Gogó

O Banco Mundial (Bird) estima em 2 bilhões de pessoas o aumento da população mundial, em 2015, em relação aos 6 bilhões de pessoas que habitam o mundo hoje, um salto de 30%, para usar a linguagem que é cara ao banco, no estoque populacional. Desse acréscimo, 97% ocorrerão em países em desenvolvimento. Os dados foram repassados por técnicos do Bird ao senador Pedro Simon (PMDB-RS), em reunião realizada esta semana.
Frente a esse quadro e dentro da nova retórica do Bird de descoberta da pobreza, o banco vai propor como metas a serem atingidas, até 2015, a redução em 50% do número de pessoas que vivem com menos de US$ 1 por dia; assegurar acesso universal à educação primária e a serviços de saúde reprodutiva e reduzir em 2/3 a mortalidade infantil e em 3/4 a mortalidade materna.
Como,  porém, o Bird, como seus congêneres FMI e Banco Interamericano (BID), continuam insistindo no aprofundamento das políticas fiscais e monetárias restritivas, em 15 anos a instituição deve voltar a se reunir para fazer novos planos para 2030.

Em alta
O Ibope demorou um pouco, mas acabou confirmando nota desta coluna publicada no último dia 14, que atestava o crescimento, na Zona Sul da capital, da candidatura de César Maia à Prefeitura do Rio. O petebista, segundo dados da empresa de pesquisa, já superou o atual prefeito Luiz Paulo Conde na região.

Caos
Motoristas que se viram vítimas do colossal engarrafamento instaurado na Avenida Presidente Vargas próximo da Central do Brasil, na última sexta-feira, se depararam com um incômodo extra, além daquele causado pelo fechamento do Túnel da Gamboa por um grupo de moradores do Morro da Providência: o despreparo dos funcionários da CET-Rio. Nitidamente sem treinamento para enfrentar a situação, a turma da Prefeitura ainda ameaçava multar os motoristas que se recusavam a seguir na direção da Avenida Radial Oeste. Nunca é demais lembrar aos candidatos xifópagos que, entre acusações recíprocas de enriquecimento ilícito, não custa reservar um espaço na agenda para debater o assunto, antes que o trânsito da cidade se apauliste irreversivelmente.

Samba no pé
Neste domingo, às 17h, um novo pólo de resistência cultural surge no Rio: o bloco Favo de Mel. Fundado por jornalistas, políticos, professores e integrantes de movimentos culturais da Zona Norte, o bloco estréia no carnaval de 2001 resgatando a história do Chave de Ouro, agremiação informal que costumava fechar o carnaval carioca na Quarta-Feira de Cinzas, debaixo de muita cassetada da polícia. A concentração é na Rua Gláuber Barbosa, em frente ao Sindicato do Chopp, no Méier.

Frutas
A Secretaria estadual de Fazenda do Rio diminuiu, na última quarta-feira, de 18% para 7% o ICMS na importação da maçã argentina e da pêra do Chile. Recentemente, o governador Anthony Garotinho havia reduzido a zero o ICMS de frutas (laranja, maça, banana, abacaxi, maracujá), produzidas no pólo de fruticultura na região Norte/Noroeste. A medida vai beneficiar cerca de 3 mil produtores destas regiões do estado.

Poligamia
Do vereador (não reeleito) Agnaldo Timóteo (PPB) defendendo o apoio à candidatura de César Maia à Prefeitura do Rio: “Quem acredita em lealdade apóia César Maia.” César deve ser saber o que seu aliado diz. Afinal, nos últimos 11 anos, já foi leal a Brizola, Orestes Quércia, ACM, Bornhausen …

CPMF
José Dirceu, presidente nacional do PT, criticou a isenção exclusiva do pagamento da CPMF para investidores estrangeiros e defendeu que o benefício seja estendido a todos. “Esse é o governo que cede para quem tem poder e por razões eleitoreiras”, afirmou o deputado federal paulista. “Por que só os estrangeiros? Por que só quem vive de salário tem de pagar a CPMF?”, questionou. Para José Dirceu, mais que a extinção da CPMF, o governo deveria fazer a reforma fiscal.

Artigo anteriorCom-sotaque
Próximo artigoFonte$
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.

ISM Manufacturing teve a maior leitura desde fevereiro de 2018

Expectativa é de melhora continuada dado o avanço da vacinação, bem como o estímulo fiscal projetado para ser aprovado em meados de março.

Rede estadual de ensino do Rio volta hoje às aulas

Alunos terão aulas remotas e presenciais, com turmas em sala de aula em dias alternados em função da pandemia.