Indústria tenta se recuperar no primeiro trimestre

Os efeitos negativos da pandemia nos negócios afetaram vários setores da economia no primeiro trimestre deste ano. Segundo o Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial, embora a indústria tente uma reação na intenção em lançar produtos no mercado, o resultado ainda não supera as perdas. O índice aponta uma elevação de 4,9% no primeiro trimestre de 2021. No comparativo trimestral, a partir do terceiro trimestre de 2020 houve uma reversão na tendência de queda, mas que não foi o bastante para anular as perdas acumuladas nos quatro trimestres anteriores.

Em março, o índice teve queda de 9,8% em comparação com fevereiro. No acumulado de 12 meses o índice apresenta queda de -4,1%. O índice é calculado a partir da solicitação de códigos de barras, que são atribuídos pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil.

Alguns setores da indústria, no entanto, se diferenciam da maioria. O setor de bebidas se destaca com resultados acima do número em termos de Brasil, com 53,8% de crescimento no primeiro trimestre de 2021 e 16,7% no acumulado de 12 meses. Alimentos é o setor que apresenta recuperação mais lenta frente aos outros divulgados, com 5,3% de crescimento no primeiro trimestre e ainda com queda de 4,8% na avaliação acumulada em 12 meses. Têxtil, vestuário e produtos diversos apresentam crescimento no primeiro trimestre de 30% 35,2% e 36,8%, respectivamente.

Isso é confirmado por levantamento da plataforma Socialbakers, que apontou que desde a chegada da pandemia foi possível perceber alterações no comportamento dos usuários de redes sociais. Um exemplo são as interações nos diferentes ramos da indústria, que mudaram na comparação anual. De acordo com o levantamento, alguns ramos tiveram resultados muito diferentes dependendo da plataforma, como é o caso das interações relacionadas a FMCG Food (alimentos como balas, doces, refrigerantes e comidas perecíveis), que tiveram crescimento de 14,9% no Instagram, mas diminuição de 13,9% no Facebook na comparação de 2020 com 2019.

Apesar das diversas lives ocorridas com a divulgação de diferentes tipos de bebidas alcoólicas, quando o foco se volta para a quantidade de interações nas redes, o resultado não é tão positivo assim. Mesmo as ações dos usuários tendo permanecido estáveis no Instagram de 2019 para 2020, a queda das interações relacionadas ao setor foi de 33,7% no Facebook. Isso fez com que o setor de bebidas alcoólicas atingisse uma das maiores quedas na plataforma. No levantamento realizado no terceiro trimestre de 2020, por exemplo, os cinco perfis com maior interação no Facebook eram de bebidas alcóolicas: Jurupinga Dinalle, Cerveja Brahma Oficial, Club des Sommeliers, Ambev e Skol.

Já o comércio eletrônico foi um dos destaques, sendo o único ramo em que as interações aumentaram nas duas redes de Mark Zuckerberg. O comércio eletrônico registrou um crescimento de 14,4% em interações no Instagram e de 1% no Facebook.

Outros setores que também sofreram queda em interações no Facebook e no Instagram foram beleza, moda e varejo. O levantamento da Socialbakers também chegou à conclusão que as interações gerais para contas de marca diminuíram 5,4% no Facebook e 6,3% no Instagram na comparação anual.

Leia também:

Apenas 15% das indústrias adotaram trabalho intermitente

Artigos Relacionados

Brasil volta a defender quebra de patente

Um dia após declarar na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que “sou contra a quebra de patente”, como forma de flexibilização de...

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

Quase 80% não trabalham totalmente remoto na pandemia

Segundo levantamento sobre adaptação ao modelo de teletrabalho, 49,7% dos entrevistados estiveram na empresa semanalmente.

Tunísia pretende exportar 80 mil toneladas de frutas

País produz pêssegos, nectarinas, damasco, ameixa e estima aumento de 7% na safra de frutas em 2021; grandes importadores são Líbia, França e Itália.

Rio acaba com toque de recolher

Novas medidas têm validade até o dia 20 de maio; medidas podem ser revistas.