Generali assina pedido ao governo da UE para reduzir emissões de gases

A empresa tem a meta de reduzir emissões de gases do efeito estufa em 55% até 2030.

Seguros / 23:33 - 17 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O CEO do Grupo Generali, Philippe Donnet, está entre os CEOs signatários de uma carta redigida pelo Grupo de Líderes Corporativos, pedindo aos líderes da UE que estabeleçam a estrutura para uma recuperação mais resiliente ao clima e possibilitem os investimentos verdes necessários para oferecer neutralidade climática até 2050. A Generali é um dos maiores grupos globais de gestão de ativos e seguros.

A empresa tem a meta de reduzir emissões de gases do efeito estufa em 55% até 2030. Entre as ações sustentáveis, destacam-se: financiamento da transição para uma sociedade sustentável e de baixa emissão, com novos investimentos verdes e sustentáveis totalizando € 2,7 bilhões em 2019; redução da pegada de carbono da carteira de investimentos do Grupo e apoio aos clientes na transição verde, com mais de € 1,3 bilhão em prêmios coletados de produtos ambientais. Além disso, em 2019, a Generali foi a primeira seguradora na Europa a emitir um Título Verde subordinado (€ 750 milhões); diálogo e envolvimento de stakeholders, tais como decisões políticas, organizações não-governamentais e empresas na “transição justa” que combina estratégias de descarbonização com medidas de proteção social.

Ao assinar a carta de negócios e investidores do Grupo de Líderes Corporativos, a Generali reafirma seu compromisso de ajudar a acelerar e concentrar os esforços de transição até 2050, apoiando as alterações legais necessárias e investindo na economia verde, sabendo que uma maior ‘ambição climática’ global é o motor da competitividade da Europa no mundo”, destacou comunicado da empresa.

 

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor