Intercâmbio

Dizendo-se preocupado com o futuro da Amazônia, o príncipe Charles vai promover, em abril, seminário internacional, em Londres, para tratar da preservação da floresta. Gentil, promete convidar 30 brasileiros para participar dos debates. Para retribuir a gentileza, o governo brasileiro deveria organizar o Seminário Jean Charles para discutir o papel da Scotland Yard na preservação de migrantes ameaçados de extinção pela polícia de países ditos civilizados. Entre os ingleses a serem convidados, os integrantes da comissão que concluiu que o assassinato do brasileiro não teve culpados.

Novos culpados
A conclusão do inquérito sobre o furto dos documentos da Petrobras não se limitou a oferecer uma solução inusitada para o caso. Também deu seu contributo à literatura policial internacional. Até o ARP – Antes do Furto da Petrobras – o culpado de praxe era o mordomo. A partir do DFP –  Depois do Furto da Petrobras – a culpa também pode ser buscada nos subúrbios do Rio de Janeiro.

Gente grande
As micro e pequenas empresas do Estado do Rio injetaram na economia fluminense, só em dezembro, R$ 1,43 bilhão em salários. O número faz parte dos Indicadores das MPE (Impe), sondagem mensal que o Sebrae no Rio realiza desde 2006, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A íntegra da pesquisa será divulgada nesta terça-feira.
No mês do Natal, o faturamento rompeu a marca dos R$ 4,7 bilhões – cerca de R$ 500 milhões adicionais em comparação a novembro. Ao todo, as MPE ocuparam, entre sócios e empregados, 10 mil profissionais.

Golfinho branco
A Prefeitura do Rio publicou decreto convocando os quatro grandes clubes da cidade – Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco – a apresentar propostas para assumirem a gestão do Parque Aquático Municipal Maria Lenk. O decreto informa que o clube que assumir ficará encarregado de todas as despesas, da conservação e dos investimentos, e se comprometerá a ceder o parque a eventos nacionais e internacionais, sem qualquer ônus para a Prefeitura. O objetivo, segundo o prefeito Cesar Maia, é “apoiar e fortalecer o esporte olímpico no Rio através dos quatro grandes clubes que já os patrocinam e apóiam”. Traduzindo: a prefeitura não sabe o que fazer com o parque aquático e quer se livrar dele.

“Core”
Funcionários do BNDES repudiaram as declarações feitas, semana passada, pelo ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, defendendo a privatização do banco, além de Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, bem como de todas estatais que, no ver do ministro, “não façam parte do core business do governo, que é saúde, segurança e educação”. Além de cobrarem uma posição pública da direção da instituição, os funcionários lembram que Jorge é oriundo do Santander. Ou seja, o core do ministro é hoje.

Alinhamento
O que diria a mesma imprensa que “comprou”, sem qualquer investigação, a história do governo colombiano de que a Venezuela teria doado US$ 300 milhões para as Farc, se o presidente Hugo Chávez, em consonância com essa versão, invadisse a Colômbia para resgatar seus supostos aliados guerrilheiros para garantir-lhes porto seguro em seu país? Apoiaria a mobilização de tropas colombianas na fronteira entre os dois países.

Sem confiança
Em uma das suas últimas entrevistas, antes de ser assassinado sábado, o porta-voz das Farc, Raul Reyes, explicou por que sua organização não aceita reunir-se com representantes do governo colombiano enquanto este não desmilitarizar os municípios de Pradera e Florida: “As Farc não têm a mínima confiança na seriedade, na honestidade e na ética, se é que existe isso, no pensamento de Uribe. Tem de haver garantia de segurança a nossos porta-vozes e a todos que vão conversar ali. Queremos receber nossos camaradas libertados e entregar os que estão com a gente com segurança. Se o governo dos Estados Unidos quer ver livres os seus cidadãos, o que me parece justo, deve dar a ordem para Uribe desmilitarizar. Imediatamente se realizará um encontro para começar o acordo que permita a libertação de todos os prisioneiros”, afirmou em entrevista à Revista Fórum – http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/EdicaoNoticiaIntegra.asp?id_artigo=1689.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCusto Brasil
Próximo artigoCausa própria

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...