Instagram supera número de usuários do Facebook pela primeira vez

Total de interações no Instagram foi quase 20 vezes maior que no FB; estudo foi feito com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo.

Informática / 12:42 - 3 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Estudo da Socialbakers intitulado "Social Media Trends Report Q4 2019" com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo apontou que o total de interações no Instagram foi quase 20 vezes maior do que no Facebook.
"A escrita está na parede já há algum tempo, mas agora é oficial. Quando se trata dos 50 maiores perfis de marcas, o Instagram tem um público maior que o Facebook", afirma Yuval Ben-Itzhak, CEO da Socialbakers.
No Brasil, os principais perfis de grandes marcas estão dividindo seu conteúdo entre o Facebook e o Instagram, mas estão vendo significativamente mais interações no Instagram. Já o tamanho da audiência para esses perfis permanece menor que no Facebook.
As principais marcas publicaram mais postagens no Facebook, mas o engajamento nessas postagens não atingiram os números alcançados no Instagram. O estudo foi feito com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo e no Brasil, entre outubro e dezembro de 2019.
Por aqui, no Instagram, a Netflix Brasil que possui 16,8 milhões de seguidores foi ainda a marca com maior engajamento nessa rede social com 20 milhões de interações com só 122 postagens.
Outras marcas que se destacaram no Instagram foram Lojas Americanas, com 18,5 milhões de interações em 1.882 postagens; Hotel Urbano, com 12,8 milhões de interações e 1.915 postagens; Grão de Gente, com 4,5 milhões de interações em 807 postagens; e Arezzo, com 3,5 milhões de interações em 289 postagens.
Já no Facebook, com 12,8 milhões de seguidores, o Hotel Urbano foi a marca com maior engajamento nessa rede social, superando a marca de 10,4 milhões de interações com 2.507 postagens.
O estudo revelou ainda que apesar das tentativas de atrair consumidores durante a temporada de festas, as interações relativas das postagens no Instagram e no Facebook foram menores no quarto trimestre de 2019 do que no ano anterior.
Outro levantamento, intitulado "Panorama de Mensageria" e realizado pela Opinion Box e pelo portal Mobile Time, com patrocínio da Infobip, apontou que 76% dos brasileiros já interagem com marcas via WhatsApp, aplicativo presente em 99% dos celulares no país.
No Brasil, 77% dos usuários do "Zap" se comunicam com marcas e empresas pelo aplicativo com objetivo para tirar dúvidas e pedir informações. Outros 65% querem receber suporte técnico, e 61% desejam receber promoções. Marcelo Ramos lembra que é proibido o uso do WhatsApp para disparo de mensagens em massa para fins promocionais.
Além disso, o levantamento indica que 61% dos usuários do aplicativo querem usá-lo para realizar pagamentos e transferência de dinheiro. Desses, 47% preferem gerenciar o dinheiro por meio de uma conta bancária virtual criada no próprio WhatsApp, 30% preferem transferir de suas contas tradicionais, e 23% optam pelo cartão de crédito. O lançamento do WhatsApp Payments, previsto para este ano, visa a atender esse público.
O panorama também avaliou o desempenho do Facebook Messenger, do Instagram e do Telegram no mercado brasileiro. O Messenger, por exemplo, está presente em 79% dos smartphones brasileiros, mas apenas 59% de sua base de usuários acessa o aplicativo todo dia ou quase todo dia. Por outro lado, cresceu o uso do Messenger para a publicação de stories - de 23% para 37% em seis meses. Essa é uma funcionalidade destacada tanto pelo aplicativo quanto pelo próprio Facebook, que a posiciona no topo da tela.
Além disso, os stories são uma funcionalidade bem conhecida do Instagram, que está presente em 76% dos smartphones brasileiros. Desses, 58% usam o aplicativo para trocar mensagens privadas, e, dentro desse grupo, dois em cada três entrevistados afirmam se comunicar com marcas por meio desse canal. Para 84%, as mensagens diretas no Instagram servem para tirar dúvidas sobre produtos e serviços; 75% gostam de receber promoções pelo canal e 69% compram produtos ali.
O Telegram, por sua vez, aumentou sua base de usuários. O aplicativo está presente em 27% dos celulares - 8% a mais do que em agosto do ano passado, quando foi realizado o último panorama de Mensageria no Brasil. Por outro lado, a fidelização dos usuários não acompanhou o aumento da base: apenas 53% abrem o Telegram todos os dias.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor