Gentrificação da internet

Provedores de acesso a internet nos Estados Unidos – como AT&T, Verizon e outros fornecedores do serviço sem cabo – favorecem as áreas onde moram os mais ricos, que dispõem de velocidades maiores, mostra matéria do Center for Public Integrity. Cerca de 40% da população das regiões mais abastadas é atendida com acesso veloz, contra 22% dos moradores das áreas mais pobres e 27% dos locais de classe média. A estes dois grupos resta contratar provedores locais, que normalmente oferecem serviço a cabo, por preços mais elevados devido à falta de concorrência.

Nada muito diferente do Brasil. Das 726 cidades atendidas pela rede 4G de telefonia móvel, a que oferece velocidades de conexão à internet mais rápidas, nada menos que 292 ficam no Estado de São Paulo. Na região que engloba Sul, Centro-Oeste e o Acre, são 208 municípios (sendo apenas a capital no estado do Norte). No restante do Norte e do Sudeste e no Nordeste, são 226.

Ralo da dívida

A lei que permite usar o saldo do FGTS como garantia de empréstimo consignado é ruim não só para quem pega o crédito, pois vai pagar juros em torno de 43% ao ano usando o fundo, que rende só 3% anuais mais TR, mas também para a economia. O professor da FGV Andriei Beber ressalta que com cada vez mais dinheiro sendo destinado a pagar dívidas passadas, menos consumo acontece no presente.

Dados do Banco Central apontam que em janeiro de 2005 as famílias brasileiras comprometiam cerca de 18% de sua renda anual com dívidas. Decorridos 11 anos, em janeiro de 2016, esse número já era de 45%. “Assim, não é mera coincidência a recessão que o país vive. Com cada vez mais dinheiro sendo destinado a pagar dívidas passadas, menos consumo acontece no presente. E não será assumindo mais dívidas que esse quadro mudará”, afirma.

Esta lei tem uma forte relação com a alavancagem financeira, uma estratégia que permite ampliar o poder de compra ou investimento por meio do aumento no nível do endividamento. Porém, do mesmo modo que a alavancagem permite a ampliação dos ganhos, expõe o investidor a perdas igualmente grandes”, destaca Andriei.

Desacordo

Quanto ao acordo ortográfico, muita gente não está de acordo”, sustenta o secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Murade Murargy, que afirma que “não há uma unanimidade sobre se valeu a pena ou não o tanto de dinheiro que se gastou”. E tempo, acrescente-se, não só na discussão, mas no reaprendizado de parte da língua.

Acredito que devemos concentrar-nos no que é fundamental para permitir que os outros [países-membros] possam se desenvolver”, disse Murargy, para quem seguir à risca a aplicação do acordo ortográfico não é uma prioridade. “Não podemos ficar agarrados à nostalgia da língua”, ensina. Finaliza o moçambicano: “Eu, por exemplo, não me preocupo se estou a aplicar [o acordo ortográfico] ou não. Se as pessoas me entendem, vamos em frente.”

No grito

Fala-se muito na judicialização da política, mas outro fato nefasto nestes anos recentes em nosso país é a espetacularização das notícias. Nesta terça pela manhã, o site UOL trouxe como manchete que o PT gastou dinheiro do fundo partidário para custear viagens a Paris, Cuba e México.

A matéria, porém, mostra que a despesa é permitida, desde que – óbvio – em missões oficiais dos partidos. E foi o que aconteceu com o PT, tanto em Paris (participar da COP 21) quanto no México (reunião do Foro de São Paulo). Sobre a viagem a Cuba, o site não havia obtido ainda esclarecimentos.

Em resumo, a história não rendia nem uma matéria. Mas, publicada com tanto destaque, faz parecer que o PT cometeu alguma falcatrua.

Rápidas

Será lançada nesta sexta-feira a biografia do ex-senador Jarbas Maranhão, às 17 horas, no auditório do 22º andar do Clube de Engenharia (Av. Rio Branco, 124, Centro, Rio de Janeiro – RJ). A obra foi elaborada por Edson Monteiro, editada pela Letra Capital Editora e tornada pública pela Companhia Editora de Pernambuco *** Luiz Claudio Azevedo Chaves, especialista em Direito Administrativo, lança Licitação Pública Para Leigos – Compra e Venda Governamental (Alta Books) na Livraria Cultura – Cine Vitória (Rua Senador Dantas 45, Centro, Rio de Janeiro), nesta quinta, às 18h *** O ministro Gilberto Kassab participará do VIII Fórum de Inovação e Tecnologia da Câmara de Comércio França-Brasil (CCFB-SP), com empresários de ambos os países, no dia 21, sexta, no Hotel Unique, em São Paulo *** O Caxias Shopping (RJ) apresenta neste domingo show com o Mágico Patrick *** O Centro de Excelência em Varejo (GVCEV) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas realizará, quinta e sexta, a 9ª edição do Congresso Latino-Americano de Varejo (CLAV). A abertura será feita pelo professor da York University Russel Belk. Entre os palestrantes, o gerente-geral do Uber, Guilherme Telles, e o presidente da Airbnb, Leonardo Tristão. O encerramento contará com o vice-presidente da Google Inc., Fábio Coelho. Detalhes em http://clav2016.fgv.br/

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Preços se multiplicam com térmicas caras

Desempenho do mercado livre de energia elétrica frustra e leva a medidas não planejadas.

Entrega da Eletrobras representaria 0,05% da dívida

Saída do presidente da estatal deixou mercado financeiro certo de que privatização já era.

Incerteza da população ou dos mercados?

EUA e Reino Unido espalham suas expectativas para os demais países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Congresso encerra recesso e encara votação do orçamento

Eleições das mesas diretoras do Senado e da Câmara serão realizadas dia 1º.

SP e Recife são os destinos mais comprados para o primeiro semestre

Segundo levantamento, o Rio compõe o Top 3 das cidades mais procuradas para o período de janeiro a junho deste ano.

Ajustando o feriado

Ontem, pelo feriado em São Paulo, a Bovespa não funcionou, mas as ações brasileiras mostraram perdas.

Custo da construção sobe 0,93% em janeiro

Segundo a FGV, índice acumula inflação de 9,39% em 12 meses.

Bolsas operam mistas à espera de balanços de grandes empresas

Às 7h25, Bolsa de Paris se valorizava 0,94%.