Impunidade

Fatos e Comentários / 17:22 - 6 de abr de 2000

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) atacou ontem o clima de impunidade que assola o país: "A Justiça não está cumprindo o seu papel e a classe política está exposta ao ridículo", afirmou o senador, citando a troca de insultos entre o presidente do Senado, Antônio Carlos Magalhães, e o líder e presidente do PMDB, senador Jader Barbalho. Para Simon, as denúncias trazidas à tribuna, a maioria registradas pela imprensa, somam-se aos escândalos que foram apurados pelas CPIs e que até hoje não têm uma solução. O senador criticou a passividade homens públicos e sugeriu uma reunião das lideranças de todos os partidos para a elaboração de propostas que venham acabar com a impunidade. Direitos Ao arrepio da lei, segundo interpreta o Procon, a Casas Sendas continua se recusando a etiquetar os preços de seus produtos. Esta semana, uma cliente, que de há muito alimentava desconfiança sobre a concordância entre os preços reais e os que pagava no caixa, resolveu promover uma checagem esclarecedora. Diante da má vontade habitual dos supermercados nestes casos, a fila na loja da Rua Barão de Itambi, no Flamengo, ficou paralisada pelo que pareceu a seus freqüentadores uma eternidade. A espera quase interminável, porém, não arrefeceu o apoio dos demais clientes à consumidora empenhada na defesa de seus direitos. Nomenclatura Sugestão semântica aos criadores dos neologismos do jornalismo econômico: em vez de nova economia, que tal nova gangorra? No ar O Canal Universitário de Campinas - administrado pelas universidade Unicamp, PUC Campinas, USF e Unip - será inaugurado hoje, às 14h, com uma entrevista ao vivo do senador Pedro Simon (PMDB-RS). Relator da Lei de Comunicação Eletrônica de Massa, Simon participará de uma mesa redonda na Unicamp sobre o tema. O debate vai ao ar pelo Canal 10 da Net. Outra via Apesar das muitas evidências em contrário, nem só de tramar maldades contra os aposentados vive o Ministério da Previdência. A gerência Sul do INSS, por exemplo, anuncia estar em curso uma campanha de fiscalização em 60 estabelecimentos da Zona Sul. A blitz, que alcançará, entre outros, bares, restaurantes e casas de show, tem por objetivo combater a sonegação. A previsão do órgão é arrecadar R$ 10 milhões até o fim do mês. Está aí um caminho, que, se rotineiro, além de livrar o bolso dos segurados das garras da equipe econômica, ajudaria o país a pagar um salário mínimo menos vergonhoso. Acima da lei Se submetido ao frouxo controle do Senado, o Banco Central já pinta e borda, imagina o que não aconteceria se a independência do BC fosse oficializada. Razões não faltam Seja por corrupção ou por calúnia, injúria, difamação ou ainda quebra de decoro, o Senado já tem motivos mais do que sobra para caçar pelo menos um mandato: ou de ACM ou de Jáder Barbalho. É apenas uma questão de escolha e investigação. Arrogância A declaração do ministro Pedro Malan, da Fazenda, de que o atual salário mínimo é o maior que o Brasil já teve e que só muda de opinião se ver "uma pesquisa com rigor metodológico" que lhe prove o contrário não é somente um escárnio com a população obrigada a se equilibrar com um salário de fome. É também retrato arrogância da plutocracia econômica que escolhe o que lhe agrada e o que não, com apoio entusiasta da imprensa chapa branca.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor