Inflação pode ser uma boa notícia

Preços sobem para o produtor, mas não estão sendo repassados para o consumidor.

Se olharmos atentamente para a evolução do nível de preços sob uma ótica ampliada, da cadeia produtiva até o preço que chega ao consumidor final, fica perceptível que a inflação não foi expurgada da economia, está apenas represada entre as etapas do processo produtivo e o varejista”, analisam os especialistas da Mapfre Investimentos.

Eles explicam que o IGP-DI, calculado pela Fundação Getulio Vargas, tem como base principal o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a inflação no setor produtivo. A inflação anual média ao produtor industrial, de 2010 a 2018, foi de 5,4%. “Este número sobe para 8,5%, se considerarmos a média das últimas 12 observações. No mesmo período, a inflação que chegou até o consumidor final foi de apenas 1,4%. A expectativa do mercado é de que a disparidade entre os índices será acentuada com os dados divulgados nesta sexta-feira”, diz a Mapfre.

A inflação menor para o consumidor se deve ao repasse menor dos aumentos. Não é bondade, é redução das margens de lucro devido ao desaquecimento econômico. “Não existe, no contexto econômico atual, margem para repasse de preços. O desemprego, que custa a ceder, e os salários estagnados mantêm a demanda baixa e amassam as margens do produtor e do varejista. Estes, por enquanto, têm dado conta do ônus inflacionário”, explica a gestora de investimentos.

E aí vem a notícia ruim para o consumidor: “Conforme a economia doméstica recobrar seu dinamismo, os preços devem chegar ao consumidor final. Esperamos que isto não demore a acontecer, porque inflação representa custo, e, no limite, custos crescentes e inviáveis de serem repassados expulsam players do mercado, catalisando uma lógica perversa. Neste contexto, inflação ao consumidor – se acompanhada de dinamismo econômico – é sim uma boa notícia.”

Quem diria, ouvir isto de uma empresa de mercado.

 

Carlos Lacerda, autor de novelas

Quantas vezes a gente já ouviu alguém afirmar que De Gaulle disse que “o Brasil não é um país sério”? Pois o ex-presidente francês jamais pronunciou esta frase. É fake news, como garante o jornalista a quem é atribuída a sua divulgação, um dos 26 veteranos profissionais ouvidos pelo também jornalista Aziz Ahmed no livro Memórias da Imprensa Escrita, que será lançado nesta segunda-feira (11), às 17h, no auditório da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

Há revelações marcantes, como a de que Carlos Lacerda, antes de tornar-se um dos mais poderosos políticos brasileiros, queria ser autor de novelas. A obra traz em cada capítulo um QR code que transporta o leitor a um vídeo de cada entrevistado. A ferramenta permitirá que se assista ao último depoimento gravado pelo jornalista Ricardo Boechat, com quase três horas de duração. E mais: pensando na inclusão, também está sendo lançado no formato e-book.

São 316 páginas, em uma realização do Ateliê de Cultura, com patrocínio da Delphos e da Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Mais detalhes em https://www.youtube.com/channel/UCrS4s5KMMhwXk1GIPiqo9cQ

 

Exemplo

A gestão profissional do Flamengo, através do presidente Landim, quer individualizar as negociações de indenização, e o mais longe possível do escrutínio do MP. Landim foi braço-direito de Eike na EBX até 2010. Demitido, judicializou o ex-patrão. A pedida: meio bilhão de reais.

 

Rápidas

João Doria Jr., governador de São Paulo, é o convidado da próxima reunião da Política Olho no Olho do Secovi-SP. Será nesta segunda-feira (11), a partir do meio-dia *** O atual gerente-geral da Divisão América Latina & Caribe e vice-presidente, Masahiro Inoue, assumirá, a partir de 1º de abril de 2019, a posição de CEO da Toyota para a América Latina e Caribe (TLAC), em substituição a Steve St. Angelo, que vai se aposentar *** O Caxias Shopping celebra o Dia Internacional da Mulher com palestras, rodas de bate papo, sarau e oficinas dentro do Espaço AteliArte, além de uma feira de empreendedores *** A OAB/RJ sedia na próxima quarta-feira (13) palestra sobre “Importância do compliance nas empresas públicas e de economia mista”. Os expositores serão o professor Eduardo Saad Diniz, da Universidade de São Paulo (USP/Ribeirão Preto) e o diretor de Conformidade da Petrobras, Rafael Gomes. Será na sede da instituição, na Avenida Marechal Câmara, 150, 4º andar, das 10h30 às 12h30.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

É urgente a revogação da PPI

Federação do Fisco taxa PEC de Bolsonaro de eleitoreira.

Olavo de Carvalho, quem diria, já escreveu no MM

Críticas à ‘Nova Ordem Mundial’, ‘Globo’, ‘Time’ e Garotinho.

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Últimas Notícias

Prazo para Apresentação do 3º Ciclo da Oferta Permanente

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou nesta quinta-feira que todas as empresas inscritas interessadas em participar do 3º Ciclo...

Governo aposta na abertura do mercado de gás natural em Rondônia

O governo acredita que a abertura do mercado de gás natural no estado de Rondônia vai potencializar a exploração de gás na bacia dos...

Faturamento da mineira Lett avançou 70% em 2021

A Lett, startup mineira especialista em Trade Marketing Digital, reportou que em apenas 12 meses, a empresa conseguiu um aumento de mais de 70%...

Relatório lista marcas chinesas como globalmente mais fortes

Várias empresas chinesas figuram entre as marcas mais fortes e de crescimento mais rápido do mundo listadas pelo relatório “Global 500 2022”, da consultoria...

Brasil quer retaliar países em disputas paralisadas na OMC

O Congresso Nacional vai analisar uma medida provisória que autoriza o Brasil a suspender concessões e até retaliar membros da Organização Mundial do Comércio...