Guedes chama servidor público de ‘parasita’

Ministro criticou estabilidade e reajustes automáticos do funcionalismo.

Conjuntura / 22:48 - 7 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Talvez esquecendo-se de que está investido em cargo público, o ministro da Economia, Paulo Guedes, atacou nesta sexta-feira os funcionários públicos. Durante evento na FGV do Rio, Guedes comparou os servidores a “parasitas” que querem reajustes automáticos, o que, segundo o titular da pasta, a população não quer mais.

“O funcionalismo teve aumento 50% acima da inflação. Além disso, tem estabilidade na carreira e aposentadoria generosa. O hospedeiro está morrendo, o cara (servidor) virou um parasita. O dinheiro não chega no povo e ele (servidor) quer reajuste automático”, afirmou Guedes.

O ministro disse que a maioria da população defende que servidores concursados podem ser demitidos. “A população não quer mais isso, 88% das pessoas são a favor de demissão no funcionalismo público”, afirmou.

De acordo com Guedes, o clima no Congresso Nacional está extraordinariamente favorável às reformas propostas pelo governo. O Parlamento “abraçou as reformas mesmo”, afirmou. Ele lembrou que, no início do atual governo, houve reação às ideias propostas pelo Executivo, mas ressaltou que tudo ocorreu dentro da tradição brasileira e da maturidade que o país vem desenvolvendo nos últimos 30, 40 anos. Guedes mostrou-se confiante em que o Congresso faça a parte dele.

“Vejo o Congresso abraçado com as reformas. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia [DEM-RJ], abraçado na [reforma] tributária, abraçado na [reforma] administrativa. É o trabalho dele. Estou fascinado com a dinâmica brasileira, do que parecia ser caótico e que, ao contrário, está se comportando de forma extraordinária, com todo mundo entendendo a sua missão”, afirmou.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor