Grande jogada

Um comparativo explicita as prioridades da administração Sérgio Cabral (PMDB): o R$ 1 bilhão por enquanto previsto para ser gasto na terceira reforma do Maracanã nos últimos dez anos corresponde a 1 milhão de vezes o valor do salário líquido, de R$ 900, dos bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, que protestam por melhores salários e condições de trabalho.

Acabou a caixa preta
Organizações não governamentais (ONG), organizações sociais e afins que recebam recursos públicos fluminenses terão que divulgar esses repasses bimestralmente em seus sites. É o que determina a Lei 5.981/11, do Rio de Janeiro.

Torneiras
As obras para implantação do sistema de abastecimento de água de Inoã e Itaipuaçu, distritos de Maricá, na Região dos Lagos, começam nesta terça-feira. O presidente da companhia de abastecimento (Cedae), Wagner Victer, destaca que é o maior conjunto de obras da história do município, orçado em R$ 70 milhões. O empreendimento faz parte das melhorias do abastecimento do entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Ética
A International Coach Federation (Regional São Paulo) realiza no próximo dia 15 a palestra Ética e Coaching, com apoio do Senac-SP. Os interessados devem se inscrever pelo site icfsp.wordpress.com

Prevenção
A experiência do Rio de Janeiro com os desastres provocados pelas chuvas leva o presidente do Serviço Geológico do Estado (DRM-RJ), Flavio Erthal, à Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, para participar de audiência pública da Comissão Especial Medidas Preventivas Diante de Catástrofes Climáticas.

Hímen
A questão, agora, não é mais saber quando o ministro Antonio Palocci deixará o governo, mas qual a nova investida dos conservadores sobre a presidente Dilma, para arrancar novas concessões. A lição que fica para a presidente é perceber que, em lugar de terem o apetite aplacado, os rentistas tupiniquins e internacionais, a cada benesse recebida, se mostram ainda mais insaciáveis.

Jasmim
A JLT acaba de atualizar o seu tradicional World Risk Review, com o adendo do risco político com as mudanças em curso no Oriente Médio e Norte da África. Mais do que os óbvios aumentos nos ratings dos países da região, chama a atenção como a Líbia estava bem comportada antes de ser atacada pela Otan. Numa escala de 1 a 10 (onde 1 é o risco mais baixo), o país de Muamar Kadafi tinha, em 2010, notas melhores – do ponto de vista dos investidores e seguradores ocidentais – do que Egito ou Iêmen para quesitos como “Risco econômico”, “Expropriação” e “Quebra de contratos”. O risco de quebra de contrato, na visão da JLT, era similar ao da Arábia Saudita, feroz defensor do Ocidente na conturbada região.
Com a revisão, o rating da Líbia, especialmente, e também o do Egito, Baharen e Iêmen foram lançados às alturas. Nem a Arábia Saudita escapou: a possibilidade de greves e manifestações públicas ganhou nota 5.

Sangue
A clara redução no ritmo de crescimento do Brasil não satisfez os economistas encastelados nos meios de comunicação conservadores: eles querem que se pise no freio com mais força.

A voz do povo
Comentário de um internauta após as declarações de economistas num site conservador: “Bem, se algum dos meus filhos me disser que quer ser economista, vou trabalhar, vou tentar mudar a sua cabeça para que seja comentarista esportivo! Pelo menos as asneiras que ele disser na imprensa poderão ser divertidas…”

Deliquente?
É preciso ser um governante muito descolado dos interesses dos cariocas para chamar os bombeiros, como fez o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), de “delinquentes”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMeu garoto
Próximo artigoMuito além do Palocci

Artigos Relacionados

Suíça é ponte para exportações à Rússia

Vendas do País que lava mais branco aos russos cresceram mais de 80% desde fevereiro.

Homens pintam melhor que mulheres?

Não, mas recebem 10 vezes mais por obra.

Rio tem opções de áreas para termelétricas

Estado tem as melhores características na Região Sudeste, diz Wagner Victer.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.