Gatinho

Os cerca de US$ 33 milhões em contrabando e descaminho apreendidos, ano passado, pela Receita Federal , em Foz do Iguaçu, na tríplice fronteira (Brasil, Paraguai e Argentina) foi a maior apreensão efetivada pelo fisco brasileiro nos últimos nove anos e 105% superior à efetuada em 2003. Todavia, esse importante tento representa um grão de areia, 0,1% para ser mais exato, em relação aos US$ 30 bilhões evadidos pelas CC5 do mesmo município. No primeiro caso, o Leão rugiu. No segundo, a dobradinha PT/PSDB da CPI do Banestado miou.

Flagelo ignorado
Apesar de o assunto, estranha ou sintomaticamente – dependendo do olhar de cada um – ter sido varrido do noticiário, 2005 começa tendo diante de si o maior desafio mundial não-resolvido em 2004: o desemprego. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), existe no mundo 1 bilhão de trabalhadores desempregados ou subempregados. A informação, divulgada  pelo diretor-geral da OIT, Juan Somavia, em palestra, no Congresso Mundial de Recursos Humanos, no Rio, em agosto passado, continua dolorosamente atual. De acordo com  Somavia, até aquela data, apenas o número de desempregados soma 186 milhões no mundo. Pelo visto, insuficiente para impedir que a imprensa chapa branca continue a pintar uma realidade cor-de-rosa.

Causa própria
Independentemente do mérito, a mudança da fórmula de cálculo do imposto cobrado das empresas prestadoras de serviços abriu uma nova frente de batalha para o governo, num terreno que lhe é particularmente simpático: o dos colunistas de jornalões. Com a maioria embolsando salários que transformam em esmolas os que taxam de “privilégios inaceitáveis” quando pagos ao setor público, os colunistas assumiram a linha de frente para derrubar a medida. Claro, que existirá sempre os habituais tipos desagradáveis para perguntar se é ético usar espaços privilegiados na imprensa para defender seus próprios interesses. Mas estes ignoram o verdadeiro valor da liberdade de imprensa, como esclareceram os ataques furibundos dos primeiros personagens à simples discussão sobre o Conselho Federal de Jornalismo.

Engessada
A reforma do Judiciário preocupa a Associação Nacional em Defesa dos Mutuários. O presidente da entidade, André Paiva, alerta que a súmula vinculante poderá vetar vários direitos do cidadão brasileiro: “Este procedimento poderá vetar ao mutuário o direito de revisão contratual, acarretando em pagamentos de juros abusivos, taxas indevidas e o sistema de amortização cujo mutuário poderá acabar pagando quatro vezes mais o valor do financiamento, entre outras desvantagens.”

Filão
Os principais grupos editoriais já estão criando seções específicas para concursos públicos nas livrarias do país e investindo em títulos. A previsão de faturamento para 2005 é de cerca de R$ 5 milhões envolvendo apenas concursos na esfera federal. Essa mina de ouro agilizou a 2ª Feira do Concurso Público (www.feiradoconcurso.com.br), que será realizada de 1 a 3 de abril.

Nacional
Alertada pelo secretário estadual de Energia e Indústria Naval do Rio, Wagner Victer, e por esta coluna, o grupo de Cingapura Keppel Offshore acertou o nome do seu estaleiro no Brasil: Fels Brasil S/A, com “s” e não com “z”, como chegou a ser grafado inicialmente.

Fim de linha
O companheiro Falha Humana, espécie de derivação do Raio de Bauru, avisa: assumir a responsabilidade por dois apagões em apenas uma semana do novo ano é carga muito pesada mesmo para a credulidade da Velhinha de Taubaté. E aconselha um estudo comparativo entre a política de corte de gastos públicos e os efeitos no sistema de energia do país de um crescimento acima dos níveis medíocres em que o país se arrasta há cerca de 15 anos.

Solidariedade
A Embaré, fabricante de caramelos de leite e de leite em pó, enviou duas toneladas de leite em pó para a região asiática atingida pelas tsunamis. Segundo informações da embaixada do Sri Lanka no Brasil, a doação será dividida entre todos países afetados pela tragédia.

Artigo anteriorTubarões
Próximo artigoCusto Bush
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Indústria do Brasil cai menos que mundial na pandemia

‘Soluço’ não detém trajetória de queda iniciada no final dos anos 1980.

Batendo palma para maluco dançar

CPI precisa ser ágil para não deixar governistas propagarem mentiras impunemente.

Cristiano Ronaldo, Coca-Cola e Nelson Rodrigues

Atitude do craque português realmente derrubou ações da companhia de bebidas?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Indústria do Brasil cai menos que mundial na pandemia

‘Soluço’ não detém trajetória de queda iniciada no final dos anos 1980.

STF confirma decisão que considera Moro parcial no caso do triplex

Marco Aurélio e Luiz Fux votaram contra parcialidade do ex-juiz.

Salles pede para sair

Alvo de investigações, ministro do Meio Ambiente teve exoneração publicada em edição extra do D.O.U.

Resultado do Dia dos Namorados confirma recuperação dos shoppings

Levantamento revela alta de 134,4% nas vendas da data comemorativa.

Imóveis de um quarto são os mais rentáveis para investidor

Bairros com maior rentabilidade para investidores não estão localizados no centro das cidades.