Grande mídia segue comprometida com capital financeiro

As fake news para apresentar a esquerda, seus adeptos e suas ideias de maneira desfavorável.

Fatos e Comentários / 19:20 - 26 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Desde a eleição de 2018, os grandes jornais adotam uma retórica da equivalência em seus editoriais, em que Jair Bolsonaro e seus seguidores representariam uma ameaça à democracia comparável a Lula e ao PT, um partido de centro-esquerda que, por 13 anos à frente da presidência do país, respeitou as instituições democráticas.

Esta é uma das conclusões a que se chega através do estudo “Cerco midiático: O lugar da esquerda na esfera ‘publicada’”, de João Feres Júnior, publicado pela Fundação Friedrich Ebert. Feres Jr. analisa, a partir de informações levantadas pelo projeto Manchetômetro, elementos da cobertura jornalística política nos últimos anos.

Por meio da metáfora do cerco mostramos como a grande mídia utiliza de estratégias diferentes de representação para quase invariavelmente apresentar a esquerda, seus adeptos e suas ideias de maneira desfavorável. Entre tais estratégias está a inclusão intensiva no noticiário, mas somente como objeto de detração, não como voz, e a exclusão como objeto e voz”, avalia Feres Jr.

Para o autor, “a coleção de escândalos fabricados pela grande imprensa brasileira em períodos eleitorais e extraeleitorais (…) é passível de ser tomado como uma forma de fake news que precede o advento das redes sociais. A cobertura do sequestro de Abílio Diniz, em 1989, inaugura essa triste ‘tradição’ da imprensa tupiniquim. Mesmo a edição feita pelo Jornal Nacional do debate entre Lula e Collor, naquele mesmo pleito, também produziu um falseamento da realidade em tudo similar ao fake news”.

A análise da cobertura de imprensa, de 2014 até junho de 2020, revela viés expressivo contrário a Dilma, a Lula e ao PT, ao passo que Temer e Bolsonaro receberam tratamento bem mais benevolente. O início da pandemia marcou a virada do tratamento crítico dos jornais em relação a Bolsonaro, porém, mantiveram cobertura positiva em relação aos ministros Paulo Guedes e Sergio Moro.

As grandes empresas de jornalismo continuam a oligopolizar a produção de informação política em nosso país. Elas continuam todas concentradas no mesmo espaço do espectro político-ideológico que vai da centro-direita à direita. Elas continuam religiosamente comprometidas com a defesa do neoliberalismo e dos interesses dos capitais financeiro e agroexportador, em prejuízo dos setores mais desprivilegiados de nossa socieda-de”, conclui Feres Jr.

 

Entrega

O Projeto de Lei Complementar 129/2019, que pode ser votado pelos vereadores cariocas nesta terça-feira, atinge em cheio a geração de renda de até 34 mil entregadores na capital. É o que sustentam entidades como Amobitec, Abrasel, ANR, Camara-e.net e Sindrio.

O destaque aqui é ver que as associações que assinam a nota não representam os trabalhadores, mas sim as empresas de entrega a domicílio (tipo Uber Eats e iFood) e os clientes delas (bares e restaurantes). Uma preocupação que não demonstram ao empregar os entregadores sem direitos trabalhistas.

O projeto estabelece normas como a exigência de uso de placa vermelha e autorização específica de motofretista – uma espécie de autonomia. O apoio entre os vereadores vai da direita à esquerda, assim como os pedidos de ajuste no texto.

 

Novo rico

Enquanto outros candidatos cariocas fazem corpo-a-corpo no Mercadão de Madureira, o Partido Novo faz SUV-a-SUV na Autoestrada Lagoa-Barra. Não fossem "carrões do ano", daria até pra ver a sombra dos adesivos "AÉCIO45", colados ao vidro em passado quase nada distante.

 

Rápidas

Os encontros com os candidatos à Prefeitura do Rio, realizados pela Associação de Supermercados (Asserj), prosseguem nesta terça-feira, 17h, com Eduardo Paes (DEM), no canal do Youtube da entidade *** Aasp realizará nesta terça, às 16h, o webinar “Fraude na sucessão familiar”. Inscrições aqui *** A fim de impulsionar a geração de empregos, renda e diversidade cultural, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) lançará nesta quarta-feira, com a presença do ministro da Educação, Milton Ribeiro, o Prêmio Delmiro Gouveia de Economia Criativa. Serão distribuídos R$ 900 mil aos 9 estados do Nordeste. Inscrições até 9 de novembro *** A franquia de doces e salgados Lecadô chega à Baixada Fluminense com a abertura de 4 unidades na região. Com isso, a rede passará a contar com 32 unidades.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor