Globalização

A globalização mundial será objeto de debate no “II Seminário O Mundo em Transição”, que a PUC Minas realiza na próxima semana, no campus Coração Eucarístico. Na abertura, dia 8 às 19h30min, o coordenador do Grupo de Análise de Conjuntura Internacional (Gacint) da Universidade de São Paulo, professor Gilberto Dupas, vai falar sobre “O mundo em transição, soberania, identidade e integração”.
No dia 9, haverá a palestra “Davos e Porto Alegre: resultados e perspectivas”, com o jornalista da Folha de S. Paulo, Clóvis Rossi, e o secretário executivo da Comissão de Justiça e Paz da CNBB e membro do Comitê Coordenador do Fórum Social Mundial, Francisco Whitaker. No mesmo dia, à noite, o debate vai girar em torno do tema “A quem serve o sistema multilateral mundial”, com a participação do embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, recentemente demitido do Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais do Ministério das Relações Exteriores por se manifestar contra a Alca (Área de Livre Comércio das Américas), e do ex-vice-presidente da República Aureliano Chaves.
No último dia o tema será “Estados Unidos/América Latina/Brasil: do Consenso de Washington à Alca”, com os expositores: René Dreifuss, coordenador do Módulo de Transformações Globais do Instituto Virtual Internacional de Estudos das Mudanças Globais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Gravidez
O Canadá vai aplicar R$ 181 milhões em projetos de redução dos níveis de pobreza nas Américas, além de outros R$ 275 milhões que já haviam sido anunciados. Um dos projetos, “Promoção da Saúde Reprodutiva e Sexual nas Américas”, irá destinar até R$ 1,4 milhão para a Federação de Planejamento Familiar do Canadá e visa assistir adolescentes e jovens do Brasil, Colômbia, El Salvador e Jamaica. A iniciativa objetiva a redução da incidência da gravidez entre adolescentes, o fomento da prática de comportamento sexual saudável e o aperfeiçoamento dos serviços de assistência à saúde reprodutiva e sexual. Todo cuidado é pouco. Programas de controle natal no Terceiro Mundo, Brasil inclusive, sempre resultaram em esterilização em massa de mulheres.

Epidemia
No mundo inteiro, estima-se que 100 milhões de pessoas apresentam excesso de peso e o aumento anual é tão rápido que a Organização Mundial de Saúde declarou recentemente que a obesidade já pode ser considerada uma epidemia global. No Brasil 40% da população brasileira adulta estão acima do peso ideal, de acordo com o Dr. Sérgio Timerman, presidente da Fundação Interamericana do Coração e membro da diretoria da Funcor (Fundação do Coração).
Preocupado com o crescimento das doenças – e dos prejuízos – relacionadas à obesidade, o Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha está reembolsando os gastos com o medicamento Xenical, usado por milhões de pessoas no mundo inteiro no controle do excesso de peso e na prevenção de doenças coronarianas, hipertensão e diabetes. No Reino Unido, onde a obesidade, segundo o governo local, tornou-se uma epidemia, uma em cada duas pessoas está com sobrepeso e cerca de 20% da população é obesa. Um relatório da National Audit Office calculou em pelo menos 2,5 bilhões de libras esterlinas (cerca de R$ 7,5 bilhões) as despesas diretas e indiretas naquele país com obesidade.

Invasão
“Crackers” (invasores de computadores) tiveram total controle sobre máquinas de órgãos do governo norte-americano em 155 incidentes reportados no ano passado. O estudo também documentou que outras 32 agências federais eram vulneráveis. Calcula-se que apenas 20% dos incidentes de segurança são relatados. A maioria dos casos poderia ser evitada se os administradores de rede seguissem as normas de segurança e fizessem atualizações dos programas.

Figuração
Afinal o que faz a corregedora do presidente FH, Anadyr de Mendonça, enquanto o circo pega fogo e o mar de lama transborda?

Lixeira
Diariamente cerca de 120 mil toneladas de resíduos são geradas no país. Desse total, 76% ficam expostos a céu aberto, sem tratamento algum. Os dados são da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), que criou o Prêmio Abrelpe de Reportagem, com o objetivo de estimular a busca de soluções para o problema.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPunição
Próximo artigoSigilo

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás