Governo pagou quase R$ 55 bi de auxílio emergencial indevidamente

Servidores, militares e aposentados foram beneficiados.

A criação de um sistema nacional com dados dos salários de todos os servidores públicos brasileiros (incluindo inativos) e dos beneficiários da Previdência e de programas sociais, conforme previsto na Constituição, evitaria os pagamentos indevidos do auxílio emergencial, assegura o coordenador-geral de Controle Externo da Área Econômica e das Contas Públicas do Tribunal de Contas da União (TCU), Tiago Dutra.

Segundo o TCU, R$ 54,7 bilhões foram pagos indevidamente, ou seja, os beneficiários que sacaram o auxílio não estavam dentro dos critérios de elegibilidade. São, por exemplo, servidores públicos (civis e militares) ou beneficiários da Previdência Social.

O cruzamento de dados em cadastros governamentais e nas pesquisas do IBGE, feito pelo TCU e outros órgãos de controle, como a Controladoria-Geral da União (CGU), permitiu o cancelamento de 3,7 milhões de benefícios, resultando em uma economia de R$ 8,8 bilhões.

O balanço parcial da fiscalização foi apresentado nesta quinta-feira em audiência pública da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

“De certa forma, isso já era esperado”, admitiu o secretário de Controle Externo da Previdência, do Trabalho e da Assistência Social, João Ricardo Pereira, sobre as falhas e fraudes. Ele atribuiu o problema à mudança na condição dos beneficiários ao longo do ano – os critérios de elegibilidade foram aferidos apenas no pagamento da primeira parcela – e à deficiência dos bancos de dados públicos sobre o público-alvo.

O deputado Elias Vaz (PSB-GO) se disse “estarrecido” com o número de funcionários públicos civis e militares que receberam indevidamente o auxílio emergencial, segundo a Agência Câmara de Notícias.

Tiago Dutra disse que a declaração do Imposto de Renda relativa ao ano passado, cujo prazo de entrega acabou em maio, permitirá a identificação dos servidores que receberam o auxílio emergencial.

Leia também:

Remédios subiram 1,73% em maio e somam alta de 18,50% em 12 meses

Artigos Relacionados

Copom: ‘Retomada robusta da atividade’ no segundo semestre

Uma semana após a última reunião do Comitê de Política Econômica (Copom) que aumentou a taxa básica de juros, a Selic, em 0,75 ponto...

Urna eletrônica: TSE é acusado de ignorar a ciência

Ausência de um representante do Tribunal ao debate irritou deputados.

Comércio digital cresce e qualidade do emprego cai

Postos de trabalho precários são os mais criados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

CVM lança novo Sistema de Gestão de Fundos de Investimento

A partir de 5 de julho, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) irá disponibilizar o novo Sistema de Gestão de Fundos de Investimento (SGF)....

B3 acolhe novo fundo gerido pela XP Asset

Aconteceu nesta terça-feira, na B3, o toque de campainha para comemorar o lançamento de mais um ETF (Exchange-Traded Fund), que é um fundo de...

Airbus e chinesa AVIC fazem parceria

Um projeto de equipamento de fuselagem do Airbus A320 foi lançado em conjunto pela Airbus e pela Aviation Industry Corporation of China (AVIC) nesta...

BID lança guia para ajudar na emissão de títulos sustentáveis

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) lançou um guia para auxiliar e fomentar a emissão de títulos temáticos. O lançamento acontece por meio do...

Vivant lança lata comemorativa ao Dia Internacional do Orgulho LGBT

A lata estampa as cores do arco-íris e traduz o posicionamento da empresa sobre o respeito à diversidade.