Hood Robin

De 2007 a 2011, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, promoveu uma regressão tributária de 84 bilhões de euros. Os dados são de estudo do think tank Terra Nova e do jornal Libération, citados, em artigo no portal Carta Maior, por Flávio Aguiar, para quem Sarkozy fez “uma política redistributiva de renda para os mais ricos”. Esse processo se deu pela redução de impostos, que gerou ganhos extras de 50 bilhões para o setor corporativo e de 34 bilhões para os proprietários de imóveis. Desta última fatia, assinala Aguiar, 19 bilhões foram destinados aos 10% das propriedades mais ricas e 15 bilhões aos 90% restantes.

Maquiagem
De acordo com estudo, ao congelar em 50% a alíquota máxima de Imposto de Renda, Sarkozy permitiu que a dona da empresa de cosméticos L”Oréal, Liliane Bettencourt – forte apoiadora do presidente – obtivesse uma devolução retroativa de 30 milhões de euros. A pesquisa mostra, ainda, o outro lado, das benesses tributárias para os muito ricos, ao sustentar que a relação da dívida pública sobre o Produto Interno Bruto (PIB) da França, hoje em 85%, seria menor do que a alemã (83,5%), caso não houvesse a mega renúncia fiscal promovida por Sarkozy.

Quem paga a conta
Além disso, ao assumir o governo, em 2007, a França tinha uma taxa de desemprego de 7,9%, que saltou para 10% ao fim do seu mandato. Como, na sua campanha, Sarkozy, que domingo deve receber a resposta das urnas, prometera que os franceses trabalhariam menos e ganhariam mais, Aguiar ironiza: “Ou seja, quem trabalha menos, na verdade, são os desempregados.”

Negócios da Baixada
Gerar negócios de R$ 30 milhões para período de 2012 a 2114. Essa é a perspectiva do 9º Encontro de Negócios do Grande Rio, que será realizado pela representação da Baixada Fluminense Área II da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), entre 29 e 31 de maio, na sede do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Duque de Caxias.
Presidida por Flávio Abreu, diretor-executivo do Parque Industrial da Bayer em Belford Roxo, a regional da Baixada reúne os municípios de Duque de Caixas, Belford Roxo, Magé, Paty de Alferes, Miguel Pereira, Guapimirim e São João de Meriti, com um Produto Interno Bruto (PIB) total de R$ 36,5 bilhões, que abrigando parques dos setores químico, petroquímico, alimentação, têxtil, logística, transportes, meio ambiente, educação, gráfico, moveleiro, metalurgia, médico hospitalar e energia.

PF no Rio
Cerca de 350 delegados da Polícia Federal de todo o Brasil devem participar do 5ª do congresso nacional da categoria, nos próximos dias 25, 26 e 27, no Hotel Windsor Barra, no Rio de Janeiro. Organizado pela Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), o congresso, que terá como principal tema “A Polícia Federal que o Brasil quer”, reunirá ainda advogados, juízes, juristas, promotores, parlamentares e representantes sociais. Os participantes também vão tratar dos grandes eventos que o Brasil vai sediar, como Copa 2014 e a Olimpíadas 2016.

Autocrítica
Em editorial publicado esta semana, o Los Angeles Times, um dos jornais mais influente dos EUA, admite que a política do governo estadunidense dos últimos 53 anos para tentar isolar Cuba internacionalmente, em particular na América Latina e no Caribe, fracassou. A constatação vem já no título do editorial “Tempo de incluir Cuba”. Prisioneiro dos interesses paroquiais de setores do eleitorado de Miami, no entanto, o presidente Barack Obama, a exemplo de seus antecessores, continua apegado ao modelo fracassado.

Feira
O Ministério Público encaminhou ao Tribunal de Justiça de São Paulo representação do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) contra o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD). O parlamentar acusa Kassab de “condescendência criminosa” em relação a ilegalidades praticadas na Feira da Madrugada. A denúncia fora protocolada em agosto de 2011. Como Kassab tem foro privilegiado, porém, o MP só pode investigá-lo se houver autorização do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Artigo anteriorNa chuva
Próximo artigoArmadilha
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.