Importadores de carro projetam alta de 34% em 2020

Ano passado foi de frustração de expectativas, com queda de 8% sobre 2018.

Empresas / 17:54 - 8 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

As 15 marcas filiadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa), esbanjam otimismo em 2020. A entidade estima emplacar, entre importados e produção nacional, 90 mil unidades este ano, crescimento de 33% sobre os dados de emplacamentos de 2019.

O ano passado foi de frustração de expectativas. A Abeifa fechou com licenciamento de 34.597 unidades importadas, queda de 7,9% sobre 2018.

No segundo ano sem os 30 pontos percentuais adicionais no IPI, do Programa Inovar-Auto, vislumbrávamos obter uma recuperação mais sólida, mais consistente. Mas, desta vez, a persistente alta do dólar inibiu os nossos negócios, em especial no segundo semestre do ano passado”, argumenta José Luiz Gandini, presidente da Abeifa.

As associadas que têm produção nacional (BMW, CAOA Chery, Land Rover e Suzuki) foram no sentido contrário e terminaram 2019 com 33.090 unidades emplacadas, alta de 39,6%.

Em princípio, nossa primeira projeção pode parecer otimista demais, diante das estimativas já anunciadas pela indústria e pelo setor de distribuição, na casa de 10%. Em nosso caso, porém, o porcentual de crescimento é maior por conta da demanda reprimida de 2019, ano em que o dólar flutuou na média mais próximo aos R$ 4,00”, argumenta Gandini.

No ano passado, as associadas da Abeifa ficaram com 2,55% do mercado (67.687unidades do total de 2.659.278 unidades emplacadas no Brasil). No nicho de veículos importados, aqueles trazidos também pelas montadoras não sócias, a Abeifa respondeu por 12,01% dos 288.103 veículos trazidos de fora.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor