Incomodado

A debandada do Chile do Mercosul não foi um movimento isolado. Pouco dias após a Cúpula das Américas em Brasília, o ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger, afirmou, segundo informa a revista Solidariedade Ibero-americana, durante a conferência Expomanagement 2000, em Buenos Aires: “Eu não me incomodo com a identidade européia, ou com o Mercosul, ou com qualquer outra expressão de solidariedade regional… desde que a oposição aos EUA não seja o seu princípio organizador primário.”
Integrado
A exemplo de Gorbachov, o presidente FH aumenta sua popularidade no exterior na razão direta em que sua impopularidade cresce no Brasil. É o mostram as declarações de Richard Fisher, representante adjunto do comércio dos EUA, ao jornal argentino La Nacion sobre a posição do Brasil em relação à Alca e a polêmica com o Chile. Depois de qualificar a posição brasileira de “infantil e quase irresponsável”, definiu assim o país e o presidente FH: “É um grande país, muito rico, com um governo muito bom, com um presidente que, diferentemente de seus antecessores, é um internacionalista. Antes de deixar a presidência, em 2002, Cardoso poderia deixar como legado a abertura do Brasil à comunidade internacional, em particular às Américas”, sonhou.

Em campo
O ex-jogador Raí, tetracampeão do mundo em 1994 pela seleção brasileira de futebol, é a mais recente estrela a confirmar presença no Fórum Social Mundial (FSM), que será realizado, em janeiro, em Porto Alegre. Coordenador de uma fundação que trabalha junto à juventude, Raí deve falar sobre o seu novo trabalho depois que abandonou os gramados. O FSM é fórum de debates permanente de alternativas ao neoliberalismo.

Saída
Parcerias com empresas de telecomunicações são uma das poucas formas viáveis, atualmente, para se consolidar na Internet. A opinião é de Carlos Lovizzarro, presidente da Lycos – que faz parte do Grupo Telefónica. A declaração foi feita durante o 1º Latin Venture Brasil, evento que reuniu mais de 400 executivos de empresas ligadas à Internet. Já Carlos Gamboa, diretor do CVC Opportunity reconheceu, durante a participação no fórum que reuniu representantes de outros fundos de investimentos, que o setor está “passando por um processo de purificação”. Todos os executivos concordaram que, apesar da mudança, o capital não sumiu. Para Denis Jungman, do GP Investimentos, “ele ainda existe para bons projetos da Internet que apresentam perspectivas de receita.”

Geofísica
Wanderley de Souza, secretario de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro, José Coutinho Barbosa, diretor de E&P da Petrobras, José Francisco Martins de Viveiros, diretor de Minerais Básicos da Companhia Vale do Rio Doce, e David Zylbersztajn, diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP) são alguns dos agraciados com o prêmio de destaques da geofísica no ano de 2000, oferecido pela Sociedade Brasileira de Geofísica. A solenidade de entrega será hoje, às 18 horas, no salão nobre do Clube Naval.

Barra
Todo cuidado é pouco aos consumidores natalinos com os preços marcados em código de barras, nos supermercados e lojas de departamento. Na Casa & Vídeo de Itaipu, Região Oceânica de Niterói, um brinquedo que estava marcado a R$ 29,99 na prateleira pulou para R$ 34,99 na boca do caixa – salto de mais de 16%. A diferença de preços – sempre para mais – também é comum nos supermercados. Em alguns, como a Sendas, o programa de computador nas caixas dificulta a conferência, mostrando um produto de cada vez, impedindo que o consumidor reveja algum item antes que seja impresso o cupom fiscal. Haja memória para se lembrar de dezenas de preços.

Fobias
Os psicanalistas que costumam analisar para esta coluna as manifestações exteriores da personalidade do presidente FH anotaram com particular ênfase a declaração-apelo de que “não devemos dar tanta bola ao Lalau”. Os especialistas consideram que, sempre que sente pressionado, FH torna-se cada vez mais explícito.

Dinheiro na mão
Os bancários aceitaram a proposta feita pelos bancos de indenização de R$ 1.100 brutos em troca do congelamento do anuênio para os que estão empregados e extinção do benefício para os novos. No plebiscito realizado na semana passada, dos 117 mil votos válidos apurados, 61% eram sim e 39% não. A consulta foi nacional e feita em conjunto pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e a Confederação Nacional dos Bancários (CNB). A CNB e os sindicatos filiados fizeram campanha pelo não.

Artigo anteriorMonopólios
Próximo artigoReforço de caixa
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Desigualdade, Big Tech e EUA são maiores ameaças à democracia

7 em 10 chineses avaliam que seu país vai bem na questão.

O poder do monopólio em rebaixar os salários

Um tributo a Joan Robinson, ‘uma das economistas mais importantes do século 20’.

Ricos querem pagar só 10% do imposto de Biden

Elisão fiscal ameaça levar US$ 900 bi do pacote para as famílias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Em cinco anos, SP reduziu em 32%, mortes no trânsito

Só Região Metropolitana reduziu em 29%; queda nas fatalidades em nível nacional foi de 22%.

Mercado reage em dia pós-Copom

Destaque para os pedidos por seguro-desemprego nos EUA.

Boas expectativas para o dia

Hoje, mercados começando aparentemente com realizações de lucros recentes e aguardando a decisão do Banco Central inglês sobre política monetária.

Mesmo com perdas de 75%, empresas em favelas mantêm 80% dos empregos

São mais 289 mil comércios registrados nas cerca de 6 mil comunidades em todo o Brasil.

OMS pede redução de desigualdades no acesso à higiene das mãos

Organização destaca que pandemia mostrou dramaticamente a importância da prática na redução do risco de transmissão.