Ielda - Comédia Trágica estreia no Teatro Firjan Sesi Centro no dia 6

Estreia nacional, texto inédito e direção do premiado Renato Carrera

Registro / 21:56 - 17 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

(Foto: Fernando Machado/Divulgação)

 

O ano de 2020 se inicia com a estreia de Ielda - Comédia Trágica, no dia 6 de janeiro, 2ª feira, no Teatro Firjan Sesi Centro. A nova comédia, que fica em cartaz às segundas e terças, em curta temporada até 11 de fevereiro, tem texto e direção assinados pelo premiado diretor e dramaturgo Renato Carrera - diretor de recentes sucessos como Malala, a menina que queria ir para a escola, o monólogo Gisberta (Luis Lobianco) e Abajur Lilás, que rendeu indicação ao Prêmio Shell de Melhor Direção.

A trama da nova peça se passa em 1989 e tem como pano de fundo os acontecimentos daquele ano. O humor irreverente, a falência da classe média carioca e a tentativa de recuperação da fé no futuro são retratadas de forma crítica e divertida em tom farsesco de tragicomédia.

O elenco conta com oito grandes atores se revezando em 19 personagens: Ângela Câmara, Carolina Ferman, Fernanda Sal, Marcel Giubilei, Ricardo Lopes, José Karini, Renato Carrera e Jean Marcel Gatti.

A peça narra a trajetória da personagem Ielda e as consequências de sua suspeita de assassinato. De origem humilde, ela é a empregada na casa de férias de Mário, na região serrana do Rio, onde um grupo de amigos de longa data se reúne para assistir ao último capítulo da novela Vale Tudo. Um crime acontece e o clima de desconfiança generalizada se volta para ela. A partir daí, acompanhamos as reviravoltas no cotidiano de Ielda e na vida do beco onde ela mora, atrás da Praça da Apoteose, durante todo o ano de 1989.

As cenas se desenvolvem durante as típicas festas da cidade: Carnaval, Semana Santa, Sete de Setembro, Natal e Reveillón. Sambas-enredo como Liberdade Liberdade, Ratos e Urubus Rasguem minha Fantasia e Festa Profana permeiam a trama além das músicas, cantadas ao vivo pelos atores, que são baseadas em hits da época como o Samba, Pagode, Funk e Pop.

Tudo acontece em cinco ambientes: o quintal de um barraco, uma pequena igreja construída na própria sala da casa de Ielda, um salão de beleza na beirada da linha do trem, a casa de férias na Região Serrana, onde ocorreu o assassinato e a cozinha da casa da mãe de Mário, na Zona Sul da cidade.

O texto foi criado com base nas vivências do diretor e autor na sua época de infância e adolescência como morador do bairro Catumbi e estudante do Ciep, no Sambódromo. Na construção da linguagem cênica, uma de suas principais influências é a obra do dramaturgo e diretor alemão Bertolt Brecht.

A equipe também inclui nomes premiados como o figurinista Tiago Ribeiro(Indicado ao Prêmio Shell), o iluminador Renato Machado (Prêmios Shell/APTR/Cesgranrio e outros), o cenógrafo Daniel de Jesus(Indicado aos prêmio CBTIJ e Cenym) e com trilha sonora original executada ao vivo e assinada por Adriano Sampaio e Pedro Costa.

O Teatro Firjan Sesi Centro fica na Av. Graça Aranha, 1, Centro (RJ). A temporada iniciará no dia 6 e vai até 11 de fevereiro. Telefone: (21) 2563-4163.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor