Globalização

A globalização mundial será objeto de debate no “II Seminário O Mundo em Transição”, que a PUC Minas realiza na próxima semana, no campus Coração Eucarístico. Na abertura, dia 8 às 19h30min, o coordenador do Grupo de Análise de Conjuntura Internacional (Gacint) da Universidade de São Paulo, professor Gilberto Dupas, vai falar sobre “O mundo em transição, soberania, identidade e integração”.
No dia 9, haverá a palestra “Davos e Porto Alegre: resultados e perspectivas”, com o jornalista da Folha de S. Paulo, Clóvis Rossi, e o secretário executivo da Comissão de Justiça e Paz da CNBB e membro do Comitê Coordenador do Fórum Social Mundial, Francisco Whitaker. No mesmo dia, à noite, o debate vai girar em torno do tema “A quem serve o sistema multilateral mundial”, com a participação do embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, recentemente demitido do Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais do Ministério das Relações Exteriores por se manifestar contra a Alca (Área de Livre Comércio das Américas), e do ex-vice-presidente da República Aureliano Chaves.
No último dia o tema será “Estados Unidos/América Latina/Brasil: do Consenso de Washington à Alca”, com os expositores: René Dreifuss, coordenador do Módulo de Transformações Globais do Instituto Virtual Internacional de Estudos das Mudanças Globais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Gravidez
O Canadá vai aplicar R$ 181 milhões em projetos de redução dos níveis de pobreza nas Américas, além de outros R$ 275 milhões que já haviam sido anunciados. Um dos projetos, “Promoção da Saúde Reprodutiva e Sexual nas Américas”, irá destinar até R$ 1,4 milhão para a Federação de Planejamento Familiar do Canadá e visa assistir adolescentes e jovens do Brasil, Colômbia, El Salvador e Jamaica. A iniciativa objetiva a redução da incidência da gravidez entre adolescentes, o fomento da prática de comportamento sexual saudável e o aperfeiçoamento dos serviços de assistência à saúde reprodutiva e sexual. Todo cuidado é pouco. Programas de controle natal no Terceiro Mundo, Brasil inclusive, sempre resultaram em esterilização em massa de mulheres.

Epidemia
No mundo inteiro, estima-se que 100 milhões de pessoas apresentam excesso de peso e o aumento anual é tão rápido que a Organização Mundial de Saúde declarou recentemente que a obesidade já pode ser considerada uma epidemia global. No Brasil 40% da população brasileira adulta estão acima do peso ideal, de acordo com o Dr. Sérgio Timerman, presidente da Fundação Interamericana do Coração e membro da diretoria da Funcor (Fundação do Coração).
Preocupado com o crescimento das doenças – e dos prejuízos – relacionadas à obesidade, o Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha está reembolsando os gastos com o medicamento Xenical, usado por milhões de pessoas no mundo inteiro no controle do excesso de peso e na prevenção de doenças coronarianas, hipertensão e diabetes. No Reino Unido, onde a obesidade, segundo o governo local, tornou-se uma epidemia, uma em cada duas pessoas está com sobrepeso e cerca de 20% da população é obesa. Um relatório da National Audit Office calculou em pelo menos 2,5 bilhões de libras esterlinas (cerca de R$ 7,5 bilhões) as despesas diretas e indiretas naquele país com obesidade.

Invasão
“Crackers” (invasores de computadores) tiveram total controle sobre máquinas de órgãos do governo norte-americano em 155 incidentes reportados no ano passado. O estudo também documentou que outras 32 agências federais eram vulneráveis. Calcula-se que apenas 20% dos incidentes de segurança são relatados. A maioria dos casos poderia ser evitada se os administradores de rede seguissem as normas de segurança e fizessem atualizações dos programas.

Figuração
Afinal o que faz a corregedora do presidente FH, Anadyr de Mendonça, enquanto o circo pega fogo e o mar de lama transborda?

Lixeira
Diariamente cerca de 120 mil toneladas de resíduos são geradas no país. Desse total, 76% ficam expostos a céu aberto, sem tratamento algum. Os dados são da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), que criou o Prêmio Abrelpe de Reportagem, com o objetivo de estimular a busca de soluções para o problema.

Artigo anteriorPunição
Próximo artigoSigilo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Lei do Superendividamento favorece negociação e cobrança humanizada

Início das multas no contexto da LGPD também deve frear a oferta de crédito a quem não pode pagar.

Mercado de fertilizantes especiais cresce 41,8% em 2020

Neste ano, a expectativa é de que o setor obtenha uma nova elevação de 24%.

Consumo nos setores de turismo e diversão cresce em junho no Rio

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 5% em junho, depois de ter subido 8% em maio, de acordo com a...

População de países emergentes fica ainda mais pobre

Perda de renda foi 2x maior que nas nações ricas.

Pagamento indevidos: TCU encontra 11% de inconsistências no INSS

‘Falhas afetam a confiabilidade do banco de dados’ de benefícios previdenciários.