Interlagos vai sediar feira de motos e carros

Eventos priorizam testes para clientes e potenciais compradores.

Os eventos no segmento automotivo estão retornando aos poucos. Apesar do adiamento do São Paulo Motor Experience (o novo formato do Salão do Automóvel) para 2023, a Fenatran (feira de veículos comerciais e de carga) está confirmada para novembro (no Expo SP) e outros pequenos e grandes eventos também.

Dois deles vão ocorrer no autódromo José Carlos Pace, em São Paulo. O Festival Interlagos terá a versão Motos, entre 23 e 26 de junho, e a versão Carros, de 7 a 10 de julho. Ambos são organizados e promovidos pela Fullpower e revista Duas Rodas.

A ideia é priorizar experiências automotivas a clientes e a potenciais compradores de motocicletas e de automóveis, com test rides e test drives, em novo formato de exposição desses setores, com baixo custeio de participação e foco em vendas.

 

Montadoras estarão presentes

O Festival Interlagos – Motos já tem as confirmações das montadoras e importadoras como a BMW Motorrad, Dafra, Ducati, Harley-Davidson, Honda, Kawasaki, KTM, Polaris, Triumph e Yamaha. E também as principais empresas da cadeia de motocicletas: 2MT, Bieffe, BR Motorsport, Castrol, HJC, Ipiranga, Mitas, Mobil, Motul, Nacar, Petronas/Sprinta, Repsol, SMK, Tutto, Voltz, X-11 e Xtexx. Participam ainda a Heineken, Huskvarna e iFood.

A dois meses do evento de carros, montadoras como a Audi, Ford, Jaguar, Land Rover e Volvo pretendem organizar sessões de test drive a clientes e aos potenciais compradores, de modelos recém-lançados ou de produtos em lançamentos programados para o período da mostra, como os novos Range Rover e Defender diesel.

A versão Carros firmou parceria também com os organizadores do Sema Show, a mais renomada mostra de produtos de aftermarket do mercado norte-americano, e já estão confirmadas as participações de Michelin, Mobil, Motul e Pirelli.

 

Novo pneu usa óleo de soja

Pneu Wrangler Workhorse AT (foto divulgação Goodyear)

A fabricante de pneus Goodyear vai lançar o primeiro pneu produzido no Brasil, em sua unidade de Americana (SP), que traz o óleo de soja em sua composição, em substituição aos derivados de petróleo.

O Wrangler Workhorse AT chega ao mercado brasileiro para equipar picapes e SUVs trazendo o novo composto e ainda promete melhora de performance em comparação com o seu antecessor (Wrangler Armortrac), em quilometragem, dirigibilidade em piso molhado e tração.

Segundo a fabricante, o óleo de soja utilizado no novo pneu proporciona melhor performance em diferentes temperaturas, o que confere ao pneu maior aderência à pista e melhora ainda mais o seu desempenho.

 

Miles, a nova opção de entregas em veículo elétrico

Triciclo Miles (foto divulgação Voltz)

A Voltz, marca de Recife de motos elétricas, está lançando o Miles, triciclo elétrico de produção 100% brasileira. Montado em Manaus e vendido sob encomenda, é voltado a empresas e indústrias no transporte de pequenas cargas e entregas.

Custa R$ 32 mil, utiliza duas baterias (comporta até seis), cada uma com capacidade de até 50km, e poderá entregar até 300km de autonomia.

A velocidade máxima do Miles é de 55 km/h, e o tempo de recarga das baterias é de até 5 horas. Cada bateria conta com vida útil de até 1.000 ciclos e, após esse tempo, ela tem a capacidade reduzida a 75%. O preço médio de uma bateria para eventual troca é de R$ 5 mil.

De acordo com o CEO da Voltz, Renato Villar, os veículos elétricos da montadora não precisam de revisão programada, assim como não há a obrigação do pagamento de taxas a cada ano ou quilometragem. “Recomendamos apenas a troca de peças que apresentem desgastes, como pastilha de freio ou amortecedor”, afirma.

O novo veículo, que é automático, conta com uma garantia de 2 anos. Não há uma revisão obrigatória, mas a montadora recomenda que uma manutenção simples seja feita a cada três meses. Em sua estrutura, o triciclo tem um baú de 750l, que comporta cinco botijões de gás; capacidade de 290kg e motor de 125cc. No total, o Miles pesa 306kg.

Para conduzir, o piloto precisa ter uma habilitação de categoria A, igual à de moto, e o emplacamento funciona como qualquer outro veículo, diretamente no Detran das cidades.

Lucia Camargo Nunes
Economista e jornalista especializada no setor automotivo. [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Brasil é líder entre países que mais enviam ameaças de extorsão

País, entretanto, avança 53 posições e ocupa 18º lugar em ranking mundial de cibersegurança.

Inflação pelo IGP-M sobe para 0,59% em junho

Segundo a FGV, alta foi puxada pelos preços no varejo e pelo custo da construção.

Mercados operam mistos de olho em pronunciamento de Powell

Atenção também a PIB nos EUA; internamente IGP-M veio abaixo do esperado e Oi reverte prejuízo.

Mania de Churrasco! Prime Steak & Burger abre 12º restaurante no Rio

Unidade da rede de churrascarias no Shopping Nova Iguaçu terá diferenciais especiais.

BB: Crédito para antecipação de IR já supera 2021

Clientes do banco podem antecipar até 100% do valor da restituição do IR, até o limite de R$ 20 mil