deste ano.

Em março, início da quarentena no Brasil, os gastos registrados com educação tiveram uma queda de 7% em comparação com janeiro, mas foi em abril que os gastos nessa categoria atingiram o menor pico do ano, no total os gastos foram 14% menores do que em janeiro. Para o CEO da Mobills, Carlos Terceiro, essa baixa se explica porque foram nesses meses que a quarentena teve início e se tornou mais presente na maioria dos estados brasileiros. “Muitos brasileiros com a adesão do isolamento social trancaram os cursos em educação, o que reduziu os gastos nesta categoria por um longo período de tempo”.

A partir de julho, os gastos com educação voltaram a apresentar um tímido crescimento, mas foi em outubro que a média de gastos nesta categoria deu um salto. Em outubro, as despesas registradas com educação foram 36% maiores do que o valor registrado em janeiro deste ano. “Podemos supor que essa alta se dá principalmente devido a volta das aulas presenciais em escolas particulares e universidades, que vem ocorrendo gradualmente no último mês”, explica Terceiro.

Ticket médio

Apesar do aumento de gastos, durante os dez meses analisados pela startup, o ticket médio registrou a maior baixa em outubro, com uma média de R$ 474,42.

Carlos Terceiro comenta que esse comportamento representa que entre março e junho muitos usuários do Mobills cortaram totalmente essa receita do orçamento, então de julho a outubro eles voltaram a ter gastos com educação e por esse motivo o valor total aumentou, enquanto o ticket médio reduziu.

Em janeiro, a média era de R$ 550,60 e em fevereiro, era R$ 599,66. No último mês da análise, o ticket médio registrado foi de R$ 474,42, o que equivale a uma queda de 14% em comparação com o primeiro mês do ano. Ainda nesta análise, a Mobills constatou que 21% das transações com educação estão associadas a um cartão de crédito.

Artigos Relacionados

Vendas do comércio encerraram 2020 com queda histórica de 12,2%

Serasa diz que veículos, motos e peças foram os responsáveis por baixa do índice; para ACSP fevereiro apontou tendência de maior movimentação em São Paulo.

Covid-19: Brasil poderá superar EUA

A incapacidade de o governo adotar medidas para frear o coronavírus e os temores de que as variantes brasileiras comecem a aumentar o número...

Covid-19: Brasil poderá superar EUA

A incapacidade de o governo adotar medidas para frear o coronavírus e os temores de que as variantes brasileiras comecem a aumentar o número...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Covid-19, vacinação lenta e combustíveis geram mau humor interno

Já mercado externo tem alta generalizada, após os rendimentos dos juros dos treasuries caírem nesta terça-feira.

Planta da BRF é habilitada a exportar empanados para Omã

Companhia informou que sua unidade de Toledo foi habilitada pelo governo do país árabe a exportar empanados de frango.

Migrantes detidos no México sofrem com pobreza e violência

Cerca de 70 mil pessoas ainda estão em situação de vulnerabilidade extrema, segundo Médicos Sem Fronteiras.

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...