27.9 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, janeiro 21, 2021

Inquietação

O diretor Corporativo e de Relações com Investidores da Randon, Astor Milton Schimit, aproveitou a divulgação do lucro de 84% da empresa em 2010, quarta-feira, para fazer um alerta contra o processo de desindustrialização do Brasil: “Temos uma inquietude muito grande em relação a isso. A indústria  brasileira como um todo está perdendo espaço na economia brasileira”, destacou.
Citando dados do IBGE sobre a economia entre 2003 e 2010, Schimit observou que, enquanto nesse período o consumo no país cresceu 69%, a produção industrial avançou apenas 31%. Entre as causas do recuo da fatia da indústria na economia, ele apontou o “problema recorrente” do câmbio valorizado.

República dos ônibus
Os cariocas podem esquecer metrô, veículo leve sobre trilhos ou outros prometidos legados da Copa e das Olimpíadas. O prefeito Eduardo Paes anunciou que a “revolução” no transporte na cidade serão as vias expressas para ônibus, que serão operados pelos mesmos donos das linhas que infernizam a vida dos moradores do Rio de Janeiro, especialmente dos subúrbios.

Não é piada
A partir do dia 1º de abril, o uso da versão 2.0 da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) passa a ser obrigatório. Os contribuintes devem atualizar o software emissor até o dia 31 de março, uma vez que a partir desta data os documentos fiscais eletrônicos emitidos na versão anterior (1.10) não serão mais aceitos. De acordo com o presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC SP), Domingos Orestes Chiomento, as empresas que não adaptarem seus sistemas poderão ter interrupções de faturamento.

SOS do SUS
No próximo dia 7 acontecerão mobilizações em diversos estados do país contra a privatização da saúde. Os protestos fazem parte da campanha do Fórum Nacional Contra a Privatização e em Defesa do SUS.

Nova CUT
Para justificar a falta de apoio ao manifesto de nove entidades do movimento social que considera Barack Obama “persona non grata” no Brasil, a cúpula da CUT recorreu a um contorcionismo retórico poucas vezes visto no movimento sindical. Depois de garantir que ainda se soma aos que condenam as ações do império estadunidense na região e as ações protecionistas contra o Brasil, a CUT alega não ser possível “ignorar a importância política e comercial da visita do presidente Obama ao Brasil”.
Esta, no entender da central, ao incluir a possibilidade de parcerias, convênios e acordos bilaterais estratégicos para o Brasil, visaria “ao desenvolvimento e a dias melhores para sua gente”. Se ao fim da visita de Obama, um só desses objetivos for alcançado, ninguém poderá mais acusar a CUT de polianismo.

Tapetão
A implosão da licitação sobre os direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro a partir de 2012, numa tabelinha entre cartolas de clubes de futebol e a TV Globo, confirma antiga axioma tupiniquim: aqui, empresários adoram concorrência… desde que não seja na sua área. Resta saber se o Conselho Administrativo da Economia (Cade) vai reagir ao drible na sua determinação de pôr termo ao monopólios da transmissão pela Globo.

Artigo anteriorExclusão
Próximo artigo“No people”
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.

UE planeja iniciar gastos de grande fundo de recuperação em meses

Incerteza econômica na Alemanha continua em 2021; economista mantém previsão de crescimento do PIB do país em +3,5%.

Exterior abre positivo e Copom no radar interno

Na Ásia, Bolsas fecharam sem sinal único; Hong Kong registrou avanço de 1,08%.

Índice Ibovespa futuro opera entre perdas e ganhos

No momento, o futuro do índice Ibovespa está em alta de 0,03% e o futuro do dólar está em queda de -0,34%.

Comportamento indefinido

Ontem, logo cedo, Europa seguia a trilha de alta dos mercados da Ásia, o mesmo acontecendo com o mercado americano.