IGP-M acumula inflação de 28,94% em 12 meses

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 2,53% em fevereiro deste ano. Em janeiro, a taxa ficou em 2,58%. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), com o resultado, o índice acumula taxas de inflação de 5,17% no ano e de 28,94% em 12 meses.  Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, teve inflação de 3,28% em fevereiro, um pouco abaixo dos 3,38% de janeiro.

Segundo a FGV, o Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, também apresentou recuo na taxa de inflação, ao passar de 0,41% em janeiro para 0,35% em fevereiro. O Índice Nacional de Custo da Construção foi o único dos subíndices que teve alta na taxa de inflação de janeiro para fevereiro, ao passar de 0,93% para 1,07% no período.

Já de acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), a rigidez de um índice impreciso deveria ser substituída por negociações flexíveis entre as partes.

“Em 2020, enquanto o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) terminou em alta de 4,52%, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou aumento de 23,14%. É uma diferença expressiva de 18,62 pontos porcentuais em dois indicadores que, no limite, têm a função semelhante de medir a inflação no país, mas que se torna ainda mais problemática levando em conta que se tratam também de indexadores importantes da economia brasileira”, diz nota da instituição, que lembra que, desde 1980, tem questionado a utilização indiscriminada do IGP como um indexador preciso de reajustes em contratos e como medidor da inflação. Ele não reflete a realidade dos custos e dos preços de muitas transações econômicas e acaba influenciando negativamente no próprio processo inflacionário.

O IGP é, na verdade, a composição de três indicadores: o IPA (preços por atacado), o IPC (preços ao consumidor) e o INCC (preços da construção civil) que possuem ponderações diferentes no cálculo. O IPA representa 60% do índice, o IPC, 30% e o INCC, enfim, 10%. Essa característica, por si só, já atesta que o IGP como um indicador da inflação nem sempre espelha a realidade do mercado interno, o que se agrava se levarmos em conta que ele agrega preços praticados em setores muito distintos, como o atacado, o varejo e os materiais para construção.

A entidade defende que outros indicadores sejam adotados para aferir os preços praticados em diferentes realidades, como o próprio IPCA, mas também o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), no âmbito do consumo, além do Índice de Preços ao Produtor (IPP), no âmbito do custo produtivo, também elaborado pelo IBGE.

” Para quem é locatário de um imóvel hoje no Brasil e, assim, está sujeito ao indexador, há pelo menos quatro fatores negativos imediatos: além da média muito superior aos demais indicadores, como já dito, há ainda a vulnerabilidade perante qualquer alta do dólar, o benefício expressivo concedido ao proprietário com um indexador tão alto e, enfim, a injustiça de pagar por um contrato cujos reajustes são dobrados, já que a composição do IGP faz com que, muitas vezes, um aumento de preço seja computado duas vezes: no IPA e no IPC que o compõe.”

 

Com informações da Agência Brasil

Artigos Relacionados

Aprovada entrega do IRPF até 31 de julho

Prazo atual é 31 de maio. Texto segue para sanção de Bolsonaro.

Jornalista agora pode ser MEI

Senado tentou incluir corretor de imóveis, publicitários e produtores culturais no projeto.

STF decide julgar no plenário a anulação de sentença de Lula

Julgamento prossegue nesta quinta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Jornalista agora pode ser MEI

Senado tentou incluir corretor de imóveis, publicitários e produtores culturais no projeto.

STF determina reintegração de excluídos do Bolsa Família

Ministro Marco Aurélio avaliou que Governo Federal estava descumprindo determinação.

Preços dos medicamentos voltam a subir em março

Segundo levantamento, resultado reflete agravamento da pandemia, colapso das unidades de saúde e depreciação cambial.

Planos devem autorizar exame de Covid de forma imediata

Antes da determinação da ANS, os planos podiam demorar até três dias úteis para garantir o atendimento ao pedido.

Cresce demanda árabe por café verde e solúvel do Brasil

No primeiro trimestre deste ano, país exportou 37% mais café à região; além dos grãos verdes, crus, países têm demandado mais produto solúvel.