Get and Go inicia processo de captação para ampliar rede autônoma de lojas em condomínios residenciais e corporativos

312

A rede de minimercados Get and Go, de Campinas (SP), especializada em lojas dentro de condomínios residenciais e corporativos, deu início a um ousado plano de expansão. O objetivo é aumentar o número de unidades dos atuais 35 – 23 residenciais e 12 corporativos – para 249 até 2027. Para tanto, a empresa deu início à captação, por meio de equity, de recursos da ordem de R$ 1,5 milhão. A estruturação do processo, assim como a captação, ficou por conta da plataforma Efund Investimentos.

“Uma das razões para investir na Get and Go é o retorno que ela tem proporcionado, muito melhor do que o do varejo tradicional. O Ebtida em torno de 20% está bem acima da média do mercado. Além disso, os empreendedores do negócio são muito bons. Com um time de apenas seis funcionários eles conseguiram atingir faturamento de R$ 3 milhões com esses 35 pontos de venda”, comenta Igor Romeiro, fundador e CEO da Efund Investimentos.

Outro ponto que merece atenção do investidor é o tamanho do mercado varejista nacional. O faturamento anual do setor é de US$ 36 bilhões. Considerando apenas o mercado endereçável, existem 200 mil condomínios no Brasil com potencial para receber minimercados e gerar receita anual em torno de US$ 7,2 bilhões/ano. Somente na região metropolitana de Campinas, onde atua a Get and Go, há aproximadamente 500 condomínios para minimercados com receita média mensal de R$ 15 mil, totalizando US$ 18 milhões por ano.

Fundada por Ivan Pedroso, engenheiro mecânico formado pela USP, com especialização na Alemanha e pós-graduação em administração de empresas, a Get and Go foi criada para resolver uma das principais dores do mercado que é o tempo. Conforme as grandes metrópoles crescem, mais tempo é dedicado ao trabalho, ao trânsito e menos a outras tarefas. Com o surgimento e avanço dos apps de delivery, percebeu-se uma ótima oportunidade de encurtar o caminho entre o supermercado e a residência ou ao trabalho.

Espaço Publicitáriocnseg

Assim nasceu os minimercados Get and Go, que funcionam 24 horas por dia exclusivamente dentro de condomínios Residenciais e Corporativos, com o principal objetivo de entregar aos clientes a compra rápida, sem trânsito, sem horário de funcionamento e sem perda de tempo. A rede entrou em operação em julho de 2021, meses depois de Pedroso ter visto um mercadinho do tipo em um condomínio onde um amigo residia. Ele gostou da ideia e durante suas pesquisas sobre o negócio descobriu que a maioria dos estabelecimentos em condomínios pertenciam a empreendedores que tinham outros negócios e funcionavam mais como lojas de conveniência, cujos preços são mais altos.

“A maioria servia como uma segunda renda para seus proprietários. E os preços de venda eram altos porque as compras eram feitas em redes de atacarejo. Então, para vender com preço adequado aos consumidores eu passei a comprar diretamente dos centros de distribuição dos fabricantes, que vendem muito mais barato para empresas, sendo esse um dos diferenciais da Get and Go em comparação com os concorrentes”, explica Pedroso.

Outro diferencial é que as lojas da Get and Go funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana e não contam com funcionários na área de atendimento. O sistema de vendas é 100% automatizado. O cliente entra, escolhe os produtos, faz a leitura do código de barras em uma máquina do tipo self checkout, paga com cartão de débito ou crédito e vai embora. Está enganado quem pensa ser fácil furtar produtos.

“Fazemos monitoramento por meio de câmeras. Havendo qualquer comportamento suspeito a gente verifica as gravações minuciosamente. Por exemplo, uma pessoa entrou no estabelecimento, abriu a geladeira onde estão as bebidas, mas não houve registro de vendas no período de uma hora. A gente observa se ele apenas abriu a geladeira para olhar e não levou ou se levou sem pagar. Caso o furto tenha ocorrido, a gente identifica o cliente junto ao condomínio para recuperar o item ou receber o pagamento”, explica.

Além disso, as geladeiras de bebidas alcoólicas são travadas para que menores de idade não tenham acesso. Para abri-las, um cliente maior de idade precisa digitar o número do CPF para a porta abrir. É outro ponto de segurança, tanto para evitar problemas de ordem legal quanto para identificar aqueles que não pagam, pois há o registro do documento. “De forma geral não tem havido esse tipo de problema. E a aceitação é alta porque se alguém estiver cozinhando às 3 horas da manhã e faltar um molho de tomate, por exemplo, basta ir à loja, sem sair do condomínio, e comprar.

O público-alvo da Get and Go são condomínios residenciais das classes A e B, com mais de 100 famílias e também empresas cuja área administrativa tenham pelo menos 100 funcionários, além de lajes corporativas. Atualmente a rede trabalha com cerca de 500 skus em sua base, mas os produtos ofertados nos condomínios residenciais não são exatamente os mesmos dos corporativos. “Não tem por que vender azeite ou arroz dentro de uma empresa onde os funcionários buscam barras de cereais, salgadinhos, chocolates, bebidas, entre outros. Então há adaptações conforme a unidade.

A equipe é formada por seis pessoas, sendo dois diretores – Ivan e Gabriela Souza – um estoquista, dois repositores, um fazendo prevenção de perdas (data de vencimento e furto) e um colaborador na área administrativa. Segundo o executivo, um repositor sozinho dá conta de 15 a 20 unidades. Além disso, se uma loja não atingir o faturamento desejado, basta mudá-la de endereço aproveitando os mesmos equipamentos (freezers, geladeiras, prateleiras, self checkout). “Tudo isso reduz muito os custos, fazendo com que nossa rede seja mais escalável do que outras redes físicas de varejo”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui