História se repete

O ganho dos trabalhadores – e também da classe média – que aparece em pesquisa da FGV sobre melhora da distribuição de renda no país está sendo pago pelo setor produtivo exportador e pelo governo. “Os bancos mantêm intacta sua lucratividade recorde”, afirma a pesquisadora da Uerj Beatriz David. “Foi assim que a República Velha caiu”, ironiza.

Rumo
O Brasil é Viável? pergunta o livro que a editora Paz e Terra lança em setembro. Coordenado por Joaquim de Carvalho, consultor na área de energia e ex-diretor de estatais do ramo, a obra reúne o trabalho de diversos autores, com prefácio do economista Carlos Lessa. É um panorama da situação econômica, social e política do país. Segundo o coordenador, o livro não se limita “à posição fatalista de identificar problemas e cruzar os braços. Além de identificá-los e analisá-los minuciosamente, propusemos possíveis linhas para equacioná-los e solucioná-los parcial ou completamente, num prazo realista”. Os assuntos são tratados de forma clara e acessível para não especialistas. Carvalho afirma que, para que o Brasil seja viável, é indispensável começar por uma reforma política que dê aos eleitores a possibilidade de acompanhar de perto o desempenho dos eleitos e de cobrar-lhes atitudes coerentes com o que prometeram em suas campanhas eleitorais.

Fundos
Alfredo Egydio Setubal, do Banco Itaú, encabeça a chapa única para a diretoria da Anbid para o mandato 2006/2008. A eleição será no próximo dia 29.

Furto
Segundo pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Administração (FIA), o prejuízo do varejo carioca com diversas perdas, principalmente por furto, chega a R$ 600 milhões, ou 1,68% do faturamento das empresas no país. Para tratar do tema, a Plastrom Sensormatic, empresa do segmento de segurança eletrônica, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas do Rio de Janeiro, promove workshop no dia 24 de agosto, no Everest Rio Hotel, em Ipanema.

Sofrimento
O livro Memórias de uma (outra) guerra – Cotidiano e medo durante a Segunda Guerra em Santa Catarina (Editora UFSC), da historiadora Marlene de Fáveri, recebeu o Prêmio de História Lucas Alexandre Boiteux, concedido pelo Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina. A obra, esgotada em poucos meses, acaba de ganhar uma nova edição. A pesquisadora denuncia, com farta documentação e depoimentos, o sofrimento a que foram submetidos os descendentes de imigrantes alemães e italianos durante a guerra.

No contexto
O professor José Luís Fiori, do Instituto de Economia da UFRJ, realiza, hoje, a palestra “O Brasil no contexto mundial”, às 18h30m, no auditório do nono andar da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), à Rua Araújo Porto Alegre 71, no Centro do Rio. O evento é promovido por ABI e Corecon-RJ, entre outras entidades.

Inimaginável
Esta coluna não foi o único canto da imprensa cético em relação à mirabolante versão sobre o suposto seqüestro de aviões na Inglaterra por hordas de terroristas portadores de explosivos líquidos em recipientes como mamadeiras. O prefeito do Rio, César Maia (PFL), lembra em seu ex-blog que, sexta-feira, o jornal britânico The Guardian publicou editorial, também mostrando seu estranhamento com a história: “Não existir provas claras de algo que era “iminente” e causaria “assassinatos em massa em uma escala inimaginável” é, para dizer o mínimo, peculiar”, afirma o jornal.
Assinado por Craig Murray, o editorial ressalta ainda que nenhum dos supostos terroristas produzira uma única bomba, nem comprara passagem aérea. Além disso, muitos dos acusados sequer têm passaporte: “Seria muito difícil convencer um juiz de que estes indivíduos estavam prestes a realizar ataques suicidas a bomba”, diz o editorial.

“The law is blind”
Mesmo assim e apesar do histórico de déficit de credibilidade do governo Tony Blair, a Justiça britânica resolveu, esta semana, indiciar 11 dos 23 acusados. Enquanto isso, os responsáveis confessos pelo assassinato do brasileiro Jean Charles Menezes não só continuam soltos, como voltaram a patrulhar as ruas londrinas.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGordura
Próximo artigoParreira da Silva

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.