Inadimplência na educação vai se manter estável no segundo semestre

209
Sala de aula (Foto: Rahel Patrasso/Agência Xinhua)
Sala de aula (Foto: Rahel Patrasso/Agência Xinhua)

Levantamento, realizado em setembro com, aproximadamente, 300 escolas, mostra que a inadimplência para o segundo semestre desse ano vai se manter em um patamar estável ou até diminuir. Além disso, o levantamento, realizado pelo Grupo Rabbit intitulado Megatendências da Inadimplência Escolar, apontou a migração de estudantes de escolas privadas para públicas.

A amostragem considerou 48,3% de instituições com Educação Infantil e Ensino Fundamental; 32,8% delas com todos os segmentos, da Educação Infantil ao Ensino Médio; 13,8% com Educação Infantil e 5,2% com outras possibilidades. Foram levadas em conta escolas de pequeno, médio e grande porte.

Quando os mantenedores e diretores foram questionados sobre o registro de casos de cancelamento de matrículas desse ano, 59,6% dos respondentes afirmaram ter tido ocorrências dessa natureza em junho e 67,5% disseram sim para esse mesmo tipo de baixa em julho, o que representou um avanço de praticamente 8% de um mês para o outro.

Em junho, as escolas que mais sofreram com essas “quebras” foram aquelas com Educação Infantil e Ensino Fundamental. Já no mês de julho, houve um empate entre ambas, a partir de 65,2% de inadimplência, e as que possuem todos os níveis de ensino (66,7%).

Espaço Publicitáriocnseg

O estudo também analisou o percentual de mensalidades em atraso, considerando 30 dias após o vencimento. Em junho, a média de atraso para as escolas de Educação Infantil foi de 3,5%, nas de Educação Infantil e Ensino Fundamental foi de 10%; e naquelas com todos os segmentos de ensino foi de 9,4%. Em julho, as instituições com Educação Infantil tiveram atraso de 3,1%, as de Educação Infantil e Ensino Fundamental de 11% e as com todos os níveis de ensino com 11,1%.

Fazendo recorte para a inadimplência em junho, as escolas com Educação Infantil registraram índice de 2,8%; as de Educação Infantil e Ensino Fundamental registraram um índice de 9,2% e as com todos os níveis de ensino ficaram em 9%. No mês de julho, os índices respectivos foram: 3%, 9,7% e 9,6%.

Os entrevistados foram questionados sobre a comparação da inadimplência entre junho desse ano e do ano passado e a conclusão foi a seguinte: para as escolas de educação infantil e as instituições que possuem todos os níveis de ensino, esse indicador está menor (50% e 50,7% respectivamente). Para as escolas com Educação Infantil e Ensino Fundamental, esse mesmo tópico está igual com índice de 42,9% (gráfico abaixo).

A expectativa predominante de inadimplência para o segundo semestre desse ano é de que os patamares sejam iguais ou menores.

A respeito do reajuste de mensalidades para 2023, a maioria já os definiu, destaque para as que têm Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. A maioria das escolas pretende oferecer desconto na primeira parcela da anuidade, com índices superiores a 80%.

Leia também:

Inadimplência e endividamento batem maiores valores em 12 anos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui