Grades

O ex-prefeito Paulo Salim Maluf (PPB-SP), quem diria, é o autor do primeiro processo contra Luiz Inácio Lula da Silva desde que ele assumiu a Presidência da República. O inquérito está no Supremo Tribunal Federal. A ação, elaborada com base na Lei de Imprensa, se refere a matéria veiculada pelo jornal O Estado de São Paulo, do dia 25 de julho de 2000. O trecho da matéria considerado ofensivo a Maluf é o seguinte: “Lula também não poupou o candidato do PPB, Paulo Maluf, que em sua campanha vem defendendo a prisão perpétua. O Maluf é que deveria estar atrás das grades e condenado à prisão perpétua por causa da roubalheira na prefeitura”, atacou.

Cartel
O promotor federal do Estado de Nova York, Eliot Spitzer, entrou com uma ação judicial contra os grupos farmacêuticos Pharmacia (americano) e GlaxoSmithKline (britânico). Os grupos são suspeitos de realizarem acordos ilegais com médicos para aumentar o preço de seus remédios nos Estados Unidos. O grupo farmacêutico franco-alemão Aventis também foi notificado de que poderia ser processado. De acordo com Spitzer, os nova-iorquinos estão enfrentando uma crise no sistema de proteção social e parte dessa crise vem do crescimento do custo das receitas médicas. Ainda bem que isso não acontece no Brasil…

Murchando
Com a experiência de muitos anos de estrada no ramo, um comerciante carioca faz uma interessante analogia entre as vendas no setor e as expectativas depositadas no governo Lula. Em dezembro, quando era grande a esperança depositada pela população nas mudanças anunciadas pelo governo que assumiria, sua loja teve um Natal muito melhor do que o esperado, com aumenta real nas vendas de 3% em relação a dezembro de 2001. Em janeiro, com as primeiras medidas maloccianas apontando para o continuísmo da política econômica, as vendas recuaram aos nível de 2000. Mesmo ressalvando o peso do não recebimento do 13º salário do funcionalismo estadual nessa performance, a fonte diz não ter dúvidas de que ela já reflete certo desencanto ou, pelo menos, desaceleração no otimismo com o novo governo.

Murchando II
Um dos termômetros do estado de ânimo da população, motoristas de táxi já andam falando mal do governo Lula. Uma das principais queixas é contra os seguidos aumentos dos preços dos combustíveis.

Preço
Integrantes do PT gaúcho andam particularmente preocupados com o futuro da legenda nas eleições municipais do próximo ano. Uma das explicações é que grande parte dos ataques do então candidato do partido ao governo estadual, Tarso Genro, contra seu adversário Germano Rigotto (PMDB) é que este era defensor da “reforma” da Previdência: “Não vote no Rigotto que ele é favor da “reforma” da Previdência” era uma das principais palavras de ordem dos petistas nas ruas, relembra o militante, preocupado, principalmente, com a súbita conversão de Genro às teses que combatia com ardor.

Posse
O novo presidente do CNPq, Erney Felício Plessmann de Camargo, toma posse hoje, às 10h30, na sala Álvaro Alberto, edifício sede do CNPq, W3 Norte Quadra 507, Bloco B, em Brasília. Camargo, 68 anos, é médico e pesquisador. Já ocupou diversos cargos ao longo de sua carreira acadêmica e científica, entre os quais de membro de Comitê Assessor e do Conselho Deliberativo do CNPq, instância máxima decisória do Órgão. Camargo exerceu ainda o cargo de Pró-reitor de Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) no período de 1988 a 1993. Antes de aceitar o convite para presidir o CNPq, ocupava o cargo de diretor do Instituto Butantã, em São Paulo.

Desplugado
A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota de protesto contra decisão do juiz da 12ª Vara Cível da Comarca de João Pessoa, que proibiu que a Telemar mantenha no ar a rede IP que serve o provedor UOL (do grupo Folha de São Paulo) nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Cabedelo, no Estado da Paraíba, e ordenou a desconexão do número telefônico da Embratel que atende os assinantes do UOL em João Pessoa. A ANJ considera que essa decisão configura-se uma ameaça à liberdade de imprensa.

Artigo anteriorVerão perigoso
Próximo artigoPequenas causas
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.