Inflação de FH

Críticos do Governo Dilma, os ativistas tucanos que militam na imprensa tupiniquim deveriam olhar os números da administração FH antes de proclamar a existência de um “descontrole da inflação”. O IBGE mostra que, em 2002, último ano do infindável Governo FH, o IPCA atingiu 12,53% – o dobro do esperado para 2011. De 1995 a 2001, o IPCA de FH marcou: 22,41%, 9,56%, 5,22%, 1,65%, 8,94%, 5,97% e 7,67%.

Caótico
“As mudanças climáticas são muito bruscas. Isso é muito chocante, porque muitos modelos climáticos empregados hoje pela comunidade científica funcionam de uma forma que, pondo gases de efeito estufa e considerando o crescimento da população, o aquecimento será gradual. Mas o sistema climático parece muito mais complexo. Dessa forma, ele não pode ser mais confiável que um economista. E, cinco anos atrás, nenhum deles previu a crise atual.”
Noves fora ter sobrado para os economistas, a crítica feita pelo climatologista Jorgen Peder Steffensen, da Universidade de Copenhague, derruba um dos principais mitos criados pelos defensores da tese do aquecimento global motivado pela ação humana. Os modelos criados em computador são distantes da realidade do clima, muito mais complexa do que fazem parecer os “aquecimentistas”.

Complexo
Jorgen Peder Steffensen estuda há 31 anos peças de gelo da Groenlândia que mostram as mudanças na temperatura terrestre ao longo de milhões de anos. Sua mulher e parceira de pesquisas, Dorthe Dahl-Jensen, relata que, 11.700 anos atrás, houve uma mudança tão brusca no clima do Hemisfério Norte que a temperatura subiu dez graus em apenas 50 anos.
Steffensen diz acreditar que o clima ficará mais quente, mas discorda de modelos e dos efeitos previstos sobre os padrões do tempo, ou da chuva, ou ainda que o aquecimento será linear em todo o mundo. Os integrantes do painel da ONU sobre clima (IPCC) falam em elevação da temperatura terrestre em quatro graus até 2100 – portanto, em 90 anos, período que é quase o dobro do aquecimento muito superior registrado numa época em que o máximo que o homem produzia de gases de efeito estufa era uma modesta fogueira…

Equivocado
“Em dez anos, toda a vida importante no mar estará extinta. Grandes áreas costeiras terão que ser evacuadas devido ao fedor de peixe morto.” A previsão foi feita por Paul Ehrlich, do Centro para Conservação Biológica da Stanford University… em 1970.

Pior que antes
Balanço de 18 anos do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), feito pela economista Marivilia Carrasco, diretora do MSIa no México, chega à conclusão de que nenhuma das promessas feitas pelos arquitetos do tratado se cumpriu. Segundo ela, muito ao contrário: hoje, o México se encontra em situação pior, em todas as rubricas de uma economia produtiva: nível de emprego, salários, infra-estrutura, educação e serviços de saúde.

Injusto
O cientista dinamarquês é injusto em uma opinião: a de que, há cinco anos, nenhum economista previu a crise financeira atual. Mesmo que, por excesso de modéstia, não contabilizássemos os profissionais ouvidos por este MM, ao menos Nouriel Roubini antecipou a crise desde o início do século, o que lhe valeu a alcunha de Doutor Catástrofe. Mas Carrasco acerta ao equiparar os “chutes” na Economia no mesmo nível dos “palpites” em clima.

Os números são do estudo Veículos e Autopeças: o Dinamismo do Mercado Interno e as Importações, do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). Entre 2005 e 2010, o mercado consumidor doméstico saltou de 1,74 milhão de veículos para 3,5 milhões. Isso significa, observa o Iedi, que, em cinco anos, a demanda interna de automóveis mais do que dobrou, crescendo 105%. O estudo acrescenta que a  tendência se mantém no primeiro semestre de 2011.

Artigo anteriorFortes turbulências
Próximo artigoRetomada?
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.

PEC Emergencial pode sair da pauta do Senado desta quinta

Parlamentares resistem a cortes na saúde e educação e propõem votar apenas questão do auxílio emergencial.

Desdobramentos da intervenção na Petrobras

Percepção é de que o 'superministro' de Bolsonaro pode estar ficando cada vez mais isolado.

IPCA-15 de fevereiro ficou abaixo da expectativa

Índice mostra variação mais fraca que o esperado em alimentação, educação; já saúde e transportes vieram mais fortes que a expectativa.

Tentativa de superação

Ontem foi dia de recuperação da Bovespa, liderada pelas ações da Petrobras, Eletrobrás e setor bancário.