Genética digital

Depois de trilhar os passos do pai na política, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), segue Cesar Maia também no mundo virtual. O líder do ex-PFL na Câmara dos Deputados está lançando o blog http://www.blogdemocrata.com.br, para “ampliar a influência do partido na sociedade”. A primeira postagem, poderia ser dirigida a Cesar, para reassuma a gestão da Prefeitura do Rio. Os abandonados cariocas mandariam emotions agradecido a blog do DEM.

Nada que desabone
Rodrigo Maia deve adotar estilo mais leve que o prefeito. Nesta quinta, o Ex-blog de Cesar Maia teve de publicar, em edição extraordinária, esclarecimento sobre nota em que fazia referências ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O parlamentar, do grupo Garotinho, não gostou da citação e entrou com ação penal privada contra o blog do prefeito.

Liderança emergente
Três dos Brics assumiram seus papéis de potências emergentes ao colocar o dedo na ferida na questão do aquecimento global. Brasil e Índia apoiaram a proposição da China que responsabilizou os países desenvolvidos pela maior parcela na emissão de CO2 (ainda que a relação entre aumento da concentração de dióxido de carbono e mudança climática não tenha sido comprovada). Após anos de poluição sem controle, os países desenvolvidos querem usufruir das conquistas da industrialização e deixar para as nações em desenvolvimento a tarefa de limpar a sujeira. Em última análise, restringir o acesso das populações mais pobres aos benefícios do desenvolvimento que – numa visão menos distorcida do que é ecologia – possibilita uma vida mais saudável e com menor interferência sobre o meio ambiente.
Ao colocar o pau na mesa, Brasil, Índia e China ocupam um espaço político, numa ação possível pelo sucesso econômico (dos dois últimos, especialmente) que os movimentos em nome do “aquecimento global” tentam obstruir.

Invasão
É compreensível, embora não justificável, que a grande imprensa internacional tente classificar a atuação da China como um ataque ao meio ambiente e ao futuro do planeta. Apesar de fugir à verdade e não combinar com a imagem de imprensa democrática que procura forjar, trata-se de defesa dos interesses das grandes corporações que sustentam os grandes grupos de comunicação.
Um pouco mais complexo é entender o tortuoso caminho que faz os “jornalões” brasileiros macaquearem as matérias que vêm de fora.

Déficit sobe
Nada menos que 33,7% dos municípios fluminenses apresentaram déficit no balanço entre as deduções e os créditos com o Fundef em 2005, número que, certamente, se elevará com o Fundeb, que sucedeu ao fundo para educação básica, para perto de 40%. A estimativa é de François E. J. de Bremaeker, coordenador do Banco de Dados Municipais do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam): “Quanto ao valor do aluno/ano, este era de R$ 1.479,70 em 2006, com o Fundef, e cairá para R$ 1.246,69, com o Fundeb, uma vez que o número de alunos cresce 67,5% e o montante de recursos, apenas 41,2%. Isso representa dizer que o déficit a ser coberto pelos municípios e pelo estado será de R$ 767 milhões.”

Porco e galinha
O Brasil, com cerca de 67 milhões de hectares destinados à agricultura, é hoje o segundo maior consumidor de defensivos agrícolas do mundo, somente atrás da China, que, por sua vez, é o maior produtor, exportador, importador e consumidor de defensivos do planeta. Para fomentar parcerias na área, será realizada em São Paulo, de 15 a 16 deste mês, a segunda feira sino-brasileira da indústria química.
Quase 17% das exportações de defensivos agrícolas chinesas vão para a América Latina, terceiro maior destino (após Ásia e Europa). No Brasil, os prazos para pagamento, que podem chegar a até 360 dias, são considerados extremamente longos para a política de giro rápido dos fabricantes chineses. Nessa perspectiva, surgem oportunidades para o empresariado brasileiro estabelecer parcerias. O evento ocorrerá no Hotel Caesar Park, na Vila Olímpia.

Super
Com a Super Receita, muda o nome do Sindireceita, que representa os técnicos da Receita Federal. Agora a entidade se chama Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal. A sigla não muda. O sindicato acredita que a nova autarquia vai trazer benefícios ao contribuinte e é uma grande oportunidade de promover a justiça fiscal.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGol
Próximo artigoMulher de malandro

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...