Império

Lula foi entrevista do pela revista Time, para uma matéria sobre a perda de influência dos EUA na América Latina. A popularidade do candidato do PT à Presidência da República, informa a revista, vem da rejeição popular do modelo neoliberal. “O Consenso de Washington”, diz à Time o professor Terry Karl, da Universidade de Stanford, “aprofundou a concentração de renda e de poder, numa região que já sofre com a pior desigualdade do mundo”. Lula afirmou que, se for eleito, a aprovação da Alca poderá ter que esperar para além de 2005. “A América Latina”, disse Lula, “tem que parar de tratar os Estados Unidos como se fossem um império”.

P-36
O campo petrolífero de Roncador, localizado na Bacia de Campos (RJ), voltará a operar a partir de setembro no local do naufrágio da plataforma P-36, ocorrido em março do ano passado. Receberá uma nova plataforma para retomar a produção petróleo e gás. A plataforma começará produzindo 10 mil barris/dia de petróleo. A produção do campo, que possui reservas superiores a 1 bilhão de barris, era de 86 mil barris petróleo dia quando ocorreram as explosões. A nova unidade, que chagará em outubro, é provisória e ficará operando até que uma plataforma definitiva seja construída para o campo, conforme disse o diretor financeiro da Petrobras, João Nogueira Batista.

Tática
Leitores dessa coluna questionaram a capacidade do principal assessor econômico de Anthony Garotinho, Tito Ryff. É claro que não se duvida da formação e dos conhecimentos de Ryff, ex-secretário estadual do Rio de Janeiro em dois governos. Mas estranham ele ter afirmado, em entrevista a uma rádio, ontem, que apoiava a manutenção do superávit primário em 3,75% do PIB, mas que o dinheiro daí resultante seria utilizado na área social e não para pagar juros. É claro que, se o valor dos gastos sociais do governo aumentar, o superávit cai; Tito Ryff, na verdade, apenas evitou falar dessa forma para não ir contra um dos dogmas do “mercado”, que os candidatos teimam em agradar.

Seis e meia dúzia
O pior na tática dos candidatos de oposição de não desagradar o “mercado” é que o discurso deles fica cada vez mais semelhante – e com pouca, ou nenhuma, diferença para o que diz o governista José Serra. Tito Ryff disse, ainda na entrevista à radio, que o programa do candidato do PSB defende a manutenção do superávit primário, do câmbio flutuante e das metas de inflação. Assim, fica difícil entender a afirmação de Tito Ryff de que a reunião entre Garotinho e o presidente Fernando Henrique, se acontecer, não será uma chancela à política econômica do governo. Se mantido o tripé dessa política – como quer o FMI e concorda Ryff – qual a diferença substancial?

Infra-estrutura
A Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib) e o Partido dos Trabalhadores (PT) acabam de criar um grupo de trabalho para discutir propostas para um futuro plano de governo para o setor de infra-estrutura. A idéia, que partiu do presidente da entidade, José Augusto Marques, foi aceita por Luiz Inácio Lula da Silva durante encontro com empresários associados da Abdib, no dia 5 de agosto. Lula designou para as discussões o físico Luiz Pinguelli Rosa e Antônio Palocci Filho, ex-prefeito de Ribeirão Preto e coordenador do programa de governo petista. O primeiro encontro está marcado para sexta-feira.
A Abdib, fundada em 1955, reúne 150 empresas da área de infra-estrutura, entre investidores, operadores e fornecedores de bens e serviços. O segmento obteve um faturamento de R$ 103 bilhões em 2001 e emprega cerca de 294 mil profissionais. No ano passado, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento na melhoria e expansão dos processos produtivos das empresas do setor atingiram R$ 1,1 bilhão.

Contra
Pelas fotos que têm sido distribuídas pela assessoria do candidato José Serra, sua vice, Rita Camata, não precisa de inimigos. Na última, a bela deputada aparentava ter uns 20 anos mais e quase engolia um microfone.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCarteira
Próximo artigoTransfusão

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Acusações de palhaça e possível ação da CVM fazem ação da TC desabar

Papéis chegaram a recuar mais de 25% no pregão desta quinta-feira.

Aqui, na terra, a coisa está preta

Por Paulo Alonso.

Setor público registrou superavit de R$ 358 bi em 2021

O setor público brasileiro registrou um superavit orçamentário de R$ 358 bilhões em 2021, resultado que deriva dos cerca de R$ 6,3 trilhões em...

Triste realidade

Em cada 4 bairros do Rio, 1 tem milicianos ou traficantes

Pré-candidatura de Ceciliano ao Senado ganha apoio na Região Serrana

Prefeito do PSB vira as costas para candidato do partido.