Importância da atividade física para circulação

Por Ricardo Brizzi.

Opinião / 16:46 - 19 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Atividade física é a grande aliada da boa circulação. A prática correta auxilia na distribuição do sangue pelo corpo, já que os maiores troncos venosos estão localizados juntos aos grupamentos musculares. A panturrilha funciona como uma “bomba muscular”, auxiliando no retorno venoso dos pés de volta para o coração. Muitas pessoas em isolamento social estão buscando alternativas para se exercitar mesmo dentro de casa. Para quem possui varizes, deve obrigatoriamente passar por uma avaliação e procurar tomar alguns cuidados na escolha da atividade.

Uma dúvida comum entre as mulheres é se a corrida, mesmo na esteira, e a musculação podem causar varizes. Qualquer exercício físico é benéfico para prevenir varizes. O que pode acontecer é diminuição do tecido gorduroso, deixando as veias mais aparentes. Um trabalho de tonificação e hipertrofia da musculatura dos membros inferiores, principalmente panturrilha (batata da perna) é perfeitamente recomendável.

Quem não tem predisposição para varizes não as terá só por que faz ginástica com pesos ou corre.

O paciente que já tiver uma herança favorável ou uma tendência, a atividade fisiculturismo, essa sim, pode levar a ter varizes. Devem-se evitar para quem já tem o problema, os esportes de contato ou combate em pacientes que usam anticoagulantes.

Porém, o grande vilão é o sedentarismo. O ideal é movimentar-se.

Para quem não pratica esporte, deve-se caminhar e não ficar muitas horas parado. Para quem não pode caminhar, é importante que de tempos em tempos faça um exercício de contração da panturrilha. Evite alimentos ricos em sal, que fazem retenção de líquido. Bebidas alcoólicas em demasia também são prejudiciais pois o álcool favorece a vasodilatação.

Com o isolamento neste período de quarentena, afastados de suas atividades diárias de caminhadas e corridas, muitas pessoas passam a maior parte do tempo sentadas ou deitadas. Essa imobilidade pode afetar a circulação sanguínea. É preciso algumas medidas para evitar inchaços, sensação de peso nas pernas e as e até as temidas tromboses.

Uma dica bem simples é a movimentação dos pés pra cima e para baixo trabalhando a panturrilha, que auxilia no bombeamento do sangue para o coração, levantar a perna retirando o pé do chão até formar um ângulo de 90 graus entre a perna e joelho alternando as pernas. Vale também deitar e deixar as pernas elevadas por pelo menos 30 minutos diariamente.

As varizes não são só uma questão estética, a doença precisa ser tratada, já que as veias dilatadas podem estar associadas a complicações mais graves como processos inflamatórios na pele como tromboflebite, feridas como úlceras varicosas e ter relação até com a trombose. A partir dos 30 anos é comum aparecerem varizes que podem ir piorando com o passar dos anos. Só no Brasil atingem mais de 20 milhões de pessoas, sendo a maioria mulheres.

A população feminina é mais atingida por essa doença por causa dos hormônios. No entanto, o problema também pode afetar os homens, que, por falta de informação ou conhecimento, na maioria das vezes, só costumam buscar o tratamento quando a doença já se encontra em um estágio avançado.

Fazer um check-up vascular é muito importante, porque, com o passar dos anos, acontece o envelhecimento natural dos vasos sanguíneos.

O principal fator de risco para se ter varizes é a presença desta doença na família: a hereditariedade. Porém, o sobrepeso, provocado pela obesidade, aumenta a pressão sobre as veias e dificulta o retorno venoso. E outros fatores que contribuem são o uso de hormônios e o sedentarismo.

Ricardo Brizzi

Angiologista e cirurgião vascular, é membro da Sociedade de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro e um dos responsáveis pelo setor de cirurgia vascular e endovascular do Hospital Badim, do Hospital Israelita e Hospital Norte D’Or.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor