Implosão

A reacomodação de forças internas na seção do Estado do Rio de Janeiro do PSB após a entrada do governador Anthony Garotinho e seus seguidores ameaça provocar a debandada de socialistas históricos. É expressivo o número de pessebistas de lugares como o Sul Fluminense, por exemplo, que promete deixar o partido caso nele ingressem adversários históricos. A maior perda, no entanto, segundo se comenta nos bastidores do PSB, seria a saída do senador Saturnino Braga, que estaria de malas prontas para deixar o partido. A exemplo de alguns torcedores, o ex-governador Leonel Brizola já deve ter preparado o cartaz com a inscrição premonitória “Eu já sabia!”.

Mão na poupança
Os detentores de cadernetas de poupança no HSBC foram surpreendidos pela informação de que o banco resolveu tornar-se, unilateralmente, sócio compulsório de seus parcos rendimentos. Em comunicado aos clientes, o HSBC informa que passará a cobrar mensalmente R$ 4 pelo cartão eletrônico do poupador. Com isso, quem mantiver uma caderneta com R$ 800 sem depósitos ou retiradas terá todo o seu ganho embolsado pelo novo sócio. É bom lembrar que, no caso de o BC elevar o redutor que incide sobre o cálculo da TR, corrigindo-a abaixo da inflação, o rendimento pode ser negativo.

Sem luxo
O deputado Eurico Miranda (PPB-RJ), presidente do Vasco da Gama, provavelmente terá que dar muitas explicações sobre as denúncias feitas na campanha movida por um grupo de comunicação contra ele. Mas pelo menos de uma acusação o deputado já está previamente absolvido: a de ter uma mansão em Boca Raton, bairro chique de Miami. Para os padrões locais, casa de US$ 400 mil está mais para um barraco melhorado.

Apreensão
A seção brasileira do Fundo Mundial para a Natureza (WWF-Brasil) conseguiu liminar, concedida em segunda instância, que determinou ordem de busca e apreensão no escritório do Movimento de Solidariedade Ibero-americana (MSIa), no Rio de Janeiro. Segundo o MSIa, o WWF-Brasil obteve o arresto e custódia de exemplares de publicações que considera difamatórias de suas atividades à frente do movimento ambientalista, principalmente na investida contra projetos de infra-estrutura como a hidrovia Paraná-Paraguai.
De acordo com o MSIa, o pedido fora inicialmente indeferido pela 24ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Na contestação, o movimento procura mostrar que tem provas de suas acusações. A defesa está a cargo do escritório de Hermann Assis Baeta, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Poeira
Um “Manifesto Integralista 2001” está sendo distribuído via Internet. Com direito ao símbolo do movimento, foto de Plínio Salgado e ao cumprimento “Anauê”, o documento tenta provar que o Movimento Integralista ainda vive. Uma dúzia de entidades pouco conhecidas assina o manifesto, que critica “a fome, a miséria, o desemprego e, sobretudo, atos omissos de governantes tangidos pela incompetência, pela desonestidade e pelo desamor à causa pública.” Afirma que a dívida externa já foi paga e que o país “deixar-se dominar por um monetarismo explorador das classes obreiras que as subjuga ao banqueirismo internacional, porquanto este sempre procurou entravar o nosso desenvolvimento, com as inevitáveis imposições recessivas, sugando nossas energias e nosso sangue, através de juros extorsivos e lesivos à sociedade brasileira.”

Invasão de privacidade
A quebra dos pontos.com nos Estados Unidos engendrou um problema ético adicional que está opondo órgãos de defesa do consumidor e os interessados na lista de clientes dos sites que vão à breca. Numa sociedade tão ciosa quanto a norte-americana em relação à preservação da sua privacidade, a simples idéia de ter dados pessoais repassados aos novos donos dos sites causou arrepios e indignação. O problema atingiu tal dimensão que a Comissão de Comércio dos EUA interveio a favor dos consumidores.

Contaminada
O Idec, instituto de defesa do consumidor de São Paulo,  realizou, com o objetivo de avaliar a água que o consumidor recebe em casa, teste envolvendo 113 pontos de abastecimento de três grandes estados. Em São Paulo, apesar da qualidade da água ser considerada apropriada, o grande problema está no racionamento e nos constantes vazamentos. Já no Paraná, a falta de cloro e a coloração alterada da água prejudicam o consumo. No Rio de Janeiro, verificou-se a pior situação: moradores consomem água contaminada por coliformes fecais. Este problema carioca já havia sido denunciado pelo MONITOR MERCANTIL em série de reportagens realizadas no ano passado.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFusões x demissões
Próximo artigoAcéfalo

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais