Instituições financeiras elevam estimativa de inflação para 8%

Previsão para expansão do PIB caiu de 5,15% para 5,04%, em 2021.

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, subiu, novamente, de 7,58% para 8%, neste ano. É a 23ª elevação consecutiva na projeção. A estimativa está no Boletim Focus de hoje, pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central, com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Para 2022, a estimativa de inflação é de 4,03%. Para 2023 e 2024, as previsões são de 3,25% e 3,03%, respectivamente.

A projeção para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Em agosto, puxada pelos combustíveis, a inflação subiu 0,87%, a maior inflação para o mês desde o ano 2000, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o indicador acumula altas de 5,67% no ano e de 9,68% nos últimos 12 meses, o maior acumulado desde fevereiro de 2016, quando o índice alcançou 10,36%.

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 5,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre 2021 em 8% ao ano. Para o fim de 2022, a estimativa é de que a taxa básica fique nesse mesmo patamar. Tanto para 2023 como para 2024, a previsão é 6,5% ao ano.

As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 5,15% para 5,04%. Para 2022, a expectativa para Produto Interno Bruto é de crescimento de 1,72%. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 2,30% e 2,50%, respectivamente.

A expectativa para a cotação do dólar subiu de R$ 5,17 para R$ 5,20 para o final deste ano. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana também fique em R$ 5,20.

 

Agência Brasil

Leia também:

Bolsa cai e dólar tem maior alta em 14 meses

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,35%

Previsão é que taxa Selic suba para 8,25% ao ano até o fim de 2021.

Definição da nova taxa Selic é o foco das atenções nesta semana

Mercado opera com cautela em meio ao aumento do IOF; feriados na Ásia reduzem liquidez em Hong Kong, que fecha em queda.

CVM quer dispensar registro para investidor não residente

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública esta semana uma proposta de alteração da Resolução CVM 13, que reúne as regras...

Últimas Notícias

Jovem baixa-renda é mais requisitado para voltar a trabalho presencial

Quanto menor a renda familiar, maior o percentual; brasileiros de 18 a 25 anos somam 42% das contratações temporárias no primeiro semestre.

Formbook afetou mais de 5% das organizações

Capaz de capturar credenciais e registrar digitação de teclado, malware figurou em segundo lugar no ranking mensal do país.

Sauditas liberam exportação de carne de unidades de Minas

De acordo com o Ministério da Agricultura, autoridades do país suspenderam o bloqueio de cinco plantas de carne bovina mineira.

Comerciários do Rio têm aumento

Já em São Paulo, emprego no comércio registra a maior alta mensal desde novembro de 2020.

Evergrande e nova Guerra Fria

Semana passada já tinha sido de grande tensão, mesmo considerando a capitulação do presidente Bolsonaro em atacar o STF e o TSE.