Ibovespa dá sinais de recuperação

Os contratos futuros do Ibovespa com vencimento em agosto subiam 0,63%, aos 73.250 pontos, às 9h33 (horário de Brasília) desta...

Mercado Financeiro / 17:24 - 11 de jun de 2018

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os contratos futuros do Ibovespa com vencimento em agosto subiam 0,63%, aos 73.250 pontos, às 9h33 (horário de Brasília) desta segunda-feira (11), se recuperando depois da queda de 4.900 pontos na última semana, com os investidores digerindo a última pesquisa Datafolha e de olho nos eventos da semana. Enquanto isso, dólar devolveu toda alta com o BC entrando no mercado, enquanto os DIs seguem com processo de ajuste.

A pesquisa Datafolha divulgada no último domingo (10) reiterou a liderança de Jair Bolsonaro (PSL) em cenários sem Lula, mas apenas em primeiro turno, apontando para um quadro indefinido e não confirmando as tendências apontadas em outras sondagens e que preocuparam o mercado, como favoritismo de Ciro Gomes (PDT) para ir ao 2º turno contra Bolsonaro e crescimento de Fernando Haddad (PT).

A pesquisa apontou Bolsonaro liderando com 19% as intenções de voto no primeiro turno em cenários sem o ex-presidente, ante 17% em abril, seguido por Marina Silva (Rede) com 14% a 15%. Ciro aparece atrás de Marina na pesquisa, Fernando Haddad também não repetiu desempenho promissor de sondagens anteriores, enquanto Geraldo Alckmin segue estagnado com 7%.

Nas simulações para o segundo turno, nos cenário sem Lula, Bolsonaro aparece empatado tecnicamente com Ciro (34% contra 34%) e Geraldo Alckmin (33% cada), ao passo que perderia de Marina Silva (32% contra 42%). Conforme o levantamento, o deputado venceria somente Haddad (36% a 27%).

Às 14:20, o Ibovespa estava cotado a 72.628,62 pontos com queda de 0,43%.

 

Dólar

 

Para conter a forte valorização do dólar neste começo de mês, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, anunciou na última quinta-feira (7) uma forte intervenção no mercado, sendo que até o final deste semana serão realizados leilões adicionais de contrato de swap cambial, equivalente à venda de dólares no mercado futuro, no valor total de US$ 20 bilhões. O presidente do BC não descartou adotar outras medidas de intervenção no câmbio, como o uso das reservas internacionais de US$ 380 bilhões do país para injetar dólar no mercado, ou a venda dos chamados contratos de linha.

Para esta segunda-feira (11), o BC ofertará até 8.800 contratos de swap para rolagem e anunciou agora pela manhã que irá realizar um leilão adicional de 50.000 contratos, em linha com o feito na última sexta-feira e que fez o dólar despencar 5,1%. Com a intervenção adicional, os contratos de dólar futuro negociados com vencimento em julho reverteram a alta e recuavam 0,20%, aos R$ 3,710.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor